Óleo de rícino: benefícios e como usar no cabelo, pele e unha

25 de junho de 2018

|

POR Amanda Grecco

O óleo de rícino – também conhecido como óleo ou azeite de mamona – é extraído das sementes da mamona, fruto comum no cerrado brasileiro. Seus benefícios são os mais diversos, sendo a maioria deles devido à presença do ácido ricinoleico, composto graxo ômega-9 com alto poder hidratante.

Presente em massa na indústria em geral, o óleo de rícino serve de matéria-prima para emulsificantes, lubrificantes, tintas de impressão de adesivos, revestimentos e cosméticos. Com textura grossa e aveludada, ele também pode ser usado para fins medicinais, como limpezas intestinais, cuidados com a pele, alívio de dores e melhora da circulação.

Saiba mais e como usá-lo:

Benefícios do óleo de rícino nos cabelos

O óleo de rícino é tão bom para os fios que vem ganhando espaço como componente principal de muitos produtos para cabelos secos e quebradiços.

O ácido ricinoleico, junto à vitamina E, proteínas e ômega 6 e 9 compõem a substância que:

  • Restaura os fios, conferindo características como crescimento e hidratação;
  • Equilibra do pH e estimula a circulação do couro cabeludo, estimulando o crescimento e reduzindo a queda dos fios.
  • Sela as cutículas, deixando-as mais resistentes, sem frizz e desintoxicadas de produtos químicos.

Como usar?

Para incentivar o crescimento dos cabelos, use duas colheres de sopa de óleo de rícino misturadas com duas gotas de óleo essencial de alecrim. Massageie bem o couro e, se possível, mantenha a cabeça para baixo por cerca de trinta segundos para fazer com que o sangue leve mais nutrientes para os fios.

Para queda capilar, o mesmo procedimento também é eficaz, mas neste caso vale à pena adicionar duas gotas de óleo essencial de cedro atlas, que faz com que os vasos capilares relaxem.

Se quiser hidratar os fios, adicione o óleo de rícino ao condicionador ou máscara de tratamento ou, até mesmo, passe diretamente nas madeixas. Depois, é só deixar agir por trinta minutos e, em seguida, lavar e finalizar como preferir.

Caso o cabelo seja seco, é possível aplicar o óleo como um finalizador após a lavagem. Desta forma, ele hidratará e protegera os fios de agressões externas, além de atuar como um protetor térmico em caso chapinha ou babyliss.

Benefícios do óleo de rícino na pele

As vitaminas e minerais do óleo de rícino também são extremamente benéficos para a pele.

Por ser viscoso, ele penetra profundamente no tecido e consegue hidratá-lo de dentro para fora.

Além disso, o produto tem ação fungicida e bactericida e é capaz de desintoxicar, relaxar e regenerar a cutis, o que explica seu uso para amenizar cicatrizes, acne, estrias e dermatites.

Como usar?

O óleo de rícino deve ser usado após o banho para criar uma camada protetora na pele e fazer com que ela não perca água durante o dia e fique ressecada. Isso é essencial pois a cutis umidificada permite a ação hidratante do composto.

É possível adicionar outros óleos vegetais se você sentir que o de rícino é grosso demais para a sua pele. O de semente de uva pode ser uma boa opção para fazer o equilíbrio das densidades.

Também é interessante acrescentar óleos essenciais, como lavanda para peles sensíveis ou laranja doce para acúmulo de líquidos. Desta forma, você fará o seu próprio hidratante de banho, livre de toxinas, silicones, derivados de petróleo e conversantes.

O óleo de rícino ainda é excelente para tratar calos, ressecamentos e rachaduras. Besunte os pés com ele após o banho e deixe-os cobertos com uma meia. Em apenas uma semana já é possível notar a melhora.

Já para usufruir de seu poder antibacteriano contra acne, é só colocar uma toalha limpa e umedecida com água morna no rosto e deixar por aproximadamente três minutos. Depois, com as mãos também limpas, faça uma massagem com meia colher de sopa óleo de mamona em toda a face. Para potencializar o efeito antisséptico, utilize duas gotas de óleo essencial de melaleuca.

