Shimeji: benefícios, como fazer, receitas e mais sobre o cogumelo

28 de junho de 2019

|

POR Mariana Amorim

A produção de cogumelos cresce a cada ano no Brasil e ainda conquista espaço para versões frescas, como o shimeji. A espécie, já consagrada na culinária japonesa, está cada vez mais presente nas refeições nacionais por ser muito nutritiva, bem como ter fácil acesso e preço muitas vezes convidativo.

Rico em aminoácidos essenciais para o organismo, o ingrediente é capaz de reduzir altos níveis de colesterol e reforçar o combate a diabetes. Além disso, é uma boa fonte de proteína para vegetarianos e pessoas que pretendem reduzir o consumo de produtos de origem animal. Saiba mais sobre esses e outros benefícios do shimeji.

O que é shimeji?

Segundo informações da Associação Nacional dos Produtores de Cogumelos, shimeji é o nome de uma espécie de cogumelo comestível do gênero Pleurotus, cujo tipo pode variar entre branco e preto.

Como é cultivado?

A colonização do shimeji acontece da seguinte maneira: um composto rico em nutrientes é preparado para receber o fungo, geralmente contemplado com capim, bagaço de cana de açúcar, borra de café e serragem de madeira. Então, o material é ensacado junto com a matriz do cogumelo, como uma semente, que precisa estar em ambiente com temperatura, CO2 e umidade relativa do ar controlados.

Dependendo da espécie, a cultura pode ser colonizada por até seis meses antes de ser comercializada.

Shimeji x Shitake

As principais diferenças entre shimeji e shitake referem-se apenas ao sabor, à textura, ao preço e à oferta no mercado. De acordo com a nutricionista Giovanna Oliveira, da Clínica Dra. Maria Fernanda Barca, o primeiro cogumelo é mais facilmente encontrado em feiras e supermercados do que o segundo, além de ter valor mais acessível.

Embora o sabor do shimeji seja mais suave do que o do outro fungo, quando o assunto são propriedades nutricionais, as diferenças são mínimas.

Propriedades

O shimeji é rico em vitamina B1, vitamina C, ferro, fósforo e potássio, componentes essenciais para qualquer fase da vida. Além disso, também é uma boa fonte de proteína vegetal e fibras.

A cada 70g é possível encontrar apenas 3,8 calorias, exceto quando preparado com manteiga, ingrediente que aumenta bastante o valor calórico da porção.

Tipos

Shimeji preto em tigela.
mnimage/Shutterstock

A diferença entre o branco e o preto está apenas na escolha dos processos de cultivo.

O shimeji preto necessita de cuidados mais específicos do que o branco, como repouso de 75 dias em local fechado e climatizado a 15°C. O shimeji branco, por sua vez, não necessita de tanto controle no cultivo e, por isso, é o item mais acessível nas prateleiras dos mercados quando o assunto são cogumelos frescos.

Preto

Tem sabor e perfume mais acentuados e pode não ser agradável a qualquer tipo de paladar. Acompanha bem receitas com carnes e molhos.

Branco

Trata-se da opção mais popular em mercados e restaurantes. Sua consistência é fibