Ácido retinoico: tratamento elimina manchas, acnes e estrias

03 de maio de 2018 ● POR Patrícia Beloni

O ácido retinoico, também chamado de tretinoina, é uma substância feita a partir da vitamina A que é muito utilizada em tratamentos de pele. Ajuda a reduzir manchas, rugas e acnes, a diminuir a oleosidade, aumentar a firmeza da pele, melhorar o processo de cicatrização e a eliminar estrias e celulites.

Também é uma das melhores alternativas para agir contra o envelhecimento natural, provocado pela ação do tempo, e também contra o envelhecimento associado à exposição ao sol e a maus hábitos do dia a dia, como fumar, comer alimentos muito gordurosos e o estresse excessivo.

De acordo com a dermatologista Ana Célia Xavier, do Hospital São Camilo de São Paulo, “o ácido retinoico atua no rejuvenescimento celular e é muito eficaz para eliminar espinhas, linhas de expressão e até como forma de prevenção ao câncer de pele”.

Os benefícios do ácido retinoico

Todas essas utilidades da substância derivada da vitamina A vêm sendo testadas por cientistas ao longos dos anos. Um estudo do Hospital das Clínicas que selecionou mulheres com melasma profundo (um tipo de doença de pele) mostrou que o ácido retinoico provocou melhoras significativas em 60% das pacientes.

Já outra pesquisa, desta vez da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba, conseguiu comprovar que o ácido estimula a produção de colágeno e aumenta a espessura da derme (a camada intermediária da pele).

Mas o tratamento serve principalmente para acelerar a renovação celular e dar aspecto mais jovem à pele.

Para tratar os danos à pele provocados pelo tempo ou por agentes externos, o ácido retinoico ajuda a diminuir a adesão entre as células e a produção de sebo. Por isso, a oleosidade da pele também diminui, bem como a formação de comedões (cravos).

Isso acontece porque os poros entopem pelo excesso de queratina nas suas paredes internas e o ácido retinoico ajuda a regular a produção dessa substância.

Onde encontrar

Geralmente, o ácido retinoico é encontrado em forma de creme, gel ou, quando muito concentrado, no peeling (químico). No entanto, costuma estar em uma concentração muito baixa, que varia cerca de 0,025% a 0,05%, de acordo com o fabricante.

Pode ser comprado em farmácias, sempre mediante receita médica. Pode também ser manipulado ou industrializado. Nesses casos, as doses podem chegar a 0,1%, dependendo das necessidades de cada paciente.

Já quando usado no peeling, a concentração pode chegar até 5% para justamente conseguir esfoliar a pele com uma intensidade que ajudará na multiplicação de uma nova camada mais saudável.

Vale lembrar que doses mais elevadas que essas podem ainda ser utilizadas como quimioterapia no tratamento de alguns tipos de câncer, como o de medula óssea, do sangue, gastrointestinal e do trato respiratório. Isso porque o ácido é capaz de matar células cancerígenas.

Quanto custa?

Não se trata de uma substância cara. Segundo a dermatologista Ana Xavier, o preço do ácido retinoico gira em torno dos R$ 50, dependendo do fabricante.

Quem pode usar o ácido retinoico?

O ácido retinoico pode ser usado já a partir dos 12 anos de idade, tanto por homens quanto por mulheres. Entretanto, ele não deve ser aplicado quando a pele estiver com alguma ferida, com infecções ativas como herpes, inflamada, eczematosa (caso da dermatite atópica) ou com queimaduras de sol.

Também não é indicada para quem se expõe muito ao sol, para pessoas que praticam esportes durante o dia com muita frequência ou que trabalham sempre ao ar livre.

Grávidas podem usar?

O uso da substância não é indicado para gestantes, apesar de estudos científicos ainda não terem confirmado que ocorre a chamada absorção sistêmica pelo corpo (quando ocorre a absorção do produto diretamente na circulação sanguínea).

Cuidados necessários

O ácido retinoico pode ser altamente irritativo e sensível à luz intensa. Por isso, precisa ser utilizado com muito cuidado. Confira algumas dicas para aproveitar melhor os benefícios do produto:

  • Use o produto sempre à noite;
  • Evite aplicá-lo todos os dias. Procure alternar e usá-lo dia sim, dia não;
  • Lembre-se sempre de manter o ácido retinoico longe da pálpebra superior;
  • Aplique-o uma única vez durante o dia e sempre depois de lavar o rosto;
  • A quantidade certa a ser aplicada é do tamanho de uma ervilha para cada parte da pele;
  • Geralmente, se usa na testa (ou na parte superior do rosto como um todo), no queixo e também nas bochechas;
  • Se pretende fazer hidratação da pele, é melhor deixá-la para depois do tratamento com ácido retinoico. Isso porque, em alguns casos, a pele pode ficar irritada e apresentar descamações. Outros efeitos colaterais ainda incluem vermelhidão, coceira e até ardência;
  • Se você tiver a pele muito sensível, consulte seu dermatologista e, se necessário, aplique o produto com menos frequência;
  • Se surgirem efeitos adversos ao uso do ácido retinoico, interrompa o tratamento por cerca de dois dias ou reduza o uso a apenas duas ou três vezes por semana. Depois, volte a aplicar o produto em pequenas quantidades e dias alternados;
  • Lembre-se sempre de usar protetor solar — antes, durante e depois do tratamento. A pele é naturalmente sensível ao sol, mas com o uso do ácido ela fica ainda mais;
  • O indicado é utilizar um fator de proteção (FPS) 30 ou acima disso, principalmente quando for sair ao ar livre.

Resultados do tratamento

Uma única aplicação atua implica em pelo menos cerca quatro semanas de ação na pele. Os primeiros resultados já devem ser sentido por volta de três semanas após o início.

Não há um tempo limite de duração do tratamento, pois cada paciente responde de um jeito. Entretanto, usar o ácido retinoico por muito tempo pode levar ao aparecimento de vasinhos na pele. Assim, o ideal é que o tratamento seja sempre acompanhado por um dermatologista, para que ele determine quando o uso do produto deve ser interrompido.