Conheça 5 hábitos que prejudicam a saúde do coração

Atualizado em 26 de junho de 2018

|

Não adianta inventar: cuidar da saúde do coração é uma tarefa diária e (muito) importante. Existem diversos hábitos que prejudicam o órgão e que acabamos incorporando ao nosso dia a dia sem nem perceber. E mesmo você sendo o fitness em pessoa pode estar fazendo algumas coisas da maneira errada, então é bom ficar atento aos 5 itens que separamos abaixo:

1. Pular o café da manhã

Antes de tudo: tomou café da manhã hoje? Não? Pois é, estudos mostram que “pular” a primeira refeição do dia aumenta o risco de doenças cardiovasculares e predispõe as pessoas à obesidade e outras doenças, como a hipertensão.

De acordo com a diretora científica e nutricionista da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (SOCESP), Márcia Maria Godoy Gowdak, mais da metade dos adolescentes brasileiros não comem nada até o horário do almoço. Seja por hábito ou falta de recursos, é um dado alarmante.

Aliás, o jejum prolongado não é recomendado seja qual for a hora do dia. Quanto mais tempo sem se alimentar, mais “preguiçoso” o organismo fica, pois ele passa a poupar energia em vez de gastar. Para quem tenta emagrecer sem comer, por exemplo, o resultado pode ser justamente o contrário.

2. Exercício em jejum e sem água

A situação fica mais preocupante ainda se fizermos exercícios em momentos de jejum. Ou seja, coma sempre antes da corridinha matinal, e não depois.

Também é importante tomar água durante qualquer atividade física. “A falta de hidratação durante o exercício sobrecarrega o coração”, diz Márcia Gowdak. “A hidratação ajuda a bombear o sangue mais facilmente para a musculatura, evitando lesões”.

3. Muito sal na comida

Tire o saleiro da mesa! Pode reparar: é só colocar que o pessoal já começa a despejar na comida. Pode até dar um gostinho a mais no prato, mas é muito prejudicial à saúde do coração, pois o sódio em excesso eleva o risco de hipertensão arterial e outros problemas.

4. Açúcar demais no sangue

Açúcar, todos sabemos, não tem nada de saudável. Evite! Mesmo sendo difícil abrir mão, uma dica em especial que pode ajudar é: quando estiver com sede, não a mate com bebidas adocicadas. Refrigerantes, chás gelados e até mesmo sucos de caixinha elevam o risco de obesidade e diabetes. O mais indicado e eficaz é realmente a boa e velha água.

5. Poucas horas de sono

Não é novidade, mas é sempre bom repetir: pesquisas mostram que dormir ao menos 7 horas por dia diminui o risco de doenças cardiovasculares. Também é fundamental observar seu ronco. “Roncar pode ser sinal de apneia obstrutiva do sono, doença mais prevalente em indivíduos com sobrepeso e que também pode ser sinal de hipertensão arterial e até de arritmias“, explica Márcia.

Você sabia? Óleo não é ruim para o coração

Calma lá! Não estamos falando sobre aquela mancha amarela no guardanapo que embrulha o pastel da feira. Estamos tratando de óleos ricos em gorduras insaturadas, que têm, sim, propriedades benéficas à saúde do coração. Alguns exemplos são o azeite de oliva e o óleo de soja.

Outras dicas para cuidar da saúde do coração:

  • Alimento light não é equivalente a alimento saudável. Isso porque ele até pode conter menos açúcar e gordura que as suas variedades convencionais, mas geralmente possuem mais sódio para manter o sabor e às vezes até o mesmo valor calórico.
  • Frios e embutidos, como peru, presunto, salame e alguns enlatados, são muito ricos em sódio, então é bom consumi-los com moderação.
  • Você pode substituir pão francês por bolacha de água e sal. Mas só quatro bolachas! Mais do que isso, você estará comendo o semelhante a mais de um pãozinho. Além disso, a gordura utilizada na receita do pão, muitas vezes, é mais saudável do que a encontrada em bolachas.
  • Sabe o tal “sal do Himalaia”? Ele também é bastante rico em sódio. Então você até pode utilizá-lo no lugar do sal comum, mas isso não significa que possa comer mais sal.
  • Sucos, mesmo os naturais, são menos saudáveis do que a fruta em si, pois eles contém menos fibras, vitaminas e geralmente são mais calóricos também.
  • Muitas das barras de cereais são cheias de açúcar e sódio, e pobres em fibras.
  • O óleo de coco é rico em gordura saturada, que se consumida em excesso aumenta o risco de problemas cardiovasculares.