Tipos de uva: os melhores para vinhos e benefícios

01 de fevereiro de 2018 ● POR Lucas Coelho

É difícil encontrar quem não goste de uva. Você pode até ter uma preferência por “aquela roxa, bem doce”, a verde mais “gordinha”, ou a sem caroço “que é mais fácil de comer”, mas é fato que ela faz um sucesso danado no mundo inteiro por ser saborosa e fácil de comer — e são tantos os tipos de uva que nem do gosto dá para enjoar.

Com a fruta, você pode fazer vinhos, drinks, sobremesas, geleias e mais o que a sua imaginação permitir. Além de práticas, as receitas ficam uma delícia e podem ser muito saudáveis, principalmente quando levamos em conta os diversos benefícios da uva.

Quantos tipos de uva existem?

Não se preocupe em saber quantos tipos de uva existem, pois, segundo a nutricionista Rosana Farah, estima-se que haja mais de 8 mil variedades da fruta espalhadas mundo a fora, “sendo 60% destinadas à vinicultura” — para produção de vinhos.

Ou seja, mais da metade você com certeza não irá encontrar como opção para comer. “As que consumimos no dia a dia são conhecidas como ‘uvas de mesa’, e são normalmente mais doces”, diz Rosana.

Quais são os melhores tipos de uva para vinho?

Quem entende do assunto costuma dizer que para se ter um bom vinho, primeiro é preciso ter uma boa uva. E existem vários tipos que são usados especificamente para este fim. Conheça abaixo os principais e melhores variedades da uva para produção de vinhos:

  • Carbernet Sauvignon (a mais conhecida);
  • Carménère;
  • Chardonney;
  • Malbec;
  • Merlot;
  • Pinot Noir;
  • Semillón;
  • Tempranillo;
  • Syrah;
  • Tannat;
  • Sangiovese;
  • Sauvignon Blanc.

Quais as uvas brasileiras mais comuns?

De acordo com a nutricionista e membro do Conselho Regional de Nutricionistas – 3ª Região (CRN-3), Rosana Farah, as variedades de uva mais cultivadas no Brasil são as de Vitis labrusca, uma videira que dá uvas conhecidas como rústicas.

“Elas também são identificadas como ‘uvas de chupar’ por serem mais delicadas, com polpas mais consistentes que se desprendem facilmente da casca”. Para os mais leigos, estas geralmente são aquelas uvas roxas escuras, um pouco menores e bem docinhas.

Apesar de não ser a mais cultivada no país, talvez a uva mais consumida em solo brasileiro seja a Uva Itália. Originada justamente no país do sul da Europa, ela tem casca verde-clara ou levemente amarelada.

Com sementes, polpa crocante e textura consistente, é a de mais fácil comercialização por ser mais resistente, “se machucando” pouco e mantendo suas características por mais tempo.

A Uva Itália, também chamada de Rainha Itália, é muito utilizada para incrementar molhos salgados, saladas e tortas doces. É geralmente a uva que utilizamos com uma fondue de chocolate, ou em receitas de brigadeiro, por exemplo.

Também fazem bastante sucesso por aqui as uvas Thompson e Crimson, as famosas uvas sem caroço. Apesar de serem deliciosas e fáceis de comer, podem não ser as opções mais nutritivas, por motivos que explicaremos abaixo.

Os inúmeros benefícios das uvas

Os benefícios nutricionais das uvas são geralmente parecidos, com algumas variações de acordo com cada tipo. Por exemplo, as uvas de cor escura têm uma concentração de nutrientes diferentes das mais claras, mas podemos dizer que a uva em si, independentemente da variedade, é uma fruta muito rica em antioxidantes, fibras e resveratrol.

O resveratrol é uma substância bastante benéfica para a saúde humana. “Ele torna a uva uma grande aliada no combate e na prevenção de doenças cardiovasculares, além de ajudar na circulação sanguínea e a diminuir o colesterol ruim”, salienta Rosana.

Aproveite os benefícios da casca da uva

Além disso, estudos recentes indicam que a casca da uva ajuda na proteção imunológica e reduz a formação de radicais livres, que são moléculas que podem estar ligadas ao desenvolvimento de câncer no corpo.

A nutricionista lembra que, para aproveitar ao máximo os benefícios da uva, é importante consumi-las inteiras. “As bagas podem ser ingeridas com casca e sementes, pois são essas partes que concentram a maior parte dos nutrientes”. Portanto, as uvas sem sementes não são tão nutritivas, apesar de continuarem sendo saudáveis.

Para Rosana, a recomendação diária de consumo de uvas seria em torno de dez unidades, ou um copo de 200 ml de suco da fruta. Essa quantidade seria suficiente para tirar proveito de todas as suas vantagens nutricionais.

Existem contraindicações para consumir uvas?

Por ser muito doce – são aproximadamente 16 gramas de açúcar para cada 100 gramas de fruta –, o consumo em excesso de uvas não é recomendado para quem sofre ou tem tendência a diabetes.

Para estes indivíduos, ou até para quem está no meio de algum programa de perda de peso, a quantidade de consumo da fruta deve ser mínima ou limitada – mas sempre de acordo com a recomendação do nutricionista responsável.

Dica de receita com uva

A nutricionista Rosana Farah recomendou ao Ativo Saúde uma receita saudável que você pode preparar utilizando as uvas juntamente com outras frutas. Confira abaixo:

Receita de frutas com ganache

Ingredientes

  • 1 lata de creme de leite light;
  • 160 g de chocolate meio amargo;
  • 1/2 colher de chá de gengibre ralado ou em pó;
  • 2 morangos picados;
  • 2 kiwis picados;
  • Algumas uvas de sua escolha – prefira a Uva Itália ou as sem caroço – picadas e sem as sementes;
  • Raspas de limão à gosto.

Modo de preparo

Aqueça o chocolate em banho-maria – lembre-se de não encostar a panela de cima na água aquecida e de não deixar a água chegar ao ponto de ebulição – e acrescente o creme de leite light, sempre mexendo para deixar bastante homogêneo. Misture o gengibre e as raspas de limão e deixe esfriar.

Depois, basta colocar as frutas cortadas no recipiente que for servir e despejar a ganache por cima. Está pronto um prato simples, doce, gostoso e saudável. É sempre bom lembrar, porém, que não se deve abusar da quantidade de chocolate amargo.

Valor calórico total desta receita:  aproximadamente 1300 kcal