Cuidados ginecológicos no verão: 9 para colocar em prática já!

08 de janeiro de 2019

|

O verão está aí – a estação mais aguardada e festejada do ano -, hora de colocar aquele biquíni ou maiô e curtir o sol em praias e piscinas, com família, namorado ou amigos, não é mesmo?

Durante este período, no entanto, muitas vezes, estamos longe de casa e do nosso médico de confiança; então, alerto as minhas pacientes que alguns cuidados devem ser redobrados para que a viagem tão esperada não se torne um pesadelo em algum pronto-socorro ginecológico (imagine a situação das mais aventureiras, em que um hospital está localizado a quilômetros de distância).

A seguir, descubra quais os principais cuidados ginecológicos no verão:

9 cuidados ginecológicos no verão

Troque o biquíni

A umidade é inimiga das mulheres no verão, pois o biquíni molhado favorece a proliferação de fungos e, com eles, a inconveniente presença de um corrimento esbranquiçado, grumoso, que causa coceira e irritação – a chamada candidíase vaginal. E como coça, só quem teve sabe o desconforto que é…

Então, quando for à praia ou piscina o ideal é desfilar biquínis. Isso mesmo: capriche na mala de verão e sempre troque a parte debaixo (viva à moda dos biquínis descombinados!) após entrar no mar ou mesmo após banhos de piscina.

Ao chegar em casa e ao dormir, evite o uso de calcinhas. Se puder, use vestido e camisola, bem levinhos, e deixe a região íntima ventilada.

Opte sempre pelas calcinhas de algodão ou pelo menos que tenham o fundo deste material. Lembrando que as peças devem ser muito bem higienizadas e secas.

Seque a calcinha

Dica importante: cuidado redobrado com quem mora ou está hospedado em apartamento durante a temporada e não tem onde secar adequadamente as roupas. Nestes casos é melhor levar o ferro de passar roupa e aquecer bem os forros até que sequem por completo.

Não lave ou deixe secar as calcinhas no banheiro, pois isso favorece o crescimento dos temidos fungos, que podem ser identificados com os pontinhos pretos no forro da peça íntima.

Uma dica incrível e simples é ter sempre um secador à mão para secar a região íntima externamente a com ar morno.

Xô, automedicação

Também evite a automedicação. Sei que recorremos à boa e velha farmácia em situações emergenciais (faz parte e ainda bem que elas existem para nos salvar), mas antes tente as medidas caseiras.a

Hidrate-se

Também não posso deixar de mencionar que devemos nos hidratar bastante durante este período. Priorize água, água de coco e sucos naturais e evite o excesso de bebidas alcoólicas. Açúcar em excesso também é o vilão da candidíase, sabia?

Hidratação e cuidados redobrados com quedas de pressão são importantes. Com o excesso de calor, os desmaios podem ser mais frequentes, principalmente à noite, portanto sempre se levante com cuidado: primeiro vire de lado, sente, fique em pé ao lado da cama e só então saia andando, ao invés de se levantar sair correndo de uma vez.

Não segure o xixi

Outra recomendação é não segurar a urina. Caso as relações sexuais se intensifiquem neste período (férias, né gente?) também é interessante sempre urinar um pouquinho logo após o ato. Namorou? Corre para o banheiro para fazer um xixi, higienize a região íntima e depois volte para ficar abraçadinha com seu amor. É um pouco inconveniente, admito, pode evitar a temida infecção urinária.

Limpeza delicada

Sempre lave suavemente a região vulvar. Evite esfregar em excesso para que não se retire a defesa natural da pele e mucosa. Nada de esponjas e buchas. Ah, os sabonetes íntimos são indicados com parcimônia, assim como os lenços umedecidos.

Lembre-se que, ao contrário do que nos ensinaram por aí, o cheiro natural da mulher não é desagradável, muito menos precisa ser disfarçado com produtos. Cheiros mais fortes merecem sua atenção e visita ao médico.

No banho utilize uma pequena quantidade de bicarbonato de sódio, aquele que vende no mercado mesmo, e, em casos de maior irritação, recomendo banho de assento com chá de camomila. Simples, não?

Passe repelente

Recados especiais para as gravidinhas, que vão desfilar a barriga por aí: não se esqueçam dos repelentes e, conforme o local de viagem, de checar o calendário vacinal, com atenção especial à febre amarela.

Cuidado com o sol

E muito, mas muito protetor solar e chapéu, pois o melasma, aquelas manchinhas do rosto, dificilmente desaparecem, mesmo após o término da gravidez e a realização e tratamentos específicos.

Evite os horários de pico do sol. E até mesmo opte por camisetas de manga comprida na praia. Agora é moda e ajuda na proteção.

Atenção à alimentação

Cuidados de alimentação também devem ser seguidos: alimentos leves e muito bem higienizados.

Evite alimentos crus e frituras em locais de procedência duvidosa, já que na gravidez estamos mais suscetíveis às doenças gastrointestinais.

Os textos, informações e opiniões publicadas nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Ativo Saúde

Patrícia Bretz

Patrícia Bretz

Dra. Patrícia Bretz é graduada em Medicina pela Universidade de Santo Amaro (2005) e tem especialização em Ginecologia e Obstetrícia pela mesma instituição (2006 - 2009). Ainda tem título de Especialista em Ginecologia e Obstetrícia (TEGO) número 0226/2010 e conta com aperfeiçoamento em Ginecologia Oncológica pelo Instituto Brasileiro de Controle do Câncer (2009 - 2011) e especialização em Endometriose e Cirurgia Minimamente Invasiva pelo Hospital Sírio Libanês. Por fim, é mestre em Bioética pela Universidade São Camilo (2010 –2012).