Rinoplastia: antes e depois, como é feita, recuperação e mais

20 de dezembro de 2018

|

POR Manuela Sampaio

A rinoplastia remodela o nariz para corrigir alguma imperfeição ou simplesmente algo que incomode seu dono. Trata-se de uma das cirurgias plásticas mais realizadas no Brasil, o que não é de se estranhar, já que é uma das partes do corpo mais proeminentes e que mais impactam na fisionomia.

A cirurgia no nariz não é uma complexa, visto que muitas vezes o paciente pode ir para a casa no mesmo dia do procedimento. No entanto, é preciso escolher um profissional de confiança, um local adequado e saber bem o que se deseja como resultado.

Saiba como tudo sobre a rinoplastia a seguir.

O que é rinoplastia?

A cirurgia de rinoplastia é um procedimento frequentemente feito com objetivo estético, ou seja, para proporcionar harmonização do nariz com o resto da face, porém há casos de importante cunho funcional no sistema respiratório.

O procedimento não costuma ser de alta complexidade ou envolver muitos riscos, por isso muitas vezes o paciente pode ir para casa no mesmo dia.

A rinoplastia masculina é uma das cirurgias plásticas mais buscadas por homens de 20 a 30 anos. Entre as mulheres, ela é desejada, mas não figura entre as mais pedidas. De acordo com relatório da ISAPS, os procedimentos mais buscados por elas são: implante de mamas (prótese de silicone), lipoaspiração, blefaroplastia, abdominoplastia e mastopexia.

Indicações

De acordo com o cirurgião plástico Luís Felipe Maatz, especialista em Cirurgia Geral e Cirurgia Plástica pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, a rinoplastia pode ser indicada por motivos estéticos (para harmonizar o nariz com os traços do rosto), funcionais (quando há alguma alteração na função respiratória nasal), ou pelos dois motivos.

Funcional

Desvio de septo e hipertrofia das conchas nasais são problemas comuns que podem causar dificuldade na respiração. Quando realizada a rinoplastia, essas alterações podem ser corrigidas, com consequente aumento do fluxo de ar pelas narinas e melhora do padrão respiratório.

Estética

Entre as possíveis correções estéticas, estão a redução de tamanho do nariz, da giba do dorso nasal, diminuição da largura, alterações da ponta nasal, modificações da asa nasal e narinas, entre outros.

Pré-operatório da rinoplastia

Antes da cirurgia, será necessária a realização de alguns exames para saber como está a saúde geral, como hemograma, testes de coagulação e cardíacos. Em casos de alterações funcionais, é indicado fazer tomografia dos seios nasais.

Caso seja tomado algum remédio específico, o médico deverá dizer se será necessário interromper seu uso com antecedência. Medicamentos anticoagulantes, como aspirina, não devem ser ingeridos antes da operação, já que podem comprometer a coagulação e gerar sangramentos.

Será necessário parar de fumar e beber álcool e, por fim, manter jejum e restrição da ingestão de água por algumas horas antes da plástica no nariz.

Técnicas

Há diversas técnicas possíveis para a realização desta cirurgia, as quais são escolhidas conforme a necessidade de cada paciente e a preferência do médico.

Técnica aberta

A maioria dos cirurgiões plásticos utiliza a chamada rinoplastia aberta, com visualização direta dos componentes do nariz (ossos, cartilagens e partes moles) por meio de uma incisão entre as narinas, por dentro e por fora.

Técnica fechada

Na rinoplastia fechada, é feito um pequeno corte somente na parte interna das narinas.

Como é feita?

 

Cirurgia rinoplastia.

Olena Yakobchuk/Shutterstock

Após a exposição e visualização, há intervenções variadas sobre as estruturas, como retiradas parciais ou remodelamentos das cartilagens, raspagem dos ossos e osteotomia (espécie de corte/fratura nos ossos laterais), retiradas ou reposicionamento das asas nasais, entre outros, variando caso a caso.

São corrigidos eventuais desvios de septo ou excessos das conchas nasais e, em alguns casos, colocados enxertos de cartilagem.

Duração

É uma cirurgia de curta duração (cerca de 2 a 3 horas) e a alta hospitalar ocorre no mesmo dia ou no dia seguinte ao procedimento.

