Shitake: propriedades, como fazer, receitas e mais sobre o cogumelo

Atualizado em 28 de junho de 2019

|

Shitake é um dos fungos comestíveis mais consumidos no Brasil e no mundo. Segundo dados da Associação Nacional de Produtores de Cogumelos, a espécie representa 12% do total de cogumelos naturais produzidos por aqui.

Entre suas propriedades, se destacam agentes antibacterianos e virais que melhoram as defesas do organismo. Além disso, os antioxidantes proporcionam ajuda extra na hora de combater o envelhecimento precoce e o aparecimento de doenças cardiovasculares.

Veja mais informações sobre shitake, seus principais benefícios e receitas para incluí-lo na alimentação de forma equilibrada.

O que é shitake?

Shitake é um fungo comestível nativo do leste da Ásia que tem o nome científico de Lentinula edodes. Trata-se da segunda espécie mais consumida no mundo.

“Apesar de ter características nutricionais similares, ele não é um legume, mas um fungo aeróbio, decompositor da madeira, que pode ser encontrado facilmente em florestas asiáticas”, explica o nutricionista Daniel Barreto de Melo, do Meniá Centro de Prevenção. “No entanto, exemplares encontrados ao natural não são seguros para o consumo”, alerta.

Shitake x shimeji: qual é a diferença?

No quesito nutricional, tanto shimeji quanto shitake são muito parecidos. No entanto, quando o assunto é o sabor, o segundo costuma apresentar gosto mais forte e acentuado e o shimeji pode ser mais apreciado por quem tem preferências mais sutis.

Lista de propriedades

Segundo dados do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), uma xícara de chá do cogumelo shitake fresco (100 g) contém:

  • 2,35 g de proteínas
  • 7 g de carboidratos
  • 2,4 g de fibras
  • 1 g de zinco
  • 0,2 mg de vitamina B2
  • 0,4 mcg (18 UI) de vitamina D

Tipos

Ao menos no Brasil, só existe um tipo de shitake, o de coloração castanho-escura no chapéu. Ele tem sabor intenso e levemente amadeirado.

Benefícios do shitake

Menos chance de câncer

A lentinana é uma substância contida no shitake que foi apontada em estudos como responsável por reduzir a chance de desenvolvimento de alguns tipos de câncer.

Mais defesa para o corpo

É fonte de polissacarídeos que estimulam a atividade do sistema imunológico, fortalecendo, portanto, as defesas do corpo.

Controle do colesterol

A eritadenina contida no shitake é conhecida por reduzir o colesterol e a pressão arterial do organismo.

Shitake engorda ou emagrece?

O shitake é um alimento com baixo teor de calorias e gordura, por isso pode ser muito bem aproveitado por quem está de dieta.

Possíveis malefícios

Quando consumidos crus ou mal cozidos, os cogumelos podem desencadear uma reação tóxica chamada dermatite flagelada. Trata-se de uma resposta ao lentinano ativo, composto que estimula o sistema imunológico mas, em excesso, pode ser tóxico para ele. Portanto, o ideal é só consumir cozido.

Quem não deve comer?

Pessoas alérgicas não devem consumir cogumelos, bem como as que têm doenças que podem comprometer a imunidade.

Como fazer shitake

Existem duas opções de shitake, o seco – que tem maior durabilidade e pode ser hidratado quando consumido – e o natural – encontrado em supermercados e feiras.

O alimento pode ser feito refogado com sal ou shoyu. Também pode ser adicionado em risotos ou misturado com saladas. Além disso, serve como ótimo acompanhamento de sopas e refeições em geral.

Receitas com shitake

Shitake refogado com cebolinha em um refratário.
Paulo Vilela/Shutterstock

Shitake na manteiga

Ingredientes

  • 250 g de cogumelo shitake
  • ½ colher de sopa de manteiga
  • Cebolinha e salsa a gosto
  • Sal (ou shoyu) e pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparo

Aqueça a manteiga em uma frigideira até derreter. Adicione os cogumelos e mexa-os até murchar. Coloque o sal e a cebolinha picada. Decore com salsinha. Sirva ainda quente.

Risoto de shitake

Ingredientes

  • 1 xícara de chá de arroz arbóreo ou carnaroli
  • 1 cebola pequena picada
  • ½ taça de vinho branco
  • 500 ml de caldo de legumes natural
  • 1 colher de sopa de azeite de oliva
  • 2 colheres de sopa de manteiga
  • ½ xícara de chá de queijo gorgonzola
  • 2 colheres de sopa de queijo parmesão ralado
  • 150 g de shitake fresco ou seco (já hidratado)

Modo de preparo

Em uma panela, refogue a cebola com azeite e manteiga até dourar. Adicione o cogumelo e deixe cozinhar por alguns minutos. Em seguida, refogue o arroz por alguns instantes. Adicione o vinho branco e continue mexendo até o líquido evaporar.

Com o auxílio de uma concha grande, inclua porções do caldo de legumes na panela, de forma que cubra o arroz. Lembre-se de continuar sempre mexendo e não deixar o arroz secar totalmente. O risoto estará no ponto quando estiver em um ponto acima do “al dente”.

Por fim, desligue o fogo, coloque na mistura o queijo gorgonzola e o parmesão. Misture tudo até derreter e sirva em seguida.

Macarrão com shitake

Ingredientes

  • 300 g de macarrão fettuccine
  • 200 g de shitake fresco
  • ½ xícara de chá de cebola picada
  • 3 dentes de alho amassados
  • 1 lata de creme de leite
  • ½ xícara de chá de molho shoyu
  • 5 colheres de sopa de óleo
  • Sal a gosto
  • Salsa e cebolinha a gosto

Modo de preparo

Cozinhe o macarrão e reserve. Em uma panela, refogue a cebola e o alho com óleo até dourar. Em seguida, adicione os cogumelos e o sal e espere até secar a água que será solta. Acrescente o shoyu, a salsa e a cebolinha seca. Deixe cozinhar por alguns instantes e acrescente o creme de leite. Cozinhe em fogo baixo por 10 minutos.

Misture o molho no macarrão cozido e sirva bem quente.

Hambúrguer de shitake

Ingredientes

  • 2 xícaras de chá de shitake
  • 2 dentes de alho
  • ½ cebola-roxa picada
  • Cebolinha e salsinha a gosto
  • Sal, pimenta-do-reino e noz-moscada a gosto
  • 1 colher de sopa de semente de linhaça
  • 1 colher de sopa de farinha de arroz

Modo de preparo

Em um liquidificador ou processador, coloque o shitake, o alho, a cebola-roxa, a cebolinha, a salsinha, sal e os demais temperos de sua preferência. Processe até triturar todos os ingredientes.

Em seguida, acrescente a semente de linhaça e a farinha de arroz. Bata (mas não muito) até virar uma massa homogênea. Modele a mistura em formato de hamburguinhos e leve ao forno preaquecido a 180 graus por 20 minutos ou até dourar.

Fontes

Nutricionista Daniel Barreto de Melo, do Meniá Centro de Prevenção – CRN-3 43696

Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).

Associação Nacional de Produtores de Cogumelo. Cogumelos. Disponível em: www.anpccogumelos.org/cogumelos