Conheça as diferenças dos 8 tipos de dermatite mais comuns

05 de abril de 2018

|

POR Lucas Coelho

As dermatites, também chamadas de eczemas, são um grupo de doenças que provocam reações alérgicas na pele. Suas causas e sintomas variam, mas em geral todos os tipos de dermatite levam ao surgimento de coceiras e vermelhidão no local afetado.

Se não forem tratadas corretamente, algumas formas mais agressivas da doença podem levar ao desenvolvimento de outras complicações. Para isso, porém, primeiro é necessário saber como identificar as diferenças entre uma dermatite e outra.

Com informações fornecidas por especialistas da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), o Ativo Saúde montou um guia rápido com descrições sucintas de cada um dos tipos de dermatite. Confira!

Os 8 tipos de dermatite mais comuns

1. Dermatite atópica

  • Causas: herança genética;
  • Estágios da doença: fase infantil (até 2 anos), fase pré-puberal (entre 2 e 12 anos) e fase adulta (após 12 anos);
  • Sintomas frequentes: pele seca, surgimento de erupções avermelhadas, coceira intensa e aparecimento de crostas no local afetado;
  • É contagiosa? Não;
  • Onde aparece: dobras dos braços e atrás dos joelhos;
  • Fatores de risco: estresse, apresentar outras alergias, rinite alérgica, asma ou outros problemas respiratórios;
  • Tratamento: uso de hidratantes para aliviar coceiras, evitar contato com possíveis agentes alérgicos, evitar banhos quentes e usar sabonetes especiais;
  • Medicamentos: antialérgicos e, para casos mais graves, corticoides (sempre sob prescrição médica);
  • Tem cura? Não. Por seu caráter genético, pode sumir por meses ou anos até reaparecer.

2. Dermatite de contato

  • Tipos da doença: irritativo e alérgico;
  • Causas: contato da pele com um agente alérgico, podendo ser substâncias ácidas ou alcalinas demais para a pele (dermatite irritativa) e exposições repetidas a uma determinada substância ao longo dos anos (dermatite alérgica);
  • Sintomas frequentes: erupções cutâneas, vermelhidão no local, manchas vermelhas pelo corpo, bolhas e crostas, dor ou sensibilidade na pele;
  • É contagiosa? Não;
  • Onde aparece: em qualquer parte do corpo, embora algumas vezes os sintomas possam aparecer somente nos locais que tiveram contato com o agente;
  • Fatores de risco: contato com agentes alérgicos, que podem ser cosméticos, plantas, medicamentos, metais, tecidos, tintas e até cimento;
  • Como diagnosticar? Testes alérgicos costumam indicar a o quê o paciente tem alergia;
  • Tratamento: evitar contato com agentes alérgicos;
  • Medicamentos: antialérgicos podem ser recomendados pelo médico, dependendo do caso;
  • Tem cura? Não.

3. Dermatite esfoliativa (eritrodermia)

  • Causas: uma doença dermatológica pré-existente e reações a medicamentos costumam ser as causas mais comuns, mas depende muito de cada pessoa;
  • Sintomas frequentes: grande parte do corpo apresenta vermelhidão e sofre uma descamação generalizada;
  • É contagiosa? Não;
  • Onde aparece: aparece em muitas partes do corpo ao mesmo tempo, mas nenhuma específica;
  • Fatores de risco: costuma ser mais uma complicação de outras doenças dermatológicas crônicas do que um problema isolado em si;
  • Tratamento: este tipo de dermatite é bastante grave, pois pode desencadear outras infecções. O tratamento varia muito com o que a desencadeou, mas deve ser feito com urgência em um hospital, sob observação e cuidados constantes de um especialista até que o quadro seja revertido;
  • Tem cura? Sim, mas é necessário tratamento urgente e especializado.

