Drenagem linfática manual: ela é realmente a mais indicada?

09 de março de 2018 ● POR Lucas Coelho

A drenagem linfática manual é um tipo de massagem corporal que se faz com as mãos. Ela é bastante recomendada para reduzir a retenção de líquidos e eliminar toxinas do organismo.

Vista por muitos apenas como um procedimento estético, a drenagem linfática também pode proporcionar diversos benefícios à saúde — e ela pode ser feita em casa, com as mãos ou com o uso de alguns aparelhos específicos.

Trata-se de um tratamento que utiliza pressões suaves para intensificar a atividade do sistema linfático e do sistema venoso.

O principal objetivo, como já mencionado, é justamente diminuir a retenção de líquido, melhorando a passagem de fluídos por meio dos vasos. Com isso, também elimina-se impurezas e toxinas do organismo.

Ou seja, a drenagem linfática ajuda a melhorar a circulação linfática e venosa da região do corpo que está sendo trabalhada.

Benefícios da drenagem linfática manual

A drenagem linfática manual consiste em realizar movimentos suaves, lentos, repetitivos e quase rítmicos sobre a pele. A pessoa pode fazê-lo tanto em uma clínica estética quanto em casa, embora o tratamento em si seja mais indicado com a ajuda de um profissional.

Isso porque esses toques precisam obedecer o sentido dos vasos linfáticos no corpo, e fazer isso requer conhecimentos sobre os sistemas linfático e venoso.

Além de diminuir inchaços, a drenagem também ajuda a melhorar a nutrição e hidratação das células, contribuindo até mesmo para o processo de cicatrização do corpo — os movimentos também atuam para intensificar a irrigação sanguínea.

Por que a drenagem é necessária?

O nosso sistema linfático é formado por diversos vasos e órgãos que têm como principal função drenar o excesso de líquidos dos tecidos corporais, além de auxiliar o sistema imunológico e ajudar na absorção e no transporte de ácidos graxos pelo organismo.

Quando ocorre a obstrução de algum vaso linfático, os líquidos se acumulam no local e ocorre o que chamamos de edema, que pode ser definido como um inchaço.

O líquido transportado pelo sistema linfático é chamado de linfa. Ele carrega diversas impurezas e é filtrado nos nódulos linfáticos. Depois de limpo, é devolvido ao sangue.

Quando o corpo está lutando contra alguma infecção, a bactéria, vírus ou outros micro-organismos que estão sendo eliminados por meio da linfa passam pelos gânglios linfáticos, também chamados de linfonodos.

Possivelmente, os linfonodos irão ficar inchados com a presença destes agentes, causando o que conhecemos como “íngua”, que dão geralmente no pescoço, na virilha ou axila.

Não confunda com massagem modeladora

A drenagem linfática, portanto, não é algo assim tão simples ou fácil de fazer. É muito importante que o tratamento seja realizado por profissionais que tenham conhecimento sobre a anatomia humana e sobre os sistemas linfático e venoso para que tudo ocorra da maneira adequada.

De acordo com Alessandra Romiti, médica dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), muitas pessoas confundem a drenagem com uma massagem modeladora. Mas esta comparação é equivocada.

“Esse tipo de massagem é muito mais forte, com movimentos bastante profundos e que teoricamente “quebram” as moléculas de gordura na região massageada”, explica a especialista.

“Já a drenagem linfática não é assim. Ela não tem o objetivo de diminuir a quantidade de gordura corporal. Trata-se de uma técnica superficial que, com pouquinha força e um pouquinho de pressão, consegue diminuir a retenção de líquidos no corpo”, conclui.

Para quem a drenagem linfática é indicada?

Esse tipo de tratamento desempenha uma função médica e é recomendado para pessoas que tenham condições que causam o acúmulo de líquidos. “Na dermatologia, os tratamentos são principalmente para quem sofre com celulites, linfedemas e olheiras”, afirma Alessandra.

A drenagem linfática manual também é muito utilizada para tratar pessoas em pós-operatório, pois geralmente estes pacientes ficam mais inchados e precisam diminuir a quantidade de líquido em algum local, ou estão num processo de cicatrização. Neste sentido,  desinchaço melhora a irrigação sanguínea.

Contraindicações

Pacientes com alguma infecção ativa no corpo, seja virose ou infecção bacteriana, especialmente se estiverem com febre, não devem fazer drenagem linfática. É importante se atentar a isso pois o tratamento pode acabar facilitando o espalhamento da infecção pelo corpo.

Alguns tipos de tumores também podem contraindicar a drenagem, especialmente se forem no sistema linfático. O perigo é semelhante ao das infecções, mas espalhar células cancerígenas pelo organismo é muito mais grave, pois leva à metástase da doença.

Grávidas podem fazer drenagem?

“Para mulheres grávidas que estejam bem no início da gestação há alguns médicos que contraindicam”, atenta a especialista. “Já fase final da gestação, geralmente é até recomendado pelos obstetras para ajudar a paciente a reduzir inchaços e a sensação de peso nas pernas”.

O importante é que tudo seja feito por um profissional capacitado, que tenha formação na área, e que o procedimento seja conversado antes com o médico que acompanha o(a) paciente.

Discutindo as indicações e contraindicações com ele antes de procurar um especialista é importante para se conseguir melhores resultados e ter maior segurança para tomar essa decisão.

Drenagem mecânica X drenagem manual

Como os próprios nomes já dizem, a drenagem linfática manual é feita com as mãos, e a drenagem linfática mecânica é feita com o uso de máquinas.

Ambas têm prós e contras e sua utilização vai ser mais recomendada dependendo do caso de cada paciente.

Vantagens e desvantagens da drenagem linfática mecânica

O principal benefício da drenagem mecânica é que a máquina pode ser programada de modo a manter a mesma pressão com um controle maior por longos períodos.

“A pressão precisa ser mais constante em alguns casos, como os de pacientes que estejam cuidando de um linfedema e que irão precisar ficar muito tempo recebendo o tratamento Nesses casos, a mecânica costuma ser a mais indicada”, diz Alessandra.

Já sua grande desvantagem é justamente o fato de faltar o contato humano. Sem o toque manual do profissional, algo específico pode passar desapercebido. Além disso, não há o cuidado mais personalizado para determinada região, pois se trata de uma máquina pré-programada.

Vantagens e desvantagens da drenagem linfática manual

Assim, o contato humano é o principal diferencial da drenagem linfática manual. Mas, de acordo com a dermatologista, este ponto positivo é, na verdade, uma faca de dois gumes.

“A principal questão da drenagem manual é que ela é dependente da técnica do profissional. Ou seja, depende basicamente do conhecimento e da habilidade de quem vai aplicá-la”, explica.

Se o profissional não souber fazer da maneira mais correta, o paciente não irá experimentar os benefícios que ocorreriam com alguém mais capacitado. “A drenagem linfática feita da maneira errada não é drenagem linfática. É simplesmente uma massagem”.


hehe