Dieta da Nasa (Pronokal) para emagrecer: como funciona, riscos e preço

30 de agosto de 2018

|

POR Lucas Coelho

Dieta Pronokal, também conhecida como “dieta da Nasa”, é um plano alimentar de perda de peso sob controle, com baixíssimo valor calórico e com foco na ingestão de proteínas. Substituindo alimentos por sachês, a promessa é de emagrecimento rápido.

Fundamentalmente, a dieta Pronokal é uma dieta cetogênica, que procura diminuir a ingestão de carboidratos de modo a encorajar o corpo a entrar no estado de cetose, no qual passa a queimar gordura para conseguir a energia necessária para as atividades diárias. Assim, o resultado é a rápida perda de peso. Saiba mais:

O que é dieta da Nasa?

 

sachês

Syda Productions/Shutterstock

A dieta Pronokal, portanto, é uma dieta cetogênica específica. Desenvolvida pela empresa espanhola de mesmo nome no início dos anos 2000, ela tem feito sucesso ao redor do mundo por conta de seus resultados comprovados para o emagrecimento.

Esse regime só pode ser adquirido com receitas fornecidas por médicos licenciados pela companhia. No entanto, as discussões em relação à Pronokal e outras dietas do tipo giram em torno da sua eficácia em reeducar os hábitos alimentares das pessoas e os riscos à saúde.

No Brasil, a dieta ficou conhecida especialmente após o cantor sertanejo Luciano, da dupla Zezé de Camargo & Luciano, ter emagrecido substancialmente seguindo o programa. O músico perdeu aproximadamente 30 kg durante o processo.

Porque é conhecida como “dieta da Nasa”?

O termo “dieta da Nasa” pode enganar bastante gente, pois não há ligação nenhuma entre este programa alimentar e a agência do governo estadunidense responsável por pesquisa e desenvolvimento de tecnologias para programas de exploração espacial. Portanto, o ideal é tratar esta dieta pelo seu nome oficial, Pronokal, pois ela não é endossada pela Nasa.

Esse apelido se deve ao fato de que a proposta é semelhante aos produtos consumidos pelos astronautas no espaço. Ao invés de alimentos de verdade, como conhecemos, as refeições são liofilizadas ou desidratadas, ou seja, vêm em sachês que precisam ser diluídos em água e/ou aquecidos para se tornarem o alimento pronto. É algo muito parecido com uma ração humana.

Como funciona a dieta Pronokal?

A dieta Pronokal é dividida em três etapas principais e cada uma delas se divide em fases que se diferenciam pela introdução ou substituição de alimentos. Ao todo, são oito fases.

Fase Ativa

Esta primeira fase tem como objetivo fazer o paciente entrar no estado de cetose e queimar a maior parte da gordura indesejada. Segundo o site oficial da Pronokal, até 80% do peso que se pretende perder irá embora neste primeiro momento. Esta fase pode ser considerada a mais extrema, pois é quase totalmente composta pelos sachês. A duração depende de quantos quilos a pessoa pretende perder.

Fase de Adaptação

Na segunda etapa, o restante do peso pretendido será perdido enquanto os alimentos reais são incorporados pouco a pouco ao cardápio. A ideia é ajudar o organismo a se adaptar fisiologicamente, com a pessoa saindo do estado de cetose e restabelecendo os níveis normais de hormônios e metabolismo.

Fase de Manutenção

Como o nome diz, a ideia é manter o peso atingido. A dieta estabelece uma quantidade que pode ser ingerida para cada grupo de alimentos, mas a pessoa está livre para comer o que preferir — apesar de a empresa também vender o que chama de “produtos de manutenção”. Por dois anos, será possível ter acesso a um suporte de especialistas da Pronokal via telefone ou online.

Diferença para as outras dietas

Comparada a outras dietas cetogênicas, a diferença da Pronokal está no foco em um consumo elevado de proteínas em relação aos outros dois macronutrientes, gorduras e carboidratos. Apesar de outros regimes que buscam a cetose também cortarem substancialmente os carboidratos, eles normalmente encorajam um consumo maior de gordura.

Quando comparada às outras dietas em geral, a diferença gritante é justamente o fato de que, ao invés de comer alimentos normais — como frutas e legumes e preparações como arroz, bife acebolado, feijão, etc —, a alimentação é por comida em pó que precisa ser reconstituída com água para que você possa engoli-la.

