Setembro Verde ressalta a importância da doação de órgãos

Atualizado em 25 de setembro de 2019

|

O mês de setembro é dedicado a sensibilizar as pessoas sobre a importância da doação de órgãos, na celebração do chamado de Setembro Verde. Comemorado no dia 27, o Dia do Doador de Órgãos foi criado para mostrar o quanto um gesto simples pode salvar muitas vidas. Embora o número de doadores tenha crescido no Brasil, cerca de 32 mil pessoas ainda estão na fila de espera por um órgão, sendo 15 mil somente no Estado de São Paulo. Os dados são do Registro Brasileiro de Transplantes (RBT).

Eu e a enfermeira Walquíria Santana, fazemos parte da Comissão Intrahospitalar de Transplante (CIHT), do Hospital Nove de Julho, que trabalha na busca ativa de potenciais doadores de órgãos, oferecendo apoio às famílias e atuando na educação por meio do esclarecimento de dúvidas sobre o processo.

Quais órgãos podem ser doados?

Coração, pulmões, rins, fígado, pâncreas e tecidos (córneas, pele e ossos) podem ser doados. Todavia, isso só é possível quando o doador é diagnosticado com morte encefálica, ou seja, quando o cérebro para de funcionar, mas o coração continua batendo e suprindo a irrigação dos demais órgãos. Isso geralmente acontece após acidentes de trânsito ou quedas – visto que costumam gerar Traumatismo Crânio Encefálico (TCE) –, ou ainda após um Acidente Vascular Cerebral (AVC).

Após a confirmação da morte encefálica, existe todo um processo para abordar a família com respeito e atenção.

Como se declarar doador de órgãos?

Hoje, no Brasil, não precisa deixar nada escrito, basta comunicar sua família da vontade de doar órgão, visto que a autorização só acontece após consentimento familiar.

Depois, são realizados testes de compatibilidade entre o doador e os potenciais receptores.

Quando há indicação de transplante sólido, o doador é inscrito em uma lista única que é atualizada periodicamente para que os órgãos doados sejam alocados conforme a necessidade e a compatibilidade dos receptores.

Seja doador de atitude: compartilhe seu desejo de doar.

Os textos, informações e opiniões publicadas nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Ativo Saúde

Vanessa Prado

Vanessa Prado

Médica do Centro de Gastroenterologia do Hospital 9 de Julho, membro da Sociedade Brasileira do Aparelho Digestivo (SBAD) e da Sociedade Brasileira de Coloproctologia (SBC). CRM 129114