Tipo de prótese de silicone na mama: diferenças entre modelos e qual escolher?

22 de março de 2019

|

A cirurgia de prótese de mama é a segunda plástica mais realizada, perdendo apenas para a lipoaspiração. Não por acaso, a procura pelo aumento das mamas é estimulada por proporcionar um corpo mais sexy, associado à melhora da autoestima feminina.

Mas qual tipo de prótese de silicone escolher? Existem diversos: redonda, anatômica, texturizada, lisa, perfil alto, cônica, por cima ou abaixo do músculo, etc.

O primeiro passo é conversar com o cirurgião plástico e expor seus anseios, o que acha bonito ou feio, como gostaria de ter seus seios (grandes, discretos, naturais?)

Entendendo a expectativa da paciente, o especialista avaliará o tipo da mama  e verá o que falta para chegar próximo ao objetivo almejado. Afinal, o resultado é a forma da prótese somada à forma da mama, ou seja, é a busca pelo complemento.

No caso de uma mama sem colo – que já amamentou e “escorregou”para baixo, mas que não tem flacidez– , a prótese ideal é a que dê maior projeção ao colo, como uma redonda e de perfil alto.

No caso da paciente não ter quase nada de mama e pretender um resultado natural, a melhor será a anatômica, que tem por si a forma da mama (por isso o nome).

Tipo de prótese de silicone

O tipo de prótese de silicone ideal para você não é o mesma para sua irmã ou amiga. O biotipo, peso, altura, história de amamentação e pretensão de resultado variam entre mulheres. Por isso, cada uma terá indicação de um modelo específico.

Afora isso, podemos ponderar alguns fatores que norteiam a escolha da prótese:

Prótese redonda: projeta o colo, dando um aspecto mais sexy, redondo e maior. Pode ter perfil baixo, moderado, alto e superalto. Quanto maior o perfil, mais projetada é e, por isso, dá mais volume e deixa a mama mais redonda e artificial.

Prótese cônica: tem a base redonda, mas projeta-se como um cone. Deixa a mama mais “bicuda”. É pouco usada, pois o resultado pode ser artificial, visto que mamas naturais não tem forma cônica.

Prótese anatômica: conhecida como tipo de prótese de silicone “em forma de gota”, tem a forma de uma mama natural. É indicada para quem tem pouco seio e quer um resultado discreto. Também tem perfis baixo, moderado, alto e superalto, o que torna possível um resultado sexy e sem aspecto arredondado.

Planos

Além do tipo de prótese de silicone, há o plano, ou seja, a localização do implante:

Plano subglandular: é quando a prótese fica embaixo da glândula e acima do músculo. Por ficar mais solta e não ter apoio, cede mais com o tempo e tem maior mobilidade, balançando aos movimentos. Se a mama for pequena, pode dar um aspecto artificial se escolhida a prótese redonda, por ficar visível a prótese por transparência.

Plano subfascial: a fáscia é uma película que recobre o músculo. É muito delgada. Apesar de dar um pouco mais de apoio à prótese, não muda muito se comparada ao subglandular.

Plano submuscular: o músculo dá apoio à prótese e a esconde, proporcionando um resultado mais natural e minimizando a queda da mama com o tempo. A prótese fica fixa e pode se movimentar à contração da musculatura aos exercícios.

Com o envelhecimento e a queda da mama pelo progredir da idade, caso a prótese esteja muito fixa, pode dar um ar de “duplo contorno”, com o silicone alto e a mama mais baixa.

Duplo plano: é um plano de colocação misto. A maior parte fica abaixo do músculo e uma pequena parte abaixo da glândula. Foi desenvolvido exatamente para resolver o problema do plano submuscular de fixar demais a prótese, evitando a movimentação aos exercícios e que fique muito alta com o passar do tempo, reduzindo o aspecto do duplo contorno.

Os textos, informações e opiniões publicadas nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Ativo Saúde

André Colaneri

André Colaneri

Dr. André Colaneri é cirurgião plástico e especialista e Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plastica.