Como driblar o alto consumo de chocolate na Páscoa?

17 de abril de 2019

|

A chegada das Páscoa traz consigo o consumo dos deliciosos ovos de chocolate e, como consequência, o descuido com o mantimento de uma alimentação saudável. Não é preciso resistir aos ovos de Páscoa, mas é importante consumi-los moderadamente. Entenda:

Chocolate faz bem?

Se o chocolate for de boa qualidade – ter alta concentração de cacau –, pode proporcionar benefícios para a saúde, como:

  • Diminuição do risco de diabetes tipo 2, por estimular a secreção de insulina pelas células beta pancreáticas;
  • Redução do colesterol ruim e aumento do colesterol bom, por possuir alta concentração de flavonoides;
  • Diminuição da progressão da doença aterosclerótica, pois suas propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias impedem a oxidação do colesterol ruim e seu depósito nas paredes das artérias;
  • Controla a pressão, por ter ação vasodilatadora;
  • Eleva a sensação de prazer, felicidade e paixão por possuir triptofano, aminoácido responsável por elevar os níveis de serotonina, dopamina e feniletilamina. Assim, auxilia na melhora do humor e na diminuição da ansiedade e estresse, beneficiando a saúde mental;
  • Melhora a aparência e evita o envelhecimento precoce da pele, devido os flavonoides e polifenóis;
  • Ajuda a saúde em geral por ser rico em nutrientes essenciais para o funcionamento do organismo, como magnésio, ferro, cromo, manganês, zinco, cobre, vitaminas B6, B3 e C, além de fibras.

É mito que o chocolate causa a acne, sendo essa reação devido os demais componentes como açúcares e derivados do leite.

Tipos de chocolate

Existem diversos tipo de chocolate e, para fazer boas escolhas, é importante entender a diferença entre cada um:

Amargo

É o que traz maior concentração de cacau puro (70 a 90% em sua composição). Por não conter leite, o chocolate amargo tem cor mais escura. Como o próprio nome diz, é amargo ao paladar, pois possui reduzido teor de açúcar.

Meio-amargo

Também é de cor bem escura, por não conter leite entre os ingredientes. Porém, é feito com apenas 40-50% de cacau. O sabor amargo é suavizado pela presença do açúcar.

Ao leite

Possui de 20% a 40% de cacau (incluindo a manteiga de cacau, que tem cor amarelo-clara), açúcar e leite.

Branco

Não possui massa de cacau na fórmula, por isso a cor clara. É feito à base de manteiga de cacau e outros ingredientes, como açúcar e leite. Não possui benefícios à saúde e é o tipo mais rico em gordura e açúcar.

Diet

Possui os mesmos ingredientes do tradicional chocolate ao leite, mas o açúcar é substituído por adoçantes. Para que o chocolate diet tenha consistência mais palatável, ao retirar o açúcar, adiciona-se gordura e, deste modo, agregam-se mais calorias.

Em todos os casos, moderação é a chave para a alimentação saudável. De acordo com a Organização Mundial Da Saúde (OMS), a recomendação é que sejam consumidos até 50 g de chocolate por dia, desde que ele tenha boa quantidade de cacau em sua composição (pelo menos 40%).

Dicas para não exagerar no chocolate na Páscoa

Algumas dicas para aproveitar os prazeres do consumo dos ovos de Páscoa e continuar sendo saudável:

  • Observar a qualidade do chocolate, preferindo o amargo, com maior quantidade de cacau e menor de açúcar, gordura e calorias;
  • Evitar os chocolates ao leite, branco, trufado, com recheios complexos, etc;
  • Evitar o consumo excessivo dos ovos de Páscoa, pois eles podem gerar sintomas, como diarreia, em crianças;
  • Preferir consumir chocolate junto com grandes refeições, como almoço ou jantar;
  • Pacientes com restrições, como diabetes tipo 2, devem optar por chocolate diet ou zero açúcar, porém consumir em menor quantidade devido à grande quantidade de gorduras;
  • Ganhou muitos ovos de chocolate? Divida com familiares e amigos ou presenteie alguém. Se conseguir se controlar, consuma pequenas porções no dia a dia;
  • Observar se o consumo do chocolate é apenas uma felicidade momentânea e o que isso pode causar em longo prazo;
  • Se exercitar mais.

Você pode comer chocolate o ano todo, então não precisa exagerar na Páscoa.

Os textos, informações e opiniões publicadas nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Ativo Saúde

Maria Fernanda Barca

Maria Fernanda Barca

Dra. Maria Fernanda Barca é doutora em endocrinologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), membro da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM) e da Sociedade Europeia de Endocrinologia (SEE).