Contusão: o que é, causas, sintomas e o que fazer

Atualizado em 06 de fevereiro de 2019

|

Para os atletas amadores ou profissionais, é importante conhecer as lesões traumáticas nos esportes para que a prevenção seja possível.  A mais frequente é a contusão. Produzida por um objeto que atinge o corpo sem cortar a pele, ela acontece em todos os esportes, embora seja mais frequente naqueles de contato.

Causas de contusão

A contusão muscular ocorre por meio do impacto de algum objeto com o corpo. Pensando nas lutas, principalmente, consegue imaginar qual é o agente traumático mais comum como causa das contusões? Se enganou se pensou que são os adversários. A resposta é o solo, responsável por acolher o corpo que cai.

A contusão não é apenas uma “pancadinha” que dispensa maior atenção e não impede o treino. Embora na maioria das vezes produza sintomas por poucos dias, ela aumenta o risco de complicações após novos traumas na mesma região.

Sintomas

É possível saber que a contusão aconteceu pelo aumento de volume local (inchaço), coloração roxa no local do trauma e, claro, a dor que pode ou não ser incapacitante.

Você deve ter ouvido falar da incapacidade que uma contusão que atinge o tecido muscular adjacente (coxa e panturrilha, por exemplo) pode trazer. O sangramento do tecido rompido nessa situação é maior do que o roxinho dos traumas menores e é batizado de hematoma.

A função do músculo estará comprometida e também a articulação a qual ele participa na movimentação. Imagine a coxa e o comprometimento da função do joelho, por exemplo.

É evidente que nesse caso a contusão não é tão simples e exige atendimento e acompanhamento médico. O acúmulo de sangue que forma o hematoma pode precisar de uma pequena cirurgia para ser resolvido, eventualmente.

O que fazer?

Primeiro, deve-se estabelecer a gravidade do problema. Caso o incômodo seja intenso ou muito duradouro, vale buscar um médico para descartar causas mais graves, como luxações e fraturas.. Por meio de exames físicos e de imagens, ele obterá o diagnóstico preciso.

Se o problema parecer leve, coloque uma bolsa de gelo ou aplique um spray analgésico sobre o local. É uma maneira de resfriar rapidamente a região atingida, o que melhora muito a dor e permite continuar no esporte.

Além disso, o gelo diminui o sangramento que necessariamente ocorre, em maior ou menor quantidade. Isso interfere diretamente no tratamento e na rapidez com que a cura ocorre, além de acelerar o retorno às competições.

Como prevenir?

Quem nunca bateu o joelho no chão e ficou segundos preciosos sem fôlego, com dor que impedia o caminhar? É realmente melhor prevenir do que remediar.

Usar calção acolchoado para os goleiros, pisos macios (tatames) para as quedas inevitáveis, cotoveleiras, joelheiras e outros acessórios do gênero podem fazer a diferença.

Os textos, informações e opiniões publicadas nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Ativo Saúde

Ricardo Munir Nahas

Ricardo Munir Nahas

Ricardo Munir Nahas é ortopedista, médico do esporte e coordenador do Centro de Medicina do Exercício e do Esporte do Hospital Nove de Julho (SP).