Benefícios do óleo de rícino para as unhas

Para quem sofre com unhas quebradiças e cutículas ressecadas, a aplicação do óleo de rícino pode fazer toda a diferença, já que ele hidrata e combate os efeitos negativos de produtos de limpeza abrasivos nas mãos, como detergentes e desinfetantes.

Como usar?

A aplicação para o crescimento das unhas pode ser diária. Para esta finalidade, aqueça uma colher de sopa de óleo de rícino, molhe a ponta dos dedos nele e massageie as cutículas. Faça isso mesmo com esmalte. Se quiser potencializar o efeito, basta adicionar uma gota de óleo essencial de cravo.

Também é possível fazer uma cerinha para hidratar as cutículas:

  • Derreta uma colher de sopa de cera de abelha (ou de carnaúba para a versão vegana) com duas colheres de sopa de óleo de rícino.
  • Também pode ser adicionada uma colher de sopa de manteiga de cacau.
  • Aqueça até ficar morno e homogêneo.
  • Coloque em um potinho e espere esfriar.

A cera pode ser aplicada todos os dias nas cutículas áreas extremamente ressecadas.

Óleo de rícino para sobrancelhas e cílios

Se você é do tipo que tem sobrancelhas e cílios ralos, seus problemas estão com os dias contados. Para ambos os casos, o óleo de rícino pode ajudar.

Como usar?

Para fazê-los crescer, basta aplicar diariamente sobre os cílios e sobrancelhas, tomando cuidado para não cair nos olhos. Neste caso, não adicione óleos essenciais, pois são regiões muitos sensíveis.

Óleo de rícino para barba

Os pelos da barba também precisam de cuidados. Assim como os cabelos, eles podem ficar enfraquecidos e até com pontas duplas.

Como usar?

Compor um óleo de rícino com jojoba e óleos essenciais de cedro e patchouli pode ser ótimo para manter a barba sedosa, brilhante e hidratada.

Óleo de rícino emagrece?

 

Mulher que emagreceu.

Sisacorn/Shutterstock

Há quem acredite que o óleo de rícino ajude a emagrecer, mas este efeito, na verdade, é atribuído a sua ação sob o trânsito intestinal, o que consequentemente resulta no alívio do inchaço causado por prisão de ventre.

Embora auxilie o funcionamento digestivo, o ideal é não consumir o produto com frequência, já que sua ação laxativa pode causar diarreia.

Provoca efeitos colaterais?

Todas as matérias-primas podem ser alergênicas. Portanto, é recomendado fazer um teste de alergia no antebraço antes de usar o óleo de rícino, a fim de eliminar suspeitas de reações indesejadas.

Além disso, o consumo inadequado e/ou em grande quantidade pode causar dor abdominal, disenteria, enjoo, desmaio, falta de ar e dor no peito.

O uso do produto em mucosas, como olhos e boca, pode causar irritação, portanto não é recomendado.

Contraindicações

Pessoas com úlceras, doença de Crohn e outros acometimentos que propiciam sangramentos digestivos não devem consumir o óleo de rícino, apenas usá-lo de maneira tópica.

Gestantes e lactantes também devem passar longe do produto, visto que pode aumentar a chance de aborto espontâneo e parto prematuro. Além disso, o produto só deve ser ingerido por crianças sob orientação médica.

Onde comprar?

Antes de comprar qualquer óleo vegetal ou essencial, é importante verificar se não há a presença de parafina, silicones e aromatizantes, pois esses componentes são prejudiciais para a saúde e comprometem as características medicinais.

Farmácias de manipulação, lojas de cosméticos e produtos naturais costumam ter o óleo de rícino puro para a venda.

Preço

O preço do óleo de rícino por 100 ml costuma variar entre R$ 20 a R$ 30.