Maturidade muda sua vida em cinco aspectos positivos

05 de julho de 2019

|

Com o passar dos anos temos a oportunidade de evoluir emocionalmente e espiritualmente, assim como em todos os papéis que escolhemos exercer. Vivemos inúmeras histórias e acumulamos conhecimentos, experiências e reações boas e más, além de uniões que por vezes são um sucesso, outras nem tanto. Alguns optam por viver sozinhos, e nem por isso são menos felizes: suas prioridades são outras, como ter liberdade de viajar e investir no profissional, e os fazem optar por não possuírem “amarras” e nem sentirem vontade de constituírem uma família.

O bom do passar dos anos é que adquirimos maior consciência de nosso valor, da necessidade de nos cuidarmos em todos os sentidos – físico, emocional, mental e espiritual – e da importância de nos conectarmos a pessoas que realmente valem a pena. Com a maturidade, sabemos o que queremos, assim como o que não queremos.

A seguir, entenda o que mais muda com a chegada da maturidade:

O que muda com a maturidade

Aproveita-se mais a vida

A vontade de aproveitar a vida e tudo o que ela tem de melhor parece aumentar com a perspectiva de não termos tanto tempo pela frente como gostaríamos. Talvez, até por isso, o número de separações que acontecem nessa fase seja tão grande: os filhos saem de casa e os pais se veem na famosa “síndrome do ninho vazio”, na qual se dão conta de que, sem os filhos para cuidar, já não faz mais sentido aquela relação desgastada e, então, partem em busca de felicidade e realização pessoal.

Autoconhecimento

É um momento bem propício para a busca do autoconhecimento por meio da psicoterapia. Nesse processo, a pessoa entra em contato com o mais íntimo de si mesma, apropriando-se de suas emoções e entendendo sua dinâmica de funcionamento para se colocar de forma saudável em relações.

Valorização pessoal

É libertador conseguir escolher melhor os caminhos a seguir, não dar importância aos julgamentos alheios, colocar-se de forma mais leve nos relacionamentos, assim como aprender a se valorizar e se respeitar acima de tudo. Nossa própria companhia passa a ser agradável e não mais “assustadora”, como era para muitos.

Questionamentos

A maturidade nos autoriza a ir atrás do que nos faz feliz sem culpa e sem rodeios. Passamos a questionar o que antes aceitávamos como “certo” e determinado. E quantas perguntas… “Por que esperar para mudar algo? O que devo fazer para superar meus medos e encarar a situação? O que me faz feliz? O que “não” me faz feliz? O que posso deixar para trás e diminuir o peso que carrego nos ombros? O que quero incluir em minha vida que me traria prazer, satisfação e felicidade? O que me impede de ir em busca disso? Sinto-me feliz em minha relação amorosa? Meu trabalho me realiza?” E por aí afora…

Mais gratidão

A gratidão pelo que temos e somos agora parece fazer sentido e se faz mais presente e consciente. Valorizamos a qualidade de vida, assim como a convivência com pessoas que acrescentam coisas boas.

Maturidade não é igual para todos

Enfim, a maturidade deveria ser assim para todos, porém nem sempre acontece dessa maneira, pelos mais diversos motivos.

Estamos nessa vida para evoluir e a cada dia temos a oportunidade de mudar o rumo da nossa história, caso queiramos isso. Então, se sua história não está lhe fazendo feliz, cabe a você, e apenas a você, a decisão de mudar o rumo e reescrevê-la. Não fique aí parado… Faça!

Os textos, informações e opiniões publicadas nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Ativo Saúde

Marina Vasconcellos

Marina Vasconcellos

Marina Vasconcellos é psicóloga pela PUC–SP, especializada em Psicodrama Terapêutico pelo Instituto Sedes Sapientiae, psicodramatista didata pela Federação Brasileira de Psicodrama (FEBRAP) e terapeuta familiar e de casal pela UNIFESP.