Pessoas com enxaqueca têm maior risco de desenvolver Alzheimer, diz estudo

Atualizado em 05 de setembro de 2019

|

Um estudo canadense constatou que pessoas que sofrem de enxaqueca têm risco maior de desenvolver transtornos relacionados à demência, como a doença de Alzheimer. A descoberta é importante para o desenvolvimento de novas estratégias preventivas para o problema progressivo. Entenda:

Enxaqueca relacionada a demência

A pesquisa, publicada no International Journal of Geriatric Psychiatry, analisou 679 adultos com 65 anos ou mais com o objetivo de explorar a relação entre enxaqueca e tipos de demência – doença neurológica mais comum em adultos de meia-idade e idosos.

Como resultado, foi constado que a enxaqueca é um fator de risco significativo para o desenvolvimento de Alzheimer, o que pode permitir a detecção precoce e a prevenção por pessoas acometidas por esse tipo de dor de cabeça.

“Ainda não temos como curar o Alzheimer, portanto prevenção é essencial”, explica Suzanne L. Tyas, autora do estudo e membro da Universidade de Waterloo, no Canadá.