Dieta Detox: o que dizem os que são contra?

01 de agosto de 2017

|

POR Lucas Coelho

A ideia de limpar o corpo rapidamente de todas as substâncias que nos fazem mal, melhorando a disposição, a pele, o cabelo e até a libido, é tentadora. A dieta de desintoxicação, conhecida popularmente como Dieta Detox, promete justamente isso: causar uma guinada no organismo para que a pessoa saia do programa desinchada e revigorada.

Todos já ouvimos falar dessa dieta em algum ponto de nossas vidas, de seus shakes, sopas e sucos que nem sempre agradam o paladar, mas que, em tese, fariam maravilhas com a saúde. Mas será que é tão fácil assim fazer um detox no nosso corpo?

Conversamos com alguns especialistas para entender exatamente como funciona a dieta. As nossas descobertas você pode conferir logo abaixo:

O que é a Dieta Detox?

A Dieta Detox é um programa de curtíssimo prazo, que dura no máximo uma semana e que deve ser seguido à risca para que os resultados sejam alcançados. Nela, utiliza-se alimentos frescos, sem conservantes ou corantes, para preparar refeições frescas todos os dias.

O objetivo é eliminar do corpo as toxinas provenientes dos produtos químicos utilizados nas comidas industrializadas e reequilibrar os níveis hormonais, além de reduzir a ingestão de açúcar, glúten, sódio, lactose, álcool e carne vermelha durante o período.

Entre os resultados prometidos a quem segue direitinho a Dieta Detox estão:

  • Diminuição do peso, especialmente das gorduras localizadas;
  • Menor retenção de líquidos;
  • Maior hidratação;
  • Melhora dos níveis de vitaminas e minerais presentes em verduras, legumes e frutas;
  • Boa presença de fibras, importantes no funcionamento correto do intestino;
  • Maior quantidade de antioxidantes no corpo.

Existem muitas variações de planos Detox e eles são bastante utilizados especialmente após períodos festivos quando comemos e bebemos mais do que o normal, como Natal, Carnaval e Réveillon. Além disso, as pessoas também realizam a desintoxicação como forma de preparar o organismo para uma dieta de longo prazo.

A Dieta Detox também é procurada por quem sofre de fadiga crônica, problemas de fígado, inchaço, tensão pré-menstrual (TPM), enxaqueca, insônia e problemas semelhantes. Até certo ponto, ela oferece resultados satisfatórios, mas é preciso conhecer suas nuances e limites.

Primeira fase

O começo da Dieta Detox é quase sempre encarado como o momento mais difícil de toda a dieta, pois a recomendação é a ingestão somente de líquidos por dois dias. Isso serve para dar um descanso ao corpo, poupando-o da digestão demorada dos alimentos sólidos.

Nessa fase, o ideal é tomar muita água e sucos, preferencialmente em intervalos de duas horas.

Entre as opções de sucos estão o de uva integral sem açúcar, de manga, de cranberry, de clorofila, além dos famosos sucos detox (por exemplo: beterraba com maçã e aipo).

Também pode-se consumir leite de amêndoas, chás (verde, boldo, dente de leão, alcachofra, carqueja, camomila, melissa e capim limão, entre outros) e sopas variadas (como de legumes, creme de abóbora com brócolis e tomate com manjericão).

Segunda fase

Após as primeiras 48 horas, as opções de comida se tornam um pouco mais abrangentes. Para quem for seguir com a Dieta Detox por mais cinco dias (completando uma semana), já é permitido comer carnes de peixes e frangos, grelhadas ou cozidas, arroz integral e saladas variadas.

A nutricionista Adriana Ávila enviou ao Ativo Saúde uma exemplo de plano alimentar da Dieta Detox. Observe e veja se você se adequaria a esse cardápio. Mas lembre-se: antes de começar qualquer dieta, ainda mais uma dieta que se resume a dois dias a base somente de líquido, é imprescindível se consultar com um nutricionista.

Ainda que cada dieta tenha suas especificidades, somente um especialista pode indicar o cardápio ideal para o seu organismo e suas necessidades energéticas. Por isso, o plano alimentar abaixo é somente um exemplo para você ver como a Dieta Detox funciona na prática.

Exemplo da Dieta Detox na prática

Fase 2 da Dieta Detox

Café da manhã

  • ½ xícara de chá de salada de frutas vermelhas picadas (escolher entre morango, goji berry, mirtilo, amora, framboesa, cranberry, ameixa, cereja fresca, jabuticaba ou uva rosada);
  • 1 copo de iogurte natural sem lactose;
  • ½ xícara de chá de granola sem glúten;

Lanche matinal

  • Mix de oleaginosas: 1 castanha do pará + 1 noz + 2 castanhas de caju sem sal + 1 amêndoa sem sal;
  • Frutas secas: 2 unidades de damasco, ameixas pretas ou tâmaras;

Almoço

  • Salada de tomate (3 rodelas) com cenoura crua ralada (2 colheres de sopa) e azeite de oliva extravirgem;
  • 3 colheres de sopa de arroz de brócolis;
  • 1 porção de 100 g de filé de frango grelhado;
  • 2 colheres de sopa de vagem cozida;

