Tipos de câncer de mama: conheça cada um

22 de setembro de 2017

|

POR Marina Zyrianoff

Existem diversos tipos de câncer de mama, e geralmente cada um deles é identificado já durante o diagnóstico da doença. Mas são tantos os tipos que muitos não sabem distinguir um do outro. Por isso, listamos aqui todos os tipos e subtipos de câncer de mama.

Antes, porém, uma rápida contextualização: o diagnóstico de câncer de mama é feito por meio de exames de imagem, como a mastectomia. Nela, é possível detectar se há presença de nódulos nas glândulas mamárias.

Acontece que a maioria dos nódulos de mama possui características benignas, mas sempre que for identificada alguma alteração, o médico solicita outros exames clínicos, como a biópsia, para ter certeza absoluta do diagnóstico.

Esses procedimentos ajudam a entender melhor o tipo de lesão que está presente nas mamas. A princípio, essa lesão pode ser classificada de três formas distintas: benigna, pré-cancerígena ou cancerígena.

Você também vai se interessar

Caso os exames deem positivo para o câncer de mama, é necessário entender em que ponto ele está. Para isso, é feito o estadiamento do câncer — conhecido como TNM –, que classifica o tipo da doença e descreve seus principais aspectos: onde está localizado, se é invasivo ou não e se está disseminado em outras partes do corpo, entre outros.

Com os resultados de mais este procedimento em mãos, é possível fazer uma nova classificação:

  • Carcinoma ductal invasivo: o tipo mais comum de câncer de mama, tem capacidade de desenvolver metástase se não for tratado corretamente;
  • Carcinoma ductal não invasivo: um câncer de mama em fase inicial, que a princípio não tem capacidade de desenvolver metástase;
  • Carcinoma lobular invasivo: é o segundo tipo mais comum de câncer de mama e está relacionado diretamente ao risco de desenvolvimento de câncer na outra mama e também ao câncer de ovário. Também apresenta a possibilidade de desenvolver metástase;
  • Carcinoma lobular não invasivo: também chamado de neoplasia lobular, é considerado apenas uma mudança na mama, e não câncer. Neste caso, as células se parecem com células cancerosas crescendo nos lóbulos das glândulas produtoras de leite da mama, mas não crescem por meio da parede dos lóbulos.

Outros tipos de câncer de mama

Esses não são os únicos tipos de câncer de mama que existem. Há outros, ainda, que se encaixam como subtipos do carcinoma invasivo, mas que só podem ser detalhados microscopicamente. Eles são classificados de acordo com a organização das células, da seguinte forma: carcinoma adenoide cístico, carcinoma metaplástico de baixo grau, carcinoma medular, carcinoma mucoso (ou coloide), carcinoma papilar e, por fim, carcinoma tubular.

Quando os subtipos possuem prognóstico semelhante ou pior ao carcinoma ductal infiltrado padrão, podem ser chamados de: carcinoma metaplásico, carcinoma micropapilar ou carcinoma misto (possui características de ductal invasivo e lobular) — também conforme a organização celular.

Leia mais

No entanto, diversos outros tipos de câncer de mama podem ocorrer, mas com menor propensão de casos. É o caso do câncer de mama inflamatório, que tem menos de 3% de chances de acontecer, e da Doença de Paget da mama, outro tipo de tumor que aparece na aréola da mama e tem probabilidade inferior a 1%. Outros tipos de câncer de mama, também pouco prováveis, são:

  • Tumor filoide (considerado raríssimo, é caracterizado pelo surgimento de um nódulo duro de tecido em qualquer parte da mama;
  • Angiossarcoma da mama (complicação rara desenvolvida por causa de radioterapia)
  • Câncer de mama no homem (da mesma forma que o câncer de mama nas mulheres, este também pode ser desenvolvido por causa de histórico da doença na família, predisposição genética, uso de medicamentos ou níveis hormonais anormais, mas a incidência é baixíssima).

O que vem depois do diagnóstico?

Com a biópsia feita e o câncer diagnosticado, em todos os casos a indicação é procurar um médico especializado para seguir com o tratamento correto para o tipo de câncer identificado nos exames. É importante ressaltar que o tratamento varia muito de caso para caso, sempre de acordo com os estadiamentos e os tipos do câncer de mama.

Os tipos de tratamento mais comuns são a quimioterapia, radioterapia, hormonoterapia e cirurgia de remoção do tumor, também chamada de mastectomia.

 

Fontes:
Drauzio Varella (site)
A.C. Camargo Cancer Center
INCA – Instituto Nacional de Câncer
American Cancer Society