SBOT promove campanha Bicicleta Segura

Atualizado em 16 de setembro de 2019

|

Só no ano passado, 11.741 brasileiros foram internados por se envolverem em acidentes com bicicleta, o que gerou custo de mais de R$ 14 milhões ao Sistema Único de Saúde. Infelizmente, não há dados sobre quantas dessas pessoas ficaram com sequelas irreparáveis, que muito provavelmente incluem traumas na cabeça, na coluna, nas pernas e nos braços com sérios reflexos em suas vidas, como afastamento do trabalho, perda da capacidade de realizar tarefas cotidianas simples, como até mesmo pedalar.

Por acreditar que todos podem conviver no trânsito – ciclistas, motoristas e pedestres –, a SBOT faz campanhas online e presenciais durante todo o mês de agosto para conscientizar e incentivar a população a pensar e agir com cidadania e segurança. Em comum, todas as peças publicitárias vão explorar o lado positivo de andar de bicicleta e terão como pano de fundo o atual avanço do uso da bicicleta em todo o País, que tem acontecido por diversos motivos, entre eles baixo custo, rapidez, praticidade, saúde e preocupação ambiental

Direitos e deveres de ciclistas

Acessórios exigidos por lei: buzina, espelho e adesivos refletores na frente, atrás, nas laterais e nos pedais da bicicleta.
Acessórios altamente recomendados, mas não obrigatórios: cotoveleira, joelheira e capacete.
Pedalar na calçada: só é permitido se houver sinalização autorizando o tráfego, caso contrário é preciso descer da bike e empurrá-la pela calçada.
Circulação na rua: o ciclista deve transitar perto das bordas da pista, sempre na mão dos carros, e nunca guiar de modo agressivo, por exemplo, no corredor dos carros ou costurando entre eles.
Respeitar o semáforo: o ciclista não se deve passar no sinal vermelho.
Pedalar alcoolizado: pode resultar em multa e até prisão.

Os textos, informações e opiniões publicadas nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Ativo Saúde

Moisés Cohen

Moisés Cohen

Dr. Moisés Cohen é presidente da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT), professor titular e chefe do Departamento de Ortopedia e Traumatologia da Unifesp, presidente da Sociedade Mundial de Artroscopia, Cirurgia do Joelho e Trauma Desportivo (ISAKOS) e diretor do Instituto Cohen de Ortopedia, Reabilitação e Medicina do Esporte. CRM 31.863