4. Dermatite herpetiforme

  • Causa: desconhecida, mas pode estar associada à intolerância ao glúten;
  • Sintomas frequentes: aparecem pequenos pontos avermelhados, que podem coçar muito ou pouco e que se assemelham muito às feridas provocadas por herpes (embora não tenha nada a ver com a doença);
  • É contagiosa? Não;
  • Onde aparece: cotovelos, joelhos, nádegas, coxas e dorso do tronco;
  • Fatores de risco: costuma atingir homens com mais frequência do que mulheres;
  • Tratamento: a primeira medida a ser tomada é restringir totalmente o consumo de alimentos que contenham glúten;
  • Medicamentos: pode ser que seja necessário, mas depende muito da avaliação médica e de exames complementares;
  • Tem cura? Não.

 

tipos de dermatite

Sintomas, causas e tratamentos variam de acordo com os tipos de dermatite mais comuns — Foto: Shutterstock

5. Dermatite ocre

  • Causas: costuma ser uma complicação decorrente de um quadro de varizes nas pernas;
  • Sintomas frequentes: os problemas com a circulação de sangue deixam a pele do local afetado por este tipo de dermatite com uma cor amarelada ou até um pouco mais escura;
  • É contagiosa? Não;
  • Onde aparece: geralmente aparece nos membros inferiores do corpo, principalmente nas pernas;
  • Fatores de risco: apresentar varizes ou ter problemas de circulação sanguínea que possam vir a desencadear um quadro de varizes;
  • Tratamento: não existe tratamento para a dermatite ocre, mas deve-se tratar as varizes, que eventualmente podem até exigir cirurgia, dependendo da gravidade do caso;
  • Medicamentos: podem ser usados remédios anticoagulantes e outros específicos para varizes, mas sempre sob recomendação médica;
  • Tem cura? Sim, a coloração da pele pode voltar ao normal.

6. Dermatite perioral

  • Causas: geralmente está associada a problemas no sistema imunológico, a algum comprometimento das vias aéreas superiores ou até má oclusão oral;
  • Sintomas frequentes: pequenas erupções avermelhadas e descamação da pele;
  • É contagiosa? Não;
  • Onde aparece: na região do rosto, especialmente em volta do nariz e da boca, mas também pode surgir na região dos olhos (neste caso, chamada de dermatite periocular);
  • Fatores de risco: mais comum em mulheres na faixa dos 15 aos 45 anos. Pacientes que fazem uso indevido de corticoides ou que são sensíveis a cremes cosméticos, maquiagens, protetores solares e até contraceptivos orais também têm mais chances de desenvolver este tipo da doença;
  • Tratamento: o tratamento tem por objetivo desaparecer com os sintomas em algumas semanas, geralmente por meio do uso de medicamentos;
  • Medicamentos: antibióticos são os remédios mais frequentemente identificados pelos médicos, mas podem ser recomendados outros medicamentos também;
  • Tem cura? Sim.

7. Dermatite seborreica

  • Causas: não são totalmente conhecidas, mas podem estar relacionadas à genética ou a agentes externos;
  • Sintomas frequentes: descamação e vermelhidão da face. Em bebês, também costumam surgir cascas grossas e amareladas no couro cabeludo
  • É contagiosa? Não;
  • Onde aparece: sobrancelhas, cantos do nariz, orelhas e no couro cabeludo;
  • Fatores de risco: costuma afetar mais recém-nascidos;
  • Tratamento: consiste em mudar alguns hábitos e evitar substâncias que possam estar por trás da doença. Muitos sintomas costumam desaparecer por conta própria;
  • Tem cura? Não, tampouco há maneiras de evitar que a doença reapareça.

8. Dermatite numular

  • Causas: não se sabe ao certo, mas acredita-se que este tipo é pertencente à categoria da dermatite atópica, e que portanto também pode ter origem genética;
  • Sintomas frequentes: feridas arredondadas na pele;
  • É contagiosa? Não;
  • Onde aparece: região das nádegas e no tronco;
  • Fatores de risco: costuma atingir pacientes de meia-idade e aparece com mais frequência no inverno;
  • Tratamento: é geralmente feito por meio do uso de medicamentos específicos, além de métodos para evitar contato com hábitos ou substâncias que possam desencadear a doença;
  • Medicamentos: em geral, antibióticos e corticoides;
  • Tem cura? Sim.