Camisinha feminina é tão eficiente quanto a masculina

06 de novembro de 2017

|

POR Gabriela Simionato

A camisinha feminina raramente é divulgada como forma de se prevenir contra infecções sexualmente transmissíveis (IST’s) ou, ainda, como método anticonceptivo.

Por falta de costume e também por muitas vezes não ser considerada tão eficiente quanto os preservativos masculinos, a camisinha feminina também pode ser uma opção para casais ou para mulheres que quiserem se proteger de doenças transmitidas por via sexual.

Camisinha feminina é tão eficiente quanto a masculina?

Não existe um fator que diferencie a proteção da camisinha feminina da oferecida pela camisinha masculino. Jenifer Trizi, ginecologista e obstetra do Hospital e Maternidade Brasil, explica que tanto uma quanto a outra devem ser usadas do início ao fim da relação sexual.

“As duas têm a mesma capacidade de proteção, que sempre depende de uma colocação adequada. Se as extremidades do preservativo feminino estiverem para fora, e não houver incômodo durante o ato sexual, a mulher pode ficar tranquila”, diz.

Mas camisinha feminina incomoda ou não?

Assim como alguns homens tendem a reclamar de desconforto decorrente do uso da camisinha masculina, as mulheres também podem estranhar o preservativo, que deve ser colocado antes do ato e pode, inclusive, ser usado durante o período menstrual.

“A alergia à camisinha feminina é possível e acontece de forma semelhante à alergia da camisinha masculina, já que ambas são feitas de látex”, alerta Trizi. “Em caso de alguma irritação ou problemas na pele, é importante procurar imediatamente um médico”.

Carla Iaconelli, especialista em reprodução humana, diz ainda que o uso da camisinha feminina exclui o uso da masculina. Somente uma é necessária para evitar a gravidez ou alguma IST. Porém, é comum ter dificuldades na hora de colocar, especialmente ao usá-la da primeira vez.

“A mulher deve segurar a camisinha com o anel externo para baixo. O anel menor deve ser dobrado com o dedo polegar e o indicador, e em seguida introduzido na vagina com o indicador, o mais fundo possível. O anel externo deve ficar aproximadamente 3 centímetros para fora da vagina, a fim de conferir maior proteção durante o ato. No momento da penetração, a mulher deve guiar o pênis do parceiro para o interior da camisinha, garantindo que não entre pelas laterais”, ensina Carla.

Outro cuidado essencial é na hora de retirar. O preservativo deve ser puxado pelo anel externo e pela bolsa plástica para evitar o risco de vazamento.

Cuidados com a camisinha feminina

  • Armazene a camisinha feminina em um local fresco, longe do calor;
  • Antes de usá-la, fique sempre atenta à integridade da embalagem e ao prazo de validade;
  • O preservativo feminino pode ser colocado até oito horas antes da relação, ao contrário do masculino, que deve ser usado no momento do ato, quando o pênis já está ereto;
  • Da mesma forma que a camisinha masculina, a feminina só pode ser usada para uma única relação sexual;
  • Para retirar, além de puxar pelo anel externo, também é recomendado que você fique de pé para evitar que o esperma escorra do interior do preservativo;
  • Para colocá-lo corretamente, encontre uma posição confortável.