Nove em cada dez mosquitos em hospitais carregam bactéria perigosa

03 de julho de 2019

|

POR Laura Lopes

Um estudo realizado no Reino Unido constatou que nove em cada dez mosquitos encontrados em hospitais carregam bactérias perigosas, especialmente para pessoas com a saúde já debilitada.

Entenda melhor o assunto, divulgado pela Business Insider:

Superbactérias em mosquitos de hospitais

O estudo, publicado no Journal of Medical Entomology, foi realizado a partir da coleta de quase 20 mil insetos por 18 meses. Foram utilizadas armadilhas de luz ultravioleta e adesivas, além de matadores de moscas eletrônicos. As espécies capturadas foram moscas, pulgões, formigas, vespas, abelhas e mariposas.

A maioria dos insetos foi coletada entre a primavera e o verão, dentro dos hospitais, nas áreas de alimentação dos pacientes, visitantes e funcionários, nos quartos dos pacientes, maternidades e nas unidades neonatais.

Germes encontrados

Nas amostras, foram encontradas cepas do tipo “superbactérias”, ou seja, resistentes a algumas classes de antibióticos. Algumas delas são:

Foi encontrado também o verme B. cereus (Bacillus), que favorece quadros de intoxicação alimentar.

Outros tipos de cepas encontradas podem causar também infecções de pele, abscessos e infecções respiratórias.

O trabalho destaca a necessidade de reforçar medidas preventivas para impedir que bactérias sejam levadas aos hospitais por meio dos insetos, especialmente às resistentes a antibióticos.