Pronokal emagrece mesmo?

 

balança e fita métrica

279photo Studio/Shutterstock

Assim como qualquer dieta que fornece menos calorias do que a pessoa precisa diariamente, se seguida à risca, provavelmente resultará na perda de peso.

Contudo, o método não é recomendado para pessoas que não estão notadamente acima do peso ou obesas.

Vantagens

Além do emagrecimento rápido, a principal vantagem específica da dieta da Pronokal é o suporte fornecido pela empresa durante o processo.

Antes de qualquer coisa o paciente precisa passar por uma avaliação médica com um especialista treinado e certificado pela empresa, o qual irá fornecer a receita para que os produtos possam ser adquiridos. Ainda por cima, o acompanhamento médico se mantém durante a dieta.

Desvantagens

“A questão é que esta dieta não educa a pessoa a comer saudavelmente, o que possivelmente não levará a uma mudança de comportamento alimentar”, diz a nutricionista Camilla Borba, do Polo de Atenção Intensiva em Saúde Mental do Complexo Hospitalar do Mandaquí, em São Paulo.

Apesar do acompanhamento por até dois anos oferecido pela empresa — por site ou telefone —, o receio é que posteriormente possa acontecer o reganho de peso quando a pessoa retornar à alimentação normal, sem supervisão.

Ainda segundo Camilla, uma dieta que impede a pessoa de sentir prazer com cheiros, sabores, texturas e cores dos alimentos de verdade não é muito vantajosa. “A alimentação também deve ser reflexo de prazer”, afirma.

Outra preocupação é em relação à liofilização ou desidratação que permite que o alimento possa ser armazenado na forma de pó em pacotes que aumentam a sua validade. Essa é a principal razão pela qual os astronautas fazem uso deste tipo de comida nas viagens espaciais, pois eles não têm a possibilidade de produzir alimentos frescos e terem uma dieta mais saudável.

“Na vida real, quem consegue comer desta forma?”, questiona a especialista. “É por este motivo que não acho viável. Precisamos saber comer, e não encontrar alternativas fantasiosas. Não existem estudos científicos confiáveis e com metodologia de ponta que comprovem a eficiência deste estilo alimentar, e nem que comprovem sua relação com o efetivo emagrecimento”, ressalta.

A Pronokal foge do padrão de alimentação natural, sendo monótona — por se basear em sachês — e restritiva. “Além disso, na composição desses pós também podem ter grandes quantidades de aditivos, bem como, conservantes, corantes, acidulantes e adoçantes, alerta a profissional.

Riscos da dieta da Nasa

 

desnutrição

VGstockstudio/Shutterstock

A ingestão elevada de proteínas e a diminuição intensa, ou ausência, de carboidratos faz com que o organismo inicie o processo de cetose. Ou seja, o corpo é obrigado a metabolizar as reservas de gordura para obter a energia que não foi obtida por meio da glicose que viria dos carboidratos.

“Este processo pode causar um aumento do PH sanguíneo, com a possibilidade de gerar uma acidose metabólica, algo ruim para o nosso organismo”, alerta a nutricionista, “com sintomas como náuseas, dores de cabeça, vômitos, mau hálito e desnutrição.”

Contraindicações

A dieta da Nasa não deve ser feita de maneira alguma por gestantes, lactantes, crianças, adolescentes e idosos, pois estes grupos têm necessidades nutricionais específicas.

Quem sofre de diabetes, anemia, transtornos alimentares, doenças renais e hepáticas, dentre outras, também precisa evitar este regime sob o risco de gerar descontroles fisiológicos graves.

Cardápio

Não há muito o que sugerir de cardápio. Apenas saiba que os cafés da manhã e lanches entre almoço e janta consistem apenas em sachês na primeira fase da dieta.

No almoço e na janta, é permitido comer uma porção de vegetais pouco calóricos e, por vezes, uma fruta.

Onde comprar

O site oficial da Pronokal no Brasil disponibiliza os produtos e os agendamentos com médicos credenciados.

Preço

A dieta da Nasa tem um preço salgado. Você irá gastar no mínimo R$ 2 mil com os kits do programa alimentar, mas as consultas com o médico e diversos sachês adicionais aumentam o valor.

 

 

Fontes

Nutricionista Camilla Borba, do Polo de Atenção Intensiva em Saúde Mental do Complexo Hospitalar do Mandaquí, em São Paulo / CRN 53483/P