Aparelho invisível ou transparente: diferenças e vantagens

11 de abril de 2019

|

POR Parceria com Sorrisologia

Há 60 anos, o aparelho ortodôntico era formado por fios mais grossos e bráquetes bem maiores do que os que costumamos ver atualmente. De lá para cá, muita coisa mudou na ortodontia e surgiram os novos tipos de aparelho: o invisível e o transparente.

Esses modelos têm vantagens além das correções ortodônticas, como peças bem mais discretas e design simples que deixam o sorriso à mostra.

Como são os aparelhos discretos?

Aparelho transparente

O aparelho transparente utiliza bráquetes de safira, deixando os dentes mais aparentes e as estruturas camufladas. É fixo, ou seja, não pode ser retirado.

Aparelho invisível

Já o modelo invisível é totalmente imperceptível. Por ser uma moldeira, pode ser retirado a qualquer momento, gerando mais conforto e comodidade ao paciente

Quem utiliza o aparelho invisível, também não precisa mudar nada na higiene bucal. Basta retirar o acessório e escovar os dentes normalmente.

Vantagens

Antigamente, era comum ver apenas pessoas mais jovens usando aparelho ortodôntico. De um tempos para cá, os adultos vêm aderindo ao tratamento e, com essa demanda, a ortodontia desenvolveu acessórios mais estéticos e tão eficientes quanto os tradicionais de metal – no caso, os modelos transparente e invisível.

“Graças a essa evolução tecnológica da odontologia, já existem alternativas eficientes, que são também discretas, higiênicas e confortáveis”, explica a ortodontista.

Além disso, os tratamentos, que antes eram muito mais longos, podem ser feitos de forma mais eficiente e rápida.

Qual escolher?

A escolha do tipo de aparelho dependerá do diagnóstico do ortodontista. E, além do profissional levar em consideração o problema a ser corrigido, é importante avaliar as vontades do paciente.

Silvia explica que a alternativa estética mais procurada e com melhor relação custo-benefício é o aparelho transparente, em que são colocados bráquetes de safira. Mas ainda existem outros modelos, como o aparelho lingual. “É uma excelente alternativa para quem demanda correção ortodôntica invisível”, indica a especialista.

No entanto, o tipo mais atual e com tecnologia de ponta é o modelo invisível. “Trata-se de uma série de alinhadores em sequência, transparentes e confeccionados com base na dentição do indivíduo, tudo projetado digitalmente”, explica Silvia. Algumas empresas nacionais têm desenvolvido alinhadores utilizando tecnologia semelhante, que corrigem satisfatoriamente os casos menos complexos.

Fontes

Ortodontista Sílvia Reis, doutora pela Universidade de São Paulo (USP), coordenadora do curso Ortoadultos – Tratamento Ortodôntico em Adultos (SP e BH) e da especialização em Ortodontia do Instituto de Estudos da Saúde Sérgio Feitosa (IES) – CRO/MG 18894