Implante capilar: como é feito, antes e depois, riscos e preço

21 de junho de 2019

|

POR Mariana Amorim

Perda de cabelo pode causar incômodo tanto para homens quanto para mulheres, de modo a abalar a autoestima e a qualidade de vida. Por isso, o implante capilar pode ser uma alternativa para casos que não se resolvem com outros tipos de tratamento.

Trata-se de uma técnica que teve início com médicos japoneses entre os anos 1930 e 1940, mas só em 1950 se solidificou como procedimento seguro e eficaz para o crescimento dos fios em regiões calvas.

Confira, a seguir, em que casos o tratamento é ou não indicado, quais os principais cuidados e mais.

O que é implante capilar?

O implante consiste na retirada de folículos capilares saudáveis de uma região da cabeça e sua implantação na área em que há calvície.

A técnica mais moderna de transplante capilar é a técnica FUE (da sigla em inglês “Follicular Unit Extraction”), conhecida popularmente como fio a fio. Nela, os folículos são extraídos individualmente com um tipo especial de bisturi circular, o chamado punch, para depois serem implantados na área calva, também individualmente.

Indicações

A indicação para o procedimento deverá ser feita por um especialista, mas em geral envolve queixa de perda de cabelo.

O implante capilar é a alternativa mais radical e onerosa, portanto antes dela devem ser tentadas outras terapias, como shampoos, laseres, loções, cremes e afins. Ainda assim, é preciso que seja investigada a causa da perda dos fios, visto que algumas condições não respondem bem até mesmo ao implante.

A principal indicação de implante capilar é a alopecia androgenética, que nada mais é do que a calvície de origem genética.

No geral, não existe idade mínima para a cirurgia, leva-se apenas em consideração a presença de área calva. Portanto, pacientes jovens podem ser submetidos ao procedimento.

Como é feito?

Preparo

Antes do procedimento, o paciente precisa passar por avaliação com cirurgião plástico ou dermatologista de sua confiança. O médico irá solicitar exames pré-operatórios, como hemograma completo, para checar a saúde geral.

Dependendo da técnica do profissional, pode ser preciso raspar os fios com máquina de cabelo.

O médico faz uso de anestesia local e sedação leve, mas o paciente fica acordado durante todo o procedimento.

Duração

A duração do procedimento de implante capilar depende do número de folículos que o paciente necessita. Mas leva, em média, de 6 a 8 horas.

Recuperação

Após a operação, o paciente é liberado para casa e retorna ao consultório ou clínica para a lavagem da cabeça. Em seguida, estará liberado para atividades do dia a dia com algumas exceções, tais como exercícios físicos e sol. Os fios transplantados devem cair por volta do 15º dia.

Além disso, procedimentos químicos, como escova progressiva, são contraindicados.

Antes e depois do implante capilar

Imagem de antes e depois de implante capilar, com antes com áreas calvas e depois com elas completas por fios.
Sugrit Jiranarak/Shutterstock

Depois da cirurgia, os fios que foram transplantados cairão até o final do primeiro mês e entre três e quatro meses devem começar a crescer novamente. Portanto, o resultado final da cirurgia só poderá ser observado ao final de primeiro ano.

Nesse momento pós-cirúrgico, o dermatologista é fundamental para recomendar medicamentos e produtos para atuar no fortalecimento da nova etapa dos fios.

Em muitos casos o resultado é bom, mas tudo depende do organismo da pessoa, do tipo de fio e dos demais tratamentos seguidos.

Funciona? Fios podem cair depois?

Quando bem indicado, o implante capilar apresenta excelente resultado.

No couro cabeludo, os cabelos da parte superior da cabeça possuem receptores de hormônio masculino, já os da lateral e da nuca não possuem esse tipo de receptor. A calvície ocorre devido uma alteração genética nesses receptores, mas como são utilizados como área doadora os folículos da região do lado da cabeça e da nuca, os fios transplantados não irão mais cair.

Contraindicações

Existem alguns tipos de queda de cabelo que não podem ser tratados com implante capilar porque não surtem resultados. É o caso da alopecia areata, doença em que o próprio organismo destrói os fios. Há ainda outro grupo de doenças em que há a queda de cabelo devido a reações inflamatórias, como as alopecias cicatriciais.

Riscos

Assim como qualquer procedimento cirúrgico, o implante capilar possui alguns riscos, como sangramento excessivo, infecções bacterianas ou virais, cicatrizes inestéticas e baixo crescimento capilar após o implante.

Qual profissional realiza o procedimento?

Os médicos que estão treinados para fazer o procedimento são cirurgiões plásticos e dermatologistas.

Onde fazer?

A cirurgia deve ser realizada em clínicas especializadas e com estrutura adequada para o procedimento cirúrgico ou em ambiente hospitalar. É importante que o paciente consulte o Conselho Regional de Medicina do seu estado para confirmar se o médico responsável é especialista na área.

Preço

O valor da cirurgia de implante capilar depende da complexidade de cada caso e do número de folículos que o paciente precisa, mas pode variar de R$ 15 mil a R$ 22 mil.

Fontes

Cirurgião plástico Wendell Uguetto, do Hospital Israelita Albert Einstein. CRM 112145/SP

Cirurgião plástico Fabrício Ribeiro, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. CRM 114231/SP