Cuidado para não se queimar nas festas juninas e julinas

05 de julho de 2019

|

A Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT) em parceria com a Sociedade Brasileira de Cirurgia da Mão (SBCM) e do Conselho Federal de Medicina (CFM), com o apoio do Ministério da Saúde e da Associação Médica Brasileira (AMB), fazem campanha para alertar sobre os riscos de acidentes e queimaduras durante as festas de junho e julho.

Nos últimos anos, uma em cada 10 pessoas teve um de seus membros superiores amputados em decorrência do uso incorreto dos artefatos. Dos cerca de 120 mortos nos últimos anos, mais de 24 eram crianças com menos de 14 anos de idade. Com base em dados alarmantes como esse, foi instituído em 6 de junho o Dia Nacional da Luta contra Queimaduras.

Atenta à importância desta causa, a Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT) lança uma campanha em todos os seus canais de comunicação para conscientizar a população.

O objetivo não é condenar, mas sim orientar e conscientizar sobre a uso e manuseio corretos dos explosivos e fogueiras por adultos e bombinhas e estalinhos por crianças.

Os principais problemas são a perda dos dedos e até da mão devido à explosão antecipada do artefato. Segundo o Sistema de Informação Hospitalar (SIM), nos últimos dez anos mais de 5 mil pessoas foram internadas para tratamento por acidentes com fogos de artifício. Os homens representam a maioria dos registros: 4.245 internações, ou seja, 83% do total de casos. As mulheres representam apenas 17% das ocorrências, com 853 internações.

A faixa etária predominante dos acidentados atendidos é de 19 a 59 anos, seguida por maiores de 60 anos e, em terceiro lugar, menores de 18. Em um recorte regional, o interior e o Nordeste são as regiões mais afetadas, sendo que a Bahia possui o maior número de casos, seguida por São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Paraíba, Paraná, Ceará, Goiás, Santa Catarina e, em décimo lugar, Pará.

Os textos, informações e opiniões publicadas nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Ativo Saúde

Moisés Cohen

Moisés Cohen

Dr. Moisés Cohen é presidente da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT), professor titular e chefe do Departamento de Ortopedia e Traumatologia da Unifesp, presidente da Sociedade Mundial de Artroscopia, Cirurgia do Joelho e Trauma Desportivo (ISAKOS) e diretor do Instituto Cohen de Ortopedia, Reabilitação e Medicina do Esporte. CRM 31.863