Anabolizantes: entenda efeitos e riscos em homens e mulheres

13 de dezembro de 2018

|

Você deve ter observado a quantidade de “corpos esculturais” atualmente na televisão, nas capas de revistas e até mesmo na rua. Mas, não se iluda. A maioria desses “deuses(as)” não são resultado de natureza, genética privilegiada ou horas na academia e dietas milagrosas. Muitos, utilizam um “atalho”, que é o uso de anabolizantes.

Efeitos no corpo

Atualmente, estas substâncias, podem ser sintetizadas em laboratório, sendo os esteroides androgênicos anabólicos, ou simplesmente “bombas”, derivados geralmente do hormônio testosterona, podendo ser administrados por via oral ou injetável.

Alguns atletas, tanto profissionais quanto recreacionais (“de academia”), utilizam essas substâncias com o objetivo de melhorar não apenas a performance, como também a sua força, quantidade de massa muscular e aparência física, resultados muitas vezes obtidos com êxito, porém às custas de efeitos colaterais e prejuízo à saúde.

Apesar desses efeitos maléficos, os anabolizantes não são por completo vilões e podem ser indicados por médicos em condições muito específicas, como para o tratamento de distúrbios endocrinológicos.

Efeitos colaterais dos anabolizantes

O uso exagerado e/ou sem acompanhamento especializado traz efeitos colaterais tanto para eles quanto para elas, tais como:

  • Queda de cabelo
  • Aumento de acne
  • Agressividade
  • Mau funcionamento e tumores no fígado e rins
  • Paranoia
  • Retenção de líquido
  • Coágulos no sangue
  • Aumento do risco de infarto
  • Derrame cerebral
  • Aumento da pressão e risco de enfermidades como hepatite e AIDS (quando as agulhas são compartilhadas)
  • Abscesso no local da injeção

Nas mulheres, especificamente, também pode haver:

  • Acne
  • Excesso de pelos
  • Calvície nas têmporas de padrão masculino
  • Aumento do clitóris
  • Redução dos seios
  • Engrossamento da voz (muitas vezes irreversível)
  • Alterações menstruais
  • Atrofia mamária

E especificamente nos homens há manifestações como:

  • Falência testicular
  • Queda na produção própria de testosterona
  • Queda na produção de espermatozoides
  • Atrofia testicular
  • Infertilidade
  • Aparecimento de mamas

Após parar de tomar anabolizantes, ambos os sexos podem sentir:

  • Fraqueza
  • Desânimo
  • Depressão

Se há tantos riscos assim, porque tantas pessoas utilizam?

A vigorexia, ou transtorno dismórfico muscular, é uma patologia emocional estimulada pela cultura do “corpo perfeito”. Ela é caracterizada por uma preocupação contínua com a forma, levando o indivíduo a prática intensiva e excessiva de exercícios físicos. Esse tipo de patologia também é conhecido como Síndrome de Adônis, anorexia reversa ou overtraining.

Portanto, usando anabolizantes se perde peso e gordura e adquire músculos perfeitos muito rápido, mas perde seu bem mais valioso: a saúde.

 

Os textos, informações e opiniões publicadas nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Ativo Saúde

Orlando Righesso Neto

Orlando Righesso Neto

Dr. Orlando Righesso Neto é ortopedista, membro titular da Sociedade Brasileira de Coluna (SBC) e coordenador da Comissão de Campanhas da Sociedade Brasileira de Coluna (SBC).