Gosto amargo na boca: o que causa o problema e como se livrar dele

Atualizado em 31 de outubro de 2019

|

Não há quem tenha dormido por longas horas e acordado sem sentir a boca mais seca e com certo gosto amargo. Apesar de ser uma sensação comum, ela não deve permanecer e, caso aconteça, é preciso ficar atento. O amargor que perdura é sinal de má higienização ou de doenças mais sérias.

Para entender mais sobre o incômodo, a médica gastroenterologista, da Federação Brasileira de Gastroenterologia (FBG), Elaine Moreira, explica suas causas e tratamentos:

O que pode ser gosto amargo na boca?

Há diversas causas de boca com gosto amargo. As principais são alterações na cavidade bucal, como as cáries, a gengivite e a presença de saburra lingual.

Apesar desses serem os fatores que mais desencadeiam o incômodo, outros também podem gerá-lo, como infecções das vias aéreas superiores, doenças gastrintestinais e uso de suplementos e medicamentos específicos.

Falta de higiene

A má higienização da boca é a principal responsável pelo amargor na boca. Quando a escovação e o uso de fio dental não estão em dia, as bactérias ficam mais presentes e resistentes, se proliferando cada vez mais. São elas que deixam tanto um cheiro quanto um gosto mais intensos.

Gengivite

Por ser uma inflamação, a gengivite deixa a boca mais sensível e, ao escovar os dentes e usar fio dental, sangramentos podem ocorrer. É nesse momento que o gosto amargo pode ser sentido. Quanto mais o sangue permanecer no local, mais a sensação vai perdurar.

Saburra lingual

A saburra lingual é uma camada esbranquiçada que costuma aparecer na língua. Se não for eliminada diariamente com ajuda de um raspador ou escovação da região, o gosto poderá aparecer.

Infecções de vias aéreas

Amigdalite, sinusite e rinite são algumas das infecções de vias aéreas mais comuns. Durante as crises, catarro ou pus tendem a surgir na garganta ou nas vias nasais e, devido à proximidade, alguns fluidos podem chegar à região bucal e causar certo desconforto.

Boca seca

A secura da área, também chamada de xerostomia, se dá por dois motivos: ou por baixa ingestão de líquidos ou em consequência de algumas doenças e seus medicamentos, como as gastrintestinais. O gosto tende a aparecer quando a região permanece sem umidade por longos períodos.

Medicamentos

Alguns remédios podem causar o gosto porque alteram a produção de saliva. Os mais comuns são aqueles para tratar depressão, ansiedade ou vermes – chamados de antiparasitários.

Suplementos vitamínicos

Suplementos podem conter substâncias que deixam gosto amargo na boca, principalmente os que contêm cobre, ferro e zinco.

Doenças que afetam o fígado

Hepatite, esteatose hepática e cirrose são alguns exemplos de doenças que acometem o fígado. Quando esse órgão não está com bom funcionamento, pode haver acúmulo de amônia no organismo, substância tóxica e volátil que é eliminada por meio da respiração, gerando o gosto amargo.

Doenças gastrointestinais

Já no caso das gastrointestinais, como o refluxo gastroesofágico, é comum haver um retorno do conteúdo ácido do estômago para dentro do esôfago. Ao chegar na cavidade oral, o gosto amargo poderá ser sentido.

Gosto amargo na boca pode ser gravidez?

Durante o primeiro trimestre de gestação, há alteração hormonal intensa. Nessa fase, muitas grávidas sentem secura e gosto amargo na boca, mas o problema pode ser resolvido com medidas simples, como manter-se hidratada e ingerir picolé de limão. Com o passar do tempo, o quadro tende a desaparecer.

Acordar com a boca amarga é normal?

É fisiologicamente normal acordar com gosto amargo na boca, uma vez que o jejum e a falta de higiene durante o descanso favorecem a proliferação de bactérias. Se o paciente tiver redução de produção de saliva, o gosto tende a se intensificar ainda mais.

Para amenizar o desconforto, é importante realizar boa higiene antes de dormir e assim que acordar.

Como tirar gosto amargo na boca?

A primeira orientação é manter boa higiene bucal, escovando os dentes ao acordar, antes de dormir e depois das refeições. O uso de fio dental combinado com raspador de língua, uma vez ao dia, também é indispensável.

Além disso, é importante evitar permanecer muitas horas sem se alimentar, já que o jejum prolongado piora o gosto amargo. Manter-se hidratado é outro ponto significativo. Além disso, a ingestão de água é essencial para o bom funcionamento do corpo.

Caso o quadro se agrave, é indicado procurar um médico gastroenterologista, para que o diagnóstico correto seja obtido e o tratamento adequado indicado.

 

Fonte

Gastroenterologista Elaine Moreira, da Federação Brasileira de Gastroenterologia (FBG) – CRM 109.612/SP