Spinning para iniciantes: 4 dicas para praticar as aulas

18 de outubro de 2017

|

POR Redação

Spinning é uma atividade de baixo impacto, mas de muita intensidade. O treino trabalha a força muscular e o sistema aeróbico, e pode ser, também, uma alternativa para dias de mau tempo, além de uma boa combinação com a corrida ao ar livre. Para que você aproveite ao máximo a atividade, selecionamos com o treinador Daniel Costa, da assessoria esportiva Trilopez, algumas dicas valiosas para você colocar em prática assim que pensar em subir na bike:

4 dicas de como fazer spinning com segurança

1. Boa posição na bicicleta

Isso é fundamental: a altura correta, avanço ou recuo do selim (banco da bike) e ajuste do guidão. O professor deve ter uma atenção especial em relação aos ajustes necessários na bicicleta para que você esteja sempre com a postura correta. E isso vale tanto para o treino indoor quanto para o treino de rua. Essa preocupação vai garantir que o aluno não sinta dores nas costas e nos joelhos e consiga melhorar seu condicionamento físico aeróbio.

2. Aquecimento

O aquecimento tem como finalidade preparar o organismo para o esforço que virá durante a atividade física mais intensa. Sem um aquecimento adequado, o spinning ou qualquer outra atividade vai se tornar desconfortável e menos prazerosa para o praticante. É preciso um preparo de músculos e articulações para encarar a bicicleta, corrida, natação ou qualquer outro esporte.

3. Hidratação

Atividade física exige uma hidratação adequada. Um indivíduo desidratado pode sofrer graves lesões, ter complicações de saúde, além de ter seu desempenho prejudicado. O ideal é que a pessoa hidrate-se a cada 20 ou 30 minutos durante a prática do spinning. Em dias secos, a hidratação torna-se um fator crítico, e deve ser ainda mais frequente antes, durante e depois do treino.

4. Lesões mais recorrentes e como evitá-las

As lesões mais comuns no spinning são as dores nos joelhos, nas costas e pescoço. Mais uma vez: a posição do ciclista na bicicleta influencia diretamente na ocorrência de lesões. Um exemplo é o selim. Se ele estiver muito baixo, pode acarretar em dores na parte anterior dos joelhos e na lombar. Já o selim muito alto pode provocar dores na parte posterior do joelho e também nas costas.

Outro ponto importante é deixar claro aos alunos iniciantes que não exagerem no momento de ajustar a carga. Muito peso não significa que você está ganhando condicionamento. Girar bastante as pernas, ter a postura adequada e hidratar-se são atitudes que podem trazer benefícios e evitar lesões.