Sangramento na gengiva: o que pode ser e como tratar?

Atualizado em 26 de setembro de 2019

|

Perceber um sangramento na boca sempre é preocupante, principalmente quando esse problema ocorre durante a escovação. Por esse motivo, é extremamente importante atentar-se às possíveis inflamações e vermelhidões na região da gengiva.

Em muitos dos casos, isso pode ser resultado de uma má higienização oral e do aparecimento de doenças, pois o sangramento indica que a gengiva não está saudável. Sendo assim, é importante ir à uma clínica dental assim que algum indício for perceptível.

Existem casos os quais o sangramento pode fazer com que as pessoas tenham medo de realizar corretamente a higienização na frequência necessária. Porém, essa atitude pode agravar o problema ao invés de solucioná-lo.

O que pode ser?

É importante identificar as causas do sangramento da gengiva para que o tratamento adequado seja realizado, já que os procedimentos podem variar de acordo com o diagnóstico do profissional da clínica dental. As principais causas são:

  • Infecções;
  • Escovação agressiva;
  • Uso errado do fio dental;
  • Próteses mal ajustadas;
  • Alterações hormonais durante a gravidez;
  • Deficiência de vitamina K.

As doenças gengivais, como a gengivite e a periodontite, são majoritariamente causadas pela má higiene bucal, pois há acúmulo de placa bacteriana que pode, inclusive, transformar-se em tártaro quando não tratada de maneira adequada.

A primeira fase dessa doença é a gengivite, que é quando apenas a gengiva ao redor de um determinado dente está inflamada. Caso não seja tratada,pode causar periodontite, uma inflamação que acomete os ligamentos e os ossos que dão suporte ao dente.

O tratamento dental ocorre por meio de limpezas que são realizadas na clínica dental, para evitar a danificação dos ossos de sustentação. Casos avançados de periodontite, muitas vezes, requerem procedimentos cirúrgicos, podendo levar até à extração do dente.

Como tratar?

É necessário estabelecer, por meio de visitas à clínica dental, qual é o diagnóstico e a causa do sangramento. Tendo esses fatores estabelecidos, depende do dentista dizer ao paciente quais são as maneiras mais eficientes para evitar esse problema.

Ainda assim, existem formas de prevenir o sangramento. Primeiramente, é importante certificar se os produtos estão sendo utilizados corretamente, tendo em vista a possibilidade de realizar essa garantia por meio da própria clínica dental.

Outra forma de evitar o sangramento é optando pelo uso de escovas macias. Dessa forma, a placa bacteriana pode ser facilmente removida sem que ocorram lesões à gengiva. É essencial ter os cuidados necessários durante a higienização da boca.

Independente das causas, a higienização oral deve sempre ser feita de preferência três vezes ao dia, principalmente após as refeições, para não ocorrer um acúmulo de bactérias. Além disso, o fio dental deve ser usado diariamente.

Problemas na escovação e inflamações

Outra questão que merece atenção é a recomendação de que a escovação não seja feita com muita força, pois além de machucar, também pode causar um desgaste no esmalte do dente. Quanto ao fio dental, deve-se passá-lo levemente entre os dentes para não haver mais lesões.

Entretanto, o sangramento durante a escovação desse item pode indicar também que há uma inflamação ou infecção, sendo provavelmente gengivite ou, se estiver em um estágio mais avançado, a periodontite, por isso a importância de se consultar com um profissional da área.

Entretanto, todas essas etapas devem ser feitas da maneira correta. Para isso, é indicado que o paciente marque uma consulta na clínica dental para conversar com o dentista a fim de entender quais as recomendações que o profissional pode fazer.

Deficiência nutricional

Além disso, é importante atentar-se a uma possível deficiência nutricional. Isso porque a carência de vitamina C pode conduzir ao escorbuto que, apesar de ser raro, causa hematomas e sangramentos na gengiva. Essa vitamina é encontrada em alimentos como frutas cítricas, morango, entre tantos outros.

A deficiência da vitamina K também pode ser preocupante, já que esse nutriente é responsável por preparar proteínas para a coagulação e para a matriz óssea. Sendo assim, a carência pode causar hemorragias internas ou externas de maneira frequente, além de má formação óssea e unhas e cartilagem frágeis.

A vitamina K pode ser encontrada, principalmente, em verduras como acelga, alface, espinafre e couve-flor. As pessoas com maiores chances de carência desse nutriente são as que acabaram de realizar a cirurgia bariátrica e tomam medicamentos que dificultam a absorção de gordura, por exemplo.

Ainda assim, é essencial a recomendação da visita à clínica dental no momento que os primeiros sangramentos ocorrerem e, principalmente, no caso de continuarem. Apenas através de um profissional qualificado e de exames é possível identificar a causa correta e realizar o tratamento dental adequado.