Histeroscopia antes de inseminação aumenta as chances de sucesso

Atualizado em 16 de setembro de 2019

|

Fazer histeroscopia, exame que visa analisar o útero por meio da endoscopia, antes da implantação de um embrião aumenta as chances de sucesso da inseminação artificial. O protocolo não está na literatura médica, mas se trata de uma opinião particular minha, ginecologista e obstetra Ricardo Luba.

A tese foi reforçada com um estudo apresentado no Congresso Europeu de Reprodução Humana e Embriologia em 2018 que confirmava ser realmente interessante avaliar a cavidade do endométrio bem próximo da data da transferência do embrião, especialmente nos casos nos quais a mulher tivesse usado altas doses de hormônio. Isso daria mais segurança de que a ‘futura casa do bebê’ estaria em boas condições para recebê-lo.

Faço esse teste em todas as pacientes, até porque ele é o primeiro que se pede quando há falha de implantação do embrião ou aborto de repetição. Sendo assim, não vejo motivo para esperar esse tipo de situação acontecer se posso descobrir se a pessoa tem um pólipo ou um mioma, por exemplo, que precisa ser tratado antes para não prejudicar o sonho da maternidade.

Os textos, informações e opiniões publicadas nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Ativo Saúde

Ricardo Luba

Ricardo Luba

Ricardo Luba é ginecologista e obstetra membro da American Association of Gynecologic Laparoscopists (AAGL), da Associação de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo (SOGESP), da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO), da Sociedade Brasileira de Endometriose (SBE), da Sociedade Brasileira de Endoscopia Ginecológica e Endometriose (SOBENGE) e da Sociedade Brasileira de Reprodução Humana (SBRH).