Água com limão: benefícios e como ajuda a emagrecer

14 de janeiro de 2019

|

POR

A água com limão se consolidou como uma bebida de baixo teor calórico para as refeições principais, mas se popularizou mesmo pelo poder emagrecedor. Conheça seus benefícios e entenda se ela realmente ajuda a perder peso.

Afinal, água com limão emagrece?

Não existem evidências científicas ou clínicas que comprovem que água com limão emagrece, porém sabe-se que os benefícios da fruta, quando aproveitados de forma adequada, são capazes de favorecer a perda de peso.

Ainda assim, a bebida não é milagrosa e, portanto, não promove o emagrecimento por si só, sendo necessário associar seu consumo a práticas saudáveis, como atividades físicas regulares e alimentação balanceada.

Benefícios da água com limão

Hidrata

A melhor maneira de manter o organismo hidratado é ingerindo água, mas algumas pessoas não gostam ou não se sentem incentivadas em bebê-la pura. Assim, a adição do limão é uma estratégia para melhorar o sabor e promover o consumo.

Vitamina C

O limão é rico em vitamina C, um antioxidante que combate os radicais livres, que são estruturas que danificam células saudáveis e promovem doenças cardiovasculares, câncer e envelhecimento precoce.

De acordo com o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, o suco de um limão fornece cerca de 18,6 miligramas de vitamina C. A quantidade diária recomendada para adultos é de 65 a 90 miligramas.

Emagrece

Os compostos antioxidantes do limão compensam altos níveis de glicose no sangue e ainda melhoram a resistência à insulina, o que pode contribuir positivamente para a perda de peso

Além disso, a água em si gera saciedade, o que também evitar exagerar nas refeições.

Para a pele

A vitamina C do limão combate o envelhecimento precoce, o que faz diferença no enrugamento e na aparência da pele. Um estudo publicado no periódico Food Chemistry em 2016 constatou que bebidas à base de frutas cítricas preveniam o aparecimento de rugas em camundongos sem pelos.

Para digestão

Beber água com limão pode ser benéfico ao sistema digestivo, prevenindo prisão de ventre.

Combate pedra no rim

O ácido cítrico nos limões pode ajudar a evitar pedras nos rins, visto que torna a urina menos ácida e, deste modo, pode destruir pequenos cálculos.

Como consumir

 

Água com limão.

Barbara Dudzinska/ShutterStock

A água com limão pode ser consumida durante o dia todo, mas seus efeitos são ainda melhores quando ingerida de manhã ou antes das principais refeições.

Tem de ser em jejum?

Relatos mostram que, em jejum, um copo com água e algumas gotas de limão ajuda a manter o equilíbrio do ambiente ácido do estômago, evitando a superprodução de ácido gástrico, para daí iniciar a alimentação do dia.

Água morna ou em temperatura ambiente?

A água morna é preferível, já que acelera o funcionamento do intestino e tem efeito potencializado pela mistura com a fruta.

Como fazer?

Há duas formas de fazer água com limão.

Para consumo em jejum: consiste em espremer meio limão em um copo e completá-lo com água morna. Depois, beber a mistura e esperar 30 minutos para fazer a primeira refeição do dia. Pode-se também adicionar gengibre, mel e outras especiarias, dependendo da preferência.

Para consumo ao longo do dia: corte um limão em rodelas e coloque-o em uma garrafa com água. Beba durante o dia.

Quanto tomar?

É importante destacar que nada em excesso é saudável. Portanto, recomenda-se consumir apenas duas unidades de limão por dia.

Além disso, é preciso ter bastante cuidado quando for espremer a fruta, pois a pele em contato com seu suco pode sofrer manchas e queimaduras.

Pode fazer mal?

Se consumida em excesso, a água com limão pode levar a:

Quem não deve tomar?

Pessoas com sensibilidade ao ácido cítrico ou com queixas gástricas não devem consumir a mistura. Dessa forma, também não é aconselhável para portadores de gastrite.

Ou seja, pequenas quantidades de água com limão não apresentarão malefícios à saúde. Apenas se consumida em excesso pode ser prejudicial, por conta de sua acidez.

 

Fontes

Gastrocirurgião e endoscopista Eduardo Grecco, do Instituto EndoVitta – CRM 97960

Departamento de Agricultura dos Estados Unidos. National Nutrient Database for Standard Reference Legacy Release. Disponível em: ndb.nal.usda.gov/ndb/foods/show/09152