Excesso de café aumenta a pressão arterial: quanto tomar?

23 de julho de 2019

|

POR Bruno Botelho dos Santos

Estudo feito na Universidade de São Paulo (USP) e divulgado na revista Clinical Nutrition mostra que o consumo habitual de mais de três xícaras de café por dia aumenta a pressão arterial em pessoas geneticamente predispostas. Entenda:

Consumo de café e hipertensão

O estudo, que foi apoiado pela Fapesp, teve como base dados de 533 pessoas entrevistadas no Inquérito de Saúde do Município de São Paulo (ISA-Capital 2008), pesquisa que avalia as condições de moradores da área urbana. Os critérios de inclusão eram informações sobre o consumo diário de café e sobre a presença ou não de variantes genéticas de risco para hipertensão.

Concluiu-se que pessoas com predisposição genética têm pressão arterial elevada quando associada ao consumo de mais de três xícaras de café por dia.

Foram considerados pacientes com pressão arterial elevada os que apresentaram valores acima de 140 por 90 milímetros de mercúrio (mmHg).

Quanto tomar?

Andreia Machado Miranda, pós-doutoranda no Departamento de Nutrição da Faculdade de Saúde Pública da USP (FSP-USP) e autora do artigo, contou à Agência FAPESP a importância da redução da ingestão de café nesses casos. “Os achados destacam a importância de moderar o consumo particularmente em indivíduos geneticamente predispostos a esse fator de risco cardiovascular”, disse.

Em um estudo anterior, Miranda observou que o consumo moderado de café, menor que três xícaras, apresenta benefícios sobre fatores de risco cardiovasculares, principalmente a pressão arterial e os níveis sanguíneos de homocisteína – aminoácido presente no plasma do sangue e relacionado ao surgimento de doenças cardiovasculares, como coronariana, infarto ou AVC.

Portanto, há uma linha tênue entre benefício e malefício que é regulada pela quantidade. Assim, vale não exagerar.