Lifting: entenda como é o procedimento que acaba com a flacidez

08 de maio de 2018

|

POR Patrícia Beloni

Com o passar do tempo, a idade vai chegando e a ação da gravidade junto à diminuição da produção de colágeno, os tecidos vão ganhando sobras e a pele fica com o aspecto envelhecido.

Daí a criação do lifting (palavra com origem no “lift”, que significa “levantar”, em inglês), a cirurgia estética que tem o objetivo de suspender determina região do corpo e reverter os efeitos do envelhecimento, explica Ronaldo Soares, cirurgião plástico e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Ela ajuda a reacomodar os tecidos aos seus lugares de origem.

Tipos de lifting

Em cada parte do corpo é realizado um tipo de lifting. Veja:

Lifting facial ou Full Face Lifitng

Também chamado de ritidoplastia, é indicado nos casos de pacientes com flacidez acentuada no rosto e bigode chinês bem marcado, nas partes mais profundas. É uma das cirurgias plásticas mais feitas no Brasil. Deixa cicatriz na frente e atrás da orelha.

Minilifting

É a mesma cirgurgia que o lifting facial, mas indicado nos casos de pacientes com flacidez leve no rosto. Deixa C=cicatriz apenas na frente da orelha.

Lifting temporal

Ajuda a dar um melhor posicionamento do supercílio. É indicado para pacientes com queda da cauda da sobrancelha.

Lifting frontal

Trata as rugas da testa, geralmente causada pela movimentação dos músculos da região. É indicado para pacientes com queda total da sobrancelha.

Lifting cervicofacial

Trata a pele e a musculatura da face e do pescoço. Indicado nos casos de flacidez acentuada no rosto e pescoço, além de papada.

Lifting endoscópico

É feita com ajuda de um sistema óptico que faz incisões. Indicado nos casos de pacientes com queda da sobrancelha e da maçã do rosto. Deixa cicatrizes mais discretas.

Nas coxas

É realizada na parte interna das coxas e, em geral, depois de emagrecimentos de grandes proporções que acabam resultando em flacidez com excesso de pele na região. A incisão é feita na raiz da coxa e da virilha. É indicado nos casos de excesso de pele e gordura nas coxas.

Nos braços

Também chamada de braquioplasti, remove a pele dos braços, principalmente aquea ao redor do “músculo do tchau”. É indicado nos casos de excesso de pele e gordura nos braços.

No pescoço

É chamado também de cervicoplastia e promete devolver o contorno do pescoço, com incisão feita logo abaixo do queixo. Indicado nos casos de excesso de pele, flacidez muscular e papada.

Nos seios

Também é conhecida como mastopexia e é feita para levantar as mamas. É indicado nos casos de queda das mamas, com posicionamento baixo das aréolas, causados pelo aleitamento materno, efeito sanfona (de engordar e emagrecer) ou da gravidade mesmo com a idade avançada. Pode ser feita em volta aréola ou deixar uma cicatriz em forma de “T” invertido.

Nos glúteos

Indicado nos casos de queda do bumbum, com grau acentuado de celulite e sulco infraglúteo muito marcado.

Nas costas

Também chamada de torsoplastia, é indicado nos casos de pacientes que perderam muito peso e possuem excesso de pele e gordura nas gostas.

Contraindicações

As cirurgias de lifting são contraindicadas nos pacientes com problemas de saúde sem controle clínico, ou ainda com exames de check-up com alterações que impeçam a cirurgia.

Não é indicado também para quem tem rugas, dobras e marcas de expressão muito profundas, pele flácida e caída sobre os olhos, bochechas ou pescoço ou rosto muito fino, com acúmulo de gordura e pele caída no pescoço.

Benefícios do lifting

  • Diminui o aspecto do envelhcimento da pele;
  • Melhora a estética da região operada;
  • Reposiciona a pele;
  • Recoloca estruturas profundas em seu local de origem;
  • Retirada o excesso de gordura que faz peso no local operado.

Antes e depois da cirurgia

Depois de relatar suas expectativas e os motivos que o levaram a procurar pelo lifting, é feito um exame físico externo para avaliação.

A preparação é feita por meio da realização de exames de check-up para checar o estado de saúde do paciente.

Realizam-se, então, alguns exames como o hemograma completo, verificação do sistema cardíaco, raio-X e exame de urina, entre outros — sempre de acordo com o procedimento que será executado.

A cirurgia é realizada no hospital, com anestesia local e sedação, raquianestesia, peridural ou anestesia geral. O procedimento costuma durar de 2 a 4 horas.

A recuperação é feita com repouso por cerca de 14 a 21 dias e uso de uma malha compressiva. Pode haver sensação de desconforto no pós-operatório, mas pode-se fazer uso de analgésicos e anti-inflamatórios via oral para ajudar no alívio.

Orienta-se não realizar exercícios por volta de 30 dias, ter uma dieta equilibrada e evitar a exposição solar. Da mesma forma, indica-se não tomar sol por 2 meses e sempre usar protetor solar com fator de proteção acima de 30.

Resultados e possíveis complicações

Os efeitos da cirurgia começam a aparecer cerca de 1 a 2 meses depois do procedimento.

Segundo Ronaldo Soares, cirurgião plástico e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, fica cicatriz na região operada, que vai clareando conforme o passar das semanas.

Mas a boa notícia é que os efeitos duram por muitos anos. E, dependendo do caso, pode durar até toda vida.

Só que como toda cirurgia, ela pode ter complicações. Dentre elas, estão a possibilidade de abertura dos pontos, desenvolvimento de infecções, hematomas, formação de seromas (acúmulo de líquido), surgimento de cicatrizes hipertróficas, além do aparecimento de queloides.

Preço do lifting

O lifting é um procedimento estético que costuma ser bastante caro. Os valores podem girar em torno de R$ 12 a 20 mil reais de acordo com a clínica. Mas, em geral, dependem do tipo de cirurgia (local) e da anestesia utilizada.