7 tipos de depilação diferentes para você conhecer

16 de fevereiro de 2018

|

POR Amanda Grecco

Se o seu objetivo é acabar com os pelos, a boa notícia é que existem infinitos tipos de depilação disponíveis no mercado. Da tradicional cera quente à confortável raspagem com gilete, há possibilidades para não sentir dor, não ver os pelos por tempo considerável e até para acabar de vez com eles.

O grande problema é que qualquer tipo de depilação facilita o surgimento de foliculite – uma inflamação causada pela retirada dos pelos.

Por isso, antes de conferir a lista e escolher qual a sua preferida, reflita se é realmente importante para você tirar os pelos e entenda que depilação tem apenas fim estético e não tem nada a ver com higiene.

7 tipos de depilação mais comuns

1. Depilação com cera quente

A depilação com cera quente é um método bastante comum em salões de beleza e clínicas de estética. Ele consiste em arrancar os pelos desde a raiz e a vantagem é que eles não precisam estar tão grandes para serem extraídos.

Já a parte não tão boa é que dói muito. Além disso, pode causar manchas na pele, encravamento de pelos, hematomas (caso a depilação seja feita de forma errada) e até queimaduras se a cera estiver muito quente.

2. Depilação com cera fria

Diferentemente da depilação com cera quente, esta opção, com a cera fria, exige que os pelos estejam grandes para serem extraídos.

Pode doer um pouco mais do que a depilação com cera quente porque a temperatura é fria e, assim, os poros não estão abertos. A vantagem é que tem uma aplicação fácil e pode ser feita em casa sem muitos transtornos.

3. Depilação a laser

Após três sessões de depilação a laser, os pelos já vão deixando de crescer e podem ficar sem aparecer por 6 meses a 2 anos. O método é realmente bem efetivo e dói pouco, mas ainda assim pode provocar incômodos.

Para realizá-lo, os pelos devem estar visíveis e os mais grossos possíveis. A sensação é de pequenos choquinhos na pele conforme o laser vai sendo aplicado. As sessões são rápidas, mas são necessárias de 7 a 12 para que os pelos realmente possam ir embora de vez.

4. Depilação com luz pulsante

O tratamento com luz pulsante é completamente indolor e também é semi-definitivo, da mesma forma que a depilação a laser.

A luz intensa pulsada, utilizada neste método de depilação, atinge os folículos e os vasos que os nutrem, destruindo-os por completo após uma média de 8 sessões. Para manter a pele lisa, é necessário manter a manutenção de, aproximadamente, 2 sessões por ano.

5. Depilação com linha

A técnica é milenar e foi popularizada no mundo ocidental recentemente. A depilação com linha dói bastante, mas tem suas vantagens, como a não utilização de produtos químicos sobre a pele.

Além disso, ela não provoca reações alérgicas e tem longa duração. A grande questão é que ela somente pode ser aplicada em pequenas áreas, como sobrancelha e buço.

6. Depilação com lâminas descartáveis

A lâmina é a melhor amiga de quem deseja acabar com os pelos em poucos minutos, de última hora e de maneira completamente indolor.

O problema é que desta forma os pelos crescem muito rápido, além de aumentar as possibilidades de uma reação alérgica e pelos encravados.

7. Depilação com creme

O creme depilatório deve ser aplicado sobre os pelos para que ele destrua toda a sua estrutura, enfraquecendo a queratina e fazendo-os cair. Ele é efetivo, mas costuma causar alergias e irritações em peles mais sensíveis.

Além disso, é comum que o enxofre esteja presente nas formulações, deixando os cremes com odor desagradável bem forte.

Qual o melhor método para fazer depilação íntima?

É possível aplicar quase todos os tipos de depilação citados acima para realizar a depilação íntima. Ela possui apenas fins estéticos, inclusive para parturientes — cuidado: se algum profissional da saúde te instruir a depilar por higiene, questione.

É importante lembrar que os pelos agem como proteção e, dependendo do método escolhido para a depilação, podem surgir lesões e aumentar o risco de infecções.

Na dúvida, consulte um dermatologista de sua confiança para decidir por qual método fazer a sua depilação íntima. Também conte com a experiência de profissionais e com os depoimentos de quem já depilou a região.