7 mitos e verdades sobre amamentação desvendados por médicos

22 de agosto de 2019

|

POR Bruno Botelho dos Santos

Quem nunca ouviu ou até deu um conselho sobre amamentação baseado no senso comum que atire a primeira pedra. Existem muitas informações desencontradas sobre o tema, o que torna difícil a tarefa de distinguir o que é verdadeiro do que é falso.

O tema foi discutido na 4ª Mesa Redonda sobre Amamentação da Maternidade Pro Matre Paulista, em que estiveram presentes a pediatra neonatologista Mônica Carceles e a enfermeira responsável pelo Grupo de Apoio à Amamentação Silvia Teixeira.

Continue lendo e desvende mitos e verdades sobre amamentação:

Mitos e verdades sobre amamentação

Existe leite materno fraco

MITO. Nenhuma mãe produz “leite fraco”, visto que o organismo cria a substância em quantidade e qualidade ideais para que a criança seja alimentada exclusivamente por ela nos primeiros 6 meses.

Todavia, a amamentação é influenciada por fatores externos, como a pega do bebê e a frequência do aleitamento.

Deve-se limpar as mamas após cada mamada

MITO. Deve ser feita a higienização das mamas somente durante o banho. Depois de cada mamada, basta passar um pouco do próprio leite na aréola e no mamilo para manter a pele hidratada, visto que o líquido possui bactérias benéficas para a saúde.

Bebê que mama no peito não precisa beber água

VERDADE. O leite materno já contém água suficiente em sua composição para hidratar o bebê, por isso não é preciso oferecer mais nada à criança durante os seis primeiros meses de vida.

Quem tem prótese de silicone não pode amamentar

MITO. Não existem evidências de que a prótese de silicone interfira no aleitamento materno. Normalmente, a colocação dos implantes não gera lesões de ductos ou nervos e, por isso, não há prejuízo à capacidade de amamentar.

Quem reduziu as mamas pode ter dificuldade em amamentar

VERDADE. A cirurgia de redução das mamas pode interferir no aleitamento pois reduz a quantidade de tecido mamário. Além disso, a manipulação da aréola pode lesar ductos e nervos.

Portanto, quem passará pela cirurgia e pretende engravidar deve discutir a melhor técnica com o médico responsável.

Bebê deve mamar apenas 20 minutos em cada seio

MITO. Cada bebê tem seu ritmo e sua necessidade de alimentação, portanto o tempo da mamada varia. Em casa, é importante oferecer o seio sempre que a criança quiser e, assim que ela estiver satisfeita, parará de sugá-lo.

É importante iniciar a mamada seguinte pelo seio que não foi ou foi menos sugado no último aleitamento.

Quem tem mamilo invertido não pode amamentar

MITO. Os mamilos invertidos se contraem ou se projetam para dentro ao serem estimulados, porém as mudanças no corpo da mulher ao longo da gestação podem fazer com que fiquem mais protuberantes do que de costume.

Em alguns casos, no entanto, mamilos invertidos se voltam ainda mais para dentro quando os seios ficam cheios de leite. Com a orientação de um médico ou profissional especialista em aleitamento, é possível reverter essa condição e amamentar o bebê tranquilamente.