Recuperação e pós-operatório da rinoplastia

A recuperação da rinoplastia costuma ser tranquila e rápida.

Há necessidade de uso de curativo por cerca de uma semana, assim como uso de medicações por via nasal e oral.

Nos primeiros dias, devido ao inchaço secundário, pode haver dificuldade na respiração pelo nariz, o que costuma melhorar com o uso das medicações prescritas pelo cirurgião.

O paciente pode retornar às atividades habituais após um período relativamente curto: média de 7 a 14 dias para o trabalho e de um mês para realização de atividades físicas.

Antes e depois

A rinoplastia deve harmonizar o nariz do paciente com a face. Há inúmeras modificações possíveis e resultados que podem ser esperados, tais como:

  • Redução do tamanho
  • Redução da giba do dorso nasal (narizes aduncos)
  • Diminuição da largura (narizes largos ou popularmente “nariz de batata”)
  • Alterações da ponta nasal (pontas em formato de bolinha ou quadradas, que ganham o um afinamento)
  • Modificações da asa nasal e narinas (como a redução da abertura das narinas)
  • Aumento e estruturação do nariz, o que pode ser conseguido por meio de enxertos de cartilagem da orelha ou até mesmo da costela

Riscos

A rinoplastia não é considerada uma cirurgia perigosa, desde que seja realizada por um cirurgião especialista em hospitais ou clínicas com estrutura adequadas e o paciente esteja com boas condições de saúde.

Contudo, ainda assim pode haver sangramentos e dificuldade em respirar no pós-operatório, além dos riscos inerentes a qualquer cirurgia, como infecção e os relacionados à anestesia.

Contraindicações

A rinoplastia é contraindicada para pessoas com doenças prévias em fase aguda, lactantes e pacientes que usam anticoagulantes continuamente.

Resultados insatisfatórios

Apesar de a rinoplastia solucionar problemas estéticos e funcionais, é possível que a cirurgia não tenha um resultado satisfatório, particularmente nas seguintes condições:

  • Pacientes com características anatômicas desfavoráveis
  • Não-diagnóstico prévio de problemas respiratórios
  • Má execução técnica do procedimento
  • Resposta inesperada do paciente no pós-operatório (particularmente produção excessiva de fibrose)

Nestes casos, é possível conversar com o cirurgião plástico a respeito de uma rinoplastia secundária, que visa adequar as mudanças feitas na primeira operação.

Qual profissional realiza o procedimento?

Apenas otorrinolaringologistas e cirurgiões plásticos estão aptos a realizarem o procedimento.

Onde fazer?

A rinoplastia deve ser feita em hospitais ou clínicas com estrutura adequada e todo suporte no caso de alguma complicação, como estrutura de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Rinoplastia pelo SUS

O Sistema Único de Saúde (SUS) custeia a rinoplastia em casos extremos de alterações funcionais e até mesmo estéticas que atrapalham a saúde e autoestima do paciente.

Para se submeter ao procedimento pela rede pública é necessário agendar uma consulta com clínico geral em um posto de saúde e expor as dificuldades e a intenção de realizar o procedimento.

Valor

Quando se fala em cirurgias eletivas, os valores são diversos, já que os honorários do cirurgião variam de acordo com sua experiência, local de realização do procedimento e técnica cirúrgica.

Assim, é possível realizar a rinoplastia por valores de R$ 5 mil a R$ 20 mil, já com os custos da equipe médica e do hospital.

 

Fontes

Cirurgião plástico Luís Felipe Maatz, (CRM 129.318 ) especialista em Cirurgia Geral e Cirurgia Plástica pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo

International Society of Aesthetic Plastic Surgery (ISAPS). Mais recente estudo internacional demonstra crescimento mundial em cirurgia estética. https://www.isaps.org/wp-content/uploads/2018/11/2017-Global-Survey-Press-Release-br.pdf

Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Homens superam “tabu” e procuram mais Cirurgias Plásticas. www2.cirurgiaplastica.org.br/2017/04/03/homens-superam-tabu-e-procuram-mais-cirurgias-plasticas