Ácido Hialurônico: trata rugas, acne, preenche e remodela. Saiba tudo

21 de junho de 2018

|

POR Amanda Grecco

Ácido hialurônico é uma molécula naturalmente presente no organismo e que tem função lubrificante, que auxilia na absorção de choques em partes móveis do corpo. Mais da metade da concentração orgânica do ácido está presente na pele, atuando na hidratação, manutenção, elasticidade e preenchimento.

Atualmente, a substância tem sido utilizada para tratamentos estéticos em forma de cremes, géis, cápsulas ou preenchimento por via subcutânea. Ele é eficiente para amenizar cicatrizes de acne e também para atenuar os sinais de envelhecimento.

Para que serve ácido hialurônico

Com o avanço da idade, a concentração de ácido hialurônico é reduzida, implicado no aparecimento depressões, rugas e até mesmo de ressecamento na pele.

Segundo a Sociedade Americana de Cirurgiões Plásticos, com o aumento da procura por tratamentos à base desse ácido, os produtos que contém o ativo já estão em segundo lugar na busca por cosméticos para preenchimento dérmico, atrás apenas da toxina botulínica, também conhecida como botox.

O ácido hialurônico é foco de diversas e crescentes pesquisas para o tratamento dérmico, já que é amplamente buscado para corrigir as marcas da idade, como as resultantes de perda óssea ou de gordura.

A aplicação é mais comum nos contornos da face, bem como na região dos lábios, olheiras, mandíbula e até mesmo nas laterais do rosto, porém o ácido também pode ser utilizado em diversas regiões do corpo, como em joelhos e cotovelos de pessoas com desgaste de cartilagem.

Como usar o ácido hialurônico?

Há, atualmente, três principais formas de aplicação do ácido hialurônico, sendo elas: ingestão de capsulas ou comprimidos deste composto, aplicação de cremes que o contenham em sua composição, e aplicação injetável, em forma de gel. Confira um pouco mais sobre cada uma delas:

Cápsulas

Com relevante potencial de antienvelhecimento, as cápsulas e comprimidos deste ácido podem ajudar na reparação de tecidos e na manutenção da elasticidade da pele. Só pode ser consumido após prescrição médica, uma vez que também podem ser utilizados para tratamento de ossos e olhos.

Normalmente, as capsulas ou comprimidos não são ingeridos por mais de 3 meses e devem ser consumidos próximos a uma refeição para que não prejudique o estômago, desencadeando em uma irritação com gastrite ou refluxo gástrico.

Sua ingestão não costuma apresentar efeitos colaterais, e deve ser realizada com indicação de um dermatologista. Entretanto, são cápsulas bastante seguras para consumo interno.

Cremes

Tendo como principal propriedade a manutenção da hidratação da pele por meio da retenção de líquidos, a aplicação de cremes com ácido hialurônico dão aparência mais firme e lisa para a pele. São indicados para pessoas com mais de 45 anos de idade.

Aplicando uma média de quatro vezes por semana, a pessoa poderá ver o resultado com muita rapidez, notando a pele mais firme e hidratada. O creme pode ser usado como preventivo ou tratamento.

Alguns cosméticos para tratamento e prevenção de peles oleosas ou acneicas também contém a substância, que atua como esfoliante e renovador celular.

Apesar de não apresentar muitos casos de reações alérgicas, em caso de eventualidade como vermelhidão na pele, é importante interromper o uso imediatamente e procurar um especialista.

Preenchimento com ácido hialurônico

O preenchimento com ácido hialurônico requer alguns cuidados maiores. É importante ressaltar que sua aplicação deve ser feita sempre por um dermatologista ou cirurgião plástico, em clínica apropriada e com as devidas condições de infraestrutura.

A aplicação se dá em forma de gel, por meio de uma agulha que irá servir para preencher pontos depressão e sulcos — como o “bigode chinês —, para o aumento de volume — como nos lábios e nas bochechas— e remodelação — a exemplo da bioplastia do nariz.

Utilizado mais comumente na região de sulcos e linhas de expressão, o preenchimento com ácido hialurônico pode também ser utilizado para melhorar o aspecto de cicatrizes, acnes e olheiras. Os resultados podem ser imediatos ou após algumas horas, e sua duração depende da quantidade e do local aplicado, de 6 meses a 2 anos de duração.

Após a aplicação, o surgimento de inchaços e hematomas são comuns e devem ser tratados com gelo até diminuir.

Riscos

Para tornar a aplicação segura e ter os efeitos colaterais reduzidos, é importante entender a compatibilidade biológica do ácido com a pele, o risco de alergia, o tempo de reabsorção e ainda levar em conta a forma de obtenção do ácido, para que seja compatível com os recursos de quem o for utilizar.

Contraindicação

A aplicação de ácido hialurônico é contraindicada a pessoas que tem algum tipo de hipersensibilidade dérmica, ou relacionada ao composto. Além disso, a aplicação é contraindicada para pessoas que tenham algum tipo de problema de coagulação. A injeção subcutânea não é aconselhada em locais que tenham aplicações plásticas permanentes.

Para evitar riscos, é indicado que não se aplique este composto em locais com doença de pele ativa, ou com inflamação e feridas.

Mesmo sendo proibido para mulheres que estejam no primeiro trimestre de gravidez, a utilização de produtos com esta substância por parte das grávidas não é proibida ao longo do resto da gestação.

Mesmo sem contraindicações após o terceiro mês, por se tratar de um tratamento estético, é importante ouvir a opinião de um obstetra ou ginecologista, para saber o real risco no caso da gestante em específico.

Preço

Para consumir estes produtos, é importante sempre ter um acompanhamento e uma orientação médica de um especialista. Os produtos como cremes e comprimidos podem ser encontrados em farmácias, com preços variando de 30 a 200 reais.

O preenchimento com ácido hialurônico precisa de atenção ainda maior e precisam ser feitas por dermatologistas ou cirurgiões, têm valores um pouco mais altos que variam entre 400 e 2000 reais por aplicação, dependendo do local e da quantidade aplicada.