Lanche da tarde

  • 1 copo de iogurte natural sem lactose com canela em pó (1 colher de chá);
  • Oleaginosa picada: 2 colheres de sopa de nozes, castanhas de caju sem sal ou amêndoas sem sal;

Jantar

  • Salada verde crua (mix com 3 tipos diferentes de folhas verdes claras, verdes escuras e roxas) com azeite de oliva extravirgem à vontade;
  • 3 colheres de sopa de purê sem leite (batata inglesa, batata-doce, inhame, cará, mandioca ou mandioquinha);
  • 1 porção de 100 g de filé de peixe grelhado;

Lanche da noite

  • Chá de gengibre;

Muito cuidado!

A Dieta Detox é um programa de desintoxicação extremo. Apesar de geralmente durar apenas uma semana, muitos estudos questionam a efetividade da dieta no longo prazo e apontam inclusive malefícios à saúde se ela for feita de forma recorrente.

A primeira questão é o efeito diurético. Com a alta ingestão de líquidos, obviamente a produção de urina é bem maior. Se o volume for elevado demais, porém, o corpo pode acabar perdendo potássio e os músculos passarão a sofrer câimbras.

Os sucos também precisam ser cuidadosamente escolhidos. Em razão da presença da frutose (o açúcar natural das frutas), se forem utilizadas muitas frutas com alto índice glicêmico – como laranja e a melancia – a sensação de fome irá persistir.

Isso acontece porque a frutose, diferentemente da glicose, não estimula a liberação de um hormônio chamado leptina, que é importante para a sensação de saciedade. Assim, você continuará com vontade de comer, mesmo com uma concentração de açúcar alta no corpo.

Frutose demais no organismo sobrecarrega o fígado, que acaba produzindo mais gordura para estoque e, por isso, acaba fazendo a pessoa engordar.

Adriana atenta também para o pequeno consumo de calorias durante a dieta. “Se for baixo demais, o indivíduo pode sofrer de mal-estar, fraqueza, tontura e indisposição, entre outros sintomas. Por isso, não é recomendado fazer exercícios durante o programa.”

A relação entre a Dieta Detox e o ácido oxálico

Uma pesquisa realizada na Alemanha mostra que 250 ml de alguma bebida com função detox excede a dose diária recomendada de ácido oxálico (que tem efeito tóxico em pacientes com disfunções renais, por exemplo). De acordo com os registros científicos, houve um aumento significativo de casos diagnosticados com cálculos renais (pedras nos rins) entre 2005 e 2013 na população alemã.

A pesquisa concluiu que parte disso é culpa do consumo excessivo de alimentos ricos em ácido oxálico, como vegetais crus. A diferença é que em uma dieta detox o ácido oxálico está muito mais concentrado do que, por exemplo, em uma salada.

Além disso, o relatório identifica riscos para a saúde decorrentes do consumo excessivo de vegetais crus. Quando o alimento é cozido, ele reduz significadamente o teor de ácido oxálico (entre 30 e 87%, aproximadamente).

Entre os riscos adicionais, a deficiência de cálcio e ferro são comuns na dieta detox. A outra possível complicação é a utilização de ingredientes errados, como o nitrato — também presente em vegetais e que pode causas problemas intestinais e dificuldades na absorção dos nutrientes trazidos pelos alimentos.

Por essa razão, é sempre aconselhável consultar um especialista, como um nutricionista ou um nutrólogo, ou ainda um médico específico para cada situação, e investir em um programa de nutrição que ajudará a perder peso ou desinchar de forma saudável e natural.

Contraindicações

De acordo com Adriana Ávila, a desintoxicação é contraindicada para os seguintes casos:

  • Gestantes;
  • Mulheres que estão amamentando;
  • Pessoas com diabetes;
  • Pessoas com problemas de estômago ou de intestino;
  • Pacientes que estejam sendo submetidos a quimioterapia, radioterapia, terapia com corticoides, imunossupressores ou imunoglobulinas.

A lista é extensa, mas pode ser ainda maior se levarmos em conta pessoas que naturalmente não podem deixar de comer alguns alimentos para produzirem a quantidade diária de energia de que necessitam.

A própria nutricionista admite: “não recomendo a Dieta Detox a meus pacientes. O que procuro fazer é trabalhar o máximo possível com alimentos frescos, usando industrializados somente da melhor qualidade. Já a restrição de glúten ou lactose só deve ser feita mediante comprovação de intolerância”, explica.

Conclusão

É por esses e outros motivos semelhantes que a Dieta Detox é recomendada por um período curto — e com ressalvas. Ela pode até apresentar um resultado satisfatório de início, eliminando alguns quilos rapidamente, mas é uma medida extrema e com lacunas nutricionais que nem todo mundo pode seguir.

Antes de embarcar em qualquer Dieta Detox que tem por aí, é preciso consultar um nutricionista, pois somente um especialista poderá afirmar com certeza o que seu corpo precisa e adaptar o cardápio às suas necessidades reais.