Parto normal: 5 informações iniciais que toda gestante deve saber

26 de fevereiro de 2018

|

POR Amanda Grecco

Decidir como trazer seu bebê ao mundo não é tarefa fácil. O momento do parto reflete muito na saúde da criança, sendo o parto normal, também chamado de parto vaginal, a melhor forma de garantir uma passagem harmoniosa do útero para o mundo externo.

Entretanto, são muitos os receios envolvidos na hora de fazer a escolha pelo tipo de parto. Por isso, preparamos um guia para esclarecer as suas dúvidas e ajudá-la a tomar a melhor decisão — tanto para você quanto para o bebê. Confira!

5 pontos para entender melhor o parto normal

1. Quando começam as contrações

A primeira dica é não se desesperar. O trabalho de parto costuma durar de 8 a 12 horas e tende a ser bem mais tranquilo – e até prazeroso – se a parturiente estiver relaxada e confortável.

Assim que surgirem os primeiros sinais, como rompimento da bolsa amniótica e pequenas contrações, você ainda terá tempo suficiente para organizar seus pertences e ir até o local de parto ou esperar o profissional que realizará o parto chegar à sua casa, caso tenha escolhido por essa opção.

A presença do(a) companheiro(a) ou de algum familiar de confiança é importante para que a futura mãe sinta-se aparada e confiante. É aconselhável que o(a) acompanhante se responsabilize por levar as malas, dar suporte à parturiente e mantê-la calma sempre que for preciso.

2. Como saber que o trabalho de parto está começando?

Há pelo menos três sinais aos quais você pode se atentar para tirar essa dúvida. Veja quais são:

  • Barriga endurecida a cada 5 minutos por 30 segundos ou mais;
  • Rompimento da bolsa amniótica;
  • Início das contrações.

3. Contrações são importantes do que se pensa

É comum sentir medo das contrações, já que elas costumam ser bastante retratadas como um momento de dor intensa para a mulher que está prestes a dar à luz.

Mas, de acordo com a enfermeira obstetriz Aline Tarraga, as contrações do trabalho de parto são como uma massagem que o corpo da gestante envia para estimular o bebê à vida.

Portanto, mesmo que o parto tenha que ser uma cesariana, é importante para mãe e bebê passarem pelo trabalho de parto.

“Para o bebê, o trabalho de parto é um momento importante em que ocorre o amadurecimento dos pulmões e do sistema de defesa natural do organismo”, explica ela.

Você também vai se interessar:

4. Posição do parto

Na hora do parto, é normal vermos mulheres deitadas em posição semelhante ao exame ginecológico para realizar o parto. Porém, para que o ele ocorra de maneira mais fácil, o ideal é procurar posições que encurtem o canal por onde passará o bebê.

As posições preferidas entre as gestantes variam entre cócoras, sentar com joelhos levemente flexionados ou de joelhos com um apoio no chão para que não os machuque.

Cada mulher vai sentir qual a posição que a deixará mais confortável, não há regra e elas podem ir variando conforme o aumento das contrações.

5. Quando o bebê nasce

Se o neném nascer em boas condições de saúde, a mãe deve ser a primeira pessoa a segurá-lo durante o tempo que achar necessário. Esse momento de contato é fundamental para que ele reconheça o ambiente e se sinta seguro.

“Cheiro, gosto e voz da mãe costumam criar um ambiente de confiança para o neném que acabou de nascer, além de reforçar a imunidade por meio do contato com a pele dela”, afirma Ana Carolina Araujo, doula e naturóloga.

As práticas de dar tapinhas na bunda, cortar a o cordão umbilical sem esperar o tempo da mãe se comunicar com o bebê, ou tirar a criança de perto da mãe são de praxe em maternidades e devem ser questionadas pelos pais.

O parto não precisa ser um momento sofrido e traumático. Tampouco há necessidade de se cortar o cordão umbilical imediatamente após o nascimento.