Pós-treino: 7 erros que te impedem de ganhar massa muscular

04 de janeiro de 2018

|

POR Patrícia Beloni

Ganhar massa muscular ou emagrecer não são objetivos que se alcança apenas fazendo exercícios ou parando de comer açúcar e gordura. É preciso combinar as atividades físicas com hábitos saudáveis de alimentação e da rotina para se alcançar os resultados desejados. E isso inclui desde o que fazemos no pré-treino até o que fazemos depois de treinar.

O desenvolvimento dos músculos faz parte de todo um processo que pode ir por água abaixo sem orientação e disciplina. “Existem erros comuns após o treino que são capazes de colocar todos os resultados em risco”, explica Rafael Reis, professor de Musculação da Academia Competition.

Os erros podem ser tanto em relação à alimentação e hidratação, quanto à ausência de alongamentos e de recuperação muscular.

Eles também podem estar associados à falta de relaxamento e a um tempo inadequado de descanso, extremamente necessários para uma boa resposta do corpo, segundo o professor. Veja a seguir uma lista das falhas mais comuns que as pessoas cometem depois de malhar:

Erros que te impedem de ganhar massa muscular

1. Não se alimentar corretamente

A alimentação é um dos pilares fundamentais seja para ganhar massa muscular ou para perder aqueles quilinhos extras. “A dieta é parte essencial do processo de desenvolvimento dos músculos”, reforça Reis.

Não adianta comer proteína demais ou de menos, comer açúcar sem limites, não comer ou comer muito carboidrato. É preciso descobrir exatamente o que o seu corpo precisa depois dos exercícios executados.

É importante também lembrar que cada ser humano apresenta um metabolismo diferente, tendo assim uma necessidade específica de nutrientes. “Por isso, é fundamental procurar um acompanhamento de um nutricionista, descobrir sua necessidade e ter um plano alimentar adequado às suas necessidades”, alerta.

2. Não se hidratar

A mesma orientação serve para a hidratação pós-treino. Ela é muito importante e precisa ser realizada. Mas não adianta beber isotônicos, tomar café, leite, sucos ou só beber água.

É necessário consultar um profissional a fim de entender qual é a melhor forma para você se hidratar depois de treinar. É claro que, em todos os casos, água é fundamental e sempre necessária.

3. Não fazer alongamento

Alongar depois de uma sessão intensa ajuda a baixar os níveis de hormônios relacionados ao estresse. É esse alívio da tensão que influencia diretamente no processo de recuperação muscular.

“Ele permite que o corpo se prepare para treinar novamente sem incômodos ou falta de mobilidade — coisas que certamente afetariam sua performance na sessão seguinte”, aconselha Reis.

4. Consumir bebidas alcoólicas

O consumo de bebidas alcoólicas desacelera drasticamente o processo de recuperação muscular depois do treino. Além de desidratar o corpo, elas são cheias de calorias vazias que comprometem a dieta, geram estresse e problemas de metabolismo.

“É só observar que quando a ingestão de bebidas alcoólicas ocorre no dia anterior ao treino, é possível sentir uma grande queda na sua performance. Por isso, beba com moderação e lembre-se sempre de se alimentar e tomar água para manter seu corpo hidratado”, orienta o profissional.

5. Tomar remédios

Sentir dores musculares depois dos treinos é inevitável, segundo o professor de musculação Rafael Reis. Elas são chamadas de DMT (ou dor muscular tardia). Mas nem toda dor é positiva ou sinal de um bom treino.

“A dor também pode indicar que o treino está muito intenso para o seu nível de condicionamento, de uma lesão ou de um erro na execução do exercício”, explica ele.

Quando se toma analgésico, esse sinal é bloqueado, causando uma percepção errada de que o corpo está pronto para outra sessão de exercício, quando, na verdade, não está recuperado completamente ainda.

“Por isso, é preciso tomar muito cuidado com o uso não prescrito desses remédios e conversar sempre com seu personal, professor ou preparador físico”, aconselha.

Reis ainda ressalta outro ponto sobre o uso de remédios: segundo Gabe Mirkin, um dos criadores do conceito de Dores Musculares Tardias (DMTs), os anti-inflamatórios e analgésicos bloqueiam a inflamação e atrasam o processo de recuperação muscular em cerca de sete horas.

6. Fazer gelo

Ainda de acordo com o médico Gabe Mirkin, é preciso tomar cuidado com o uso de gelo para combater dores musculares. Isso porque resfriar o músculo diminui a inflamação e interfere nos processos de recuperação e reparação musculares, que são essenciais para o crescimento dos músculos.

7. Não descansar

“É durante o descanso, principalmente enquanto você dorme, que seus músculos crescem. O treino é só o meio para que isso aconteça”, revela Reis. Para ter resultados satisfatórios, é muito importante relaxar depois do treino.

Isso porque diante da vida agitada do cotidiano, o corpo precisa se recuperar fisiologicamente. “Uma noite bem dormida é fundamental, assim como uma sessão de treino intensa. Dormir em um ambiente silencioso, escuro e sem acordar durante a madrugada é muito importante”, indica o profissional.