Vocalista do Sorriso Maroto passa por cirurgia devido à água no pulmão

09 de agosto de 2019

|

POR Bruno Botelho dos Santos

Bruno Cardoso, vocalista do grupo de samba e pagode Sorriso Maroto, terá de passar por cirurgia após sofrer um derrame pleural, mais conhecido como água no pulmão. A banda confirmou, em comunicado, a necessidade de adiar os shows marcados até o início de setembro. Saiba mais.

Cantor apresenta derrame na pleura

No Instagram, a banda postou um comunicado oficial: “A banda Sorriso Maroto gostaria de comunicar que será preciso adiar os shows marcados até o final do mês de agosto e as primeiras apresentações de setembro. Bruno Cardoso, vocalista do grupo, precisa passar por um procedimento para solucionar um problema de derrame na pleura (água na pleura), diagnosticado recentemente em decorrência de fortes dores musculares nas costas”.

O cantor já vinha apresentando sinais do derrame há quase um mês, o que o obrigou a buscar ajuda médica. O grupo ainda ressaltou que o procedimento é simples e não tem relação com a miocardite que Bruno enfrentou há algum tempo. O repouso recomendado será de cerca de um mês, com volta aos shows prevista para a primeira quinzena de setembro.⠀

“O tempo de recuperação é rápido e eu estou muito feliz em poder resolver essas dores que tanto me incomodam, ainda mais com as recentes notícias de evolução na melhora do coração. Em breve estarei de volta aos palcos, melhor que antes”, prometeu o cantor nas redes sociais.

O que é o derrame na pleura?

“É o acúmulo de líquido em grande quantidade entre as duas faces de pleuras (visceral – grudada no pulmão – e parietal – na parte interna do tórax), que separam o pulmão”, explica a médica clínica geral Nicolle Queiroz, do hospital São Camilo.

As pleuras, que são duas membranas que cobrem o pulmão e a caixa torácica, normalmente já apresentam uma pequena quantidade de líquido, que facilita a expansão do órgão durante a respiração.

Quais são suas causas?

As causas dependem de qual tipo de derrame pleural o paciente apresenta:

Transudato

É o tipo de derrame da pleura caracterizado pela baixa quantidade proteínas. Esse tipo raramente precisa ser drenado, ao menos que seja muito grande. Ocorre em casos de:

  • Insuficiência cardíaca
  • Infecção pulmonar grave
  • Embolia pulmonar
  • Alteração de albumina no corpo
  • Diálise, principalmente pela barriga
  • Câncer (neoplasias em geral e mama)

Exsudatos

Exsudato é caracterizado pela alta concentração de proteínas e fragmentos celulares. Pode ser necessário drená-lo, depende do tamanho e da quantidade. Ocorre em casos de:

  • Neoplasias (quando o tumor acontece pelo crescimento do número de células)
  • Doenças infecciosas por bactérias, fungos e vírus
  • Pós-cirurgia cardíaca
  • Pneumonia e tuberculose
  • Pancreatite
  • Transplante de fígado
  • Algumas doenças imunológicas, como artrite reumatoide e lúpus
  • Algumas medicações, como amildarona e metotrexato
  • Trauma de tórax
  • Exposição a algum tipo de droga
  • Após infarto

Sintomas

Os principais sintomas são:

  • Dor nas costas
  • Tosse
  • Febre
  • Falta de ar, que é relacionada à falta de líquido (quanto maior, a pessoa sente mais falta de ar)

Como é feito o tratamento?

Primeiramente, é necessário descobrir e tratar a condição médica que causou a água no pulmão.

Já os quadros graves, cujos pulmões estão infectados ou inflamados, precisam de drenagem para que a pessoa melhore. Também pode ser necessária a cirurgia que remove parte da pleura, a qual ocorre com o tórax aberto ou por meio de videolaparoscopia.

Fonte

Clínica Geral Nicolle Queiroz, membro do corpo clínico do Hospital São Camilo – CRM 151348