É possível engravidar tomando anticoncepcional? Especialistas respondem

Atualizado em 23 de maio de 2019

|

POR Gabriele Amorim

Mesmo sendo um método contraceptivo bastante eficaz, há casos de mulheres que engravidaram mesmo tomando pílula anticoncepcional. Conversamos com especialistas para saber como o remédio funciona no organismo, como se prevenir e o que fazer em casos de emergência.

O remédio

Pílula anticoncepcional é um hormônio sintético que inibe a ovulação, modifica o muco cervical e diminui a espessura do endométrio, o que torna o útero hostil ao espermatozoide e, deste modo, impede que a mulher engravide.

É possível engravidar tomando anticoncepcional?

Todos os métodos anticoncepcionais possuem risco de falha. Portanto, sim, é possível engravidar tomando pílula anticoncepcional regularmente, visto que o medicamento, em geral, possui eficácia de 98% contra a gravidez.

Risco ainda maior

O percentual de falha pode aumentar perante algumas situações, como:

  • Iniciar o uso ou trocar de anticoncepcional e não usar preservativo, pelo menos, nas duas primeiras semanas;
  • Ter episódios de diarreia e vômito nas primeiras três a quatro horas após a ingestão da pílula;
  • Esquecer de tomar o anticoncepcional várias vezes durante o mês ou tomar em horários diferentes com frequência;
  • Tomar antibióticos concomitantemente com a pílula, visto que a interação pode reduzir o efeito contraceptivo.

Vômito e diarreia após a pílula

Em casos de episódios de vômito ou diarreia até quatro horas após a ingestão do comprimido, o ideal é tomar a pílula novamente. Deve-se ficar atenta ao fato de que, nesse caso, a cartela acabará mais cedo, portanto, após a pausa, a nova também iniciará um dia antes.

Se os episódios de vômito ou diarreia persistirem por mais de 24 horas, pode-se seguir tomando a pílula no normalmente, no horário habitual. Contudo, é imprescindível o uso de outro método contraceptivo, como a camisinha, até a próxima menstruação.

Uso de antibiótico

Embora alguns antibióticos possam diminuir a eficácia de anticoncepcionais, deve-se usá-los sempre que for necessário, ou seja, quando existir prescrição médica.

Durante este período e até uma semana depois do término do remédio, outros métodos contraceptivos, como a camisinha, devem ser usados afim de evitar gravidezes não planejadas. Além disso, não deve haver pausa na próxima cartela da pílula anticoncepcional.

O que fazer?

Esquecer de tomar a pílula anticoncepcional é comum devido à correria do dia a dia. Contudo, é preciso prestar bastante atenção quando houver atraso. Saiba o que fazer:

  • Menos de 12 horas: tomar o comprimido em atraso e continuar a cartela normalmente;
  • Um dia: tomar no dia seguinte as duas pílulas juntas;
  • Dois dias ou mais: tomar todas as pílulas atrasadas logo que se lembrar e a pílula do dia vigente no horário de costume.

Em todos os casos, é preciso não ter relação sexual ou usar camisinha durante os próximos sete dias após o esquecimento.

Em caso de esquecimento da pílula anticoncepcional ainda na primeira semana da cartela, o risco de gravidez é maior, pois a ovulação pode acontecer mais cedo e os espermatozoides são capazes de sobreviver por até sete dias após o contato íntimo. Neste caso, ainda pode-se tomar a pílula do dia seguinte.

Caso a mulher suspeite que esteja grávida, deve realizar um teste de gravidez o mais rápido possível. Se a gestação for confirmada, o uso do anticoncepcional deve ser interrompido.

Fontes

Ginecologista Domingos Mantelli Borges Filho – CRM 107997
Ginecologista Ricardo do Amaral Modinez – CRM 108087