As dietas milagrosas e os perigos da falta de acompanhamento nutricional

27 de dezembro de 2017

|

POR Redação

A preocupação com o próprio peso é constante, mas se intensifica ainda mais em dezembro, quando surgem as promessas de ano novo e, entre elas, a clássica “vou começar uma dieta”. Até aí nenhum problema.

O perigo está mesmo no momento em que as pessoas, ansiosas por resultados na balança, recorrem às chamadas dietas milagrosas, que prometem perda de peso rápida e se baseiam em rotinas alimentares inadequadas.

E o grande problema está justamente aí: não existem milagres e nem almoço grátis, o que significa que não é possível perder peso tão rápido e com saúde. Por isso, muitos batem na tecla: é preciso fazer dietas com acompanhamento profissional.

Não é chatice e nem “papo de nutricionista”. A chave para alcançar as mudanças desejadas está justamente na reeducação alimentar, e muitas vezes a perda de peso não acontece tão rapidamente quanto nas dietas milagrosas — ou malucas, como também gostam de chamar.

Mas afinal, onde exatamente está o perigo? Descubra abaixo

Real perigo das dietas milagrosas

O perigo principal de dietas milagrosas, que são feitas sem acompanhamento nutricional, está na forma pela qual o metabolismo da pessoa que a pratica pode ficar desregulado.

Isso acontece especialmente em dietas com baixa quantidade de calorias, que condicionam o corpo a comer menos do que você deveria. Esta mudança pode causar o efeito contrário ao desejado: com a diminuição da taxa metabólica basal (mínimo de calorias que o organismo precisa para sobreviver em repouso), a perda de peso torna-se cada vez mais complicada.

Desta forma, o organismo entende que precisa poupar energia, pois a demanda energética é muito baixa. Em outras palavras: comer pouco não significa que você vá necessariamente perder peso.

Dietas sem carboidrato

Outro erro muito comum nas dietas de emagrecimento radicais está na retirada parcial ou até mesmo total do carboidrato da dieta, achando que tirar esse substrato da dieta os problemas serão solucionados.

Acontece que o carboidrato é a principal fonte de energia do organismo. Sem ele, temos que buscar essa energia de outra forma — e quase sempre ela será retirada da nossa massa esquelética, acelerando o catabolismo muscular e a perda de massa magra, e não da gorda (que, afinal de contas, é o objetivo de toda dieta que visa perder peso).

Nas dietas sem carboidratos ocorre outro processo devastador ao organismo, que é a formação de cetose — um processo de catabolismo que ocorre quando o fígado usa depósitos de gordura como fonte de energia.

A cetose ocorre quando não há ingestão suficiente de glicose. Se por um lado dizem que a cetose promove mais resistência aos músculos, por outro a sua alta concentração no organismo faz com que a produção de radicais livres se intensifique.

No longo prazo, isso pode deixar o corpo suscetível a uma série de doenças crônicas, incluindo o câncer.

Portanto, antes de pensar em começar qualquer dieta, é fundamental procurar sempre um profissional da área da nutrição para que ele possa lhe orientar da melhor forma, sem que sua saúde seja prejudicada.

Lembre-se de que seu organismo não é uma “montanha russa”. Ele precisa de regularidade para funcionar de uma forma mais harmoniosa, e é justamente por isso que dietas milagrosas, que prometem benefícios rapidamente por meio de mudanças radicais e planos alimentares restritivos, não funcionam.