Secador de mãos de banheiro espalha partículas de fezes, dizem cientistas

11 de janeiro de 2019

|

POR Ligia Lotério

É cada vez mais comum encontrar banheiros públicos com secador de mãos ao invés de toalhas de papel, já que a troca é ecologicamente correta. Contudo, um estudo publicado pela Sociedade Americana de Microbiologia na revista Applied and Environmental Microbiology (AEM) descobriu que o equipamento é capaz de propagar coliformes fecais em grande quantidade. Entenda:

Secador de mão espalha coliformes fecais

Após analisar a qualidade do ar em sanitários da Universidade de Connecticut, nos Estados Unidos, cientistas chegaram à conclusão de que o número de bactérias fecais é maior em banheiros com máquinas de secar mãos em comparação com os sem o equipamento.

A explicação é o aparelho a máquina puxa e aquece o ar contaminado do ambiente e depois o expele de volta nas mãos de um usuário, literalmente espalhando partículas de fezes por todo o ambiente. Isso expõe pessoas a números elevados de micro-organismos que podem resultar em doenças colite, febre tifoide e até cólera.

Embora exista um filtro de ar que promete eliminar tais bactérias, o High Efficiency Particulate Arrestance (HEPA), o mesmo estudo descobriu que sua eficácia não passa de 75%.

Portanto, a maneira mais saudável de secar as mãos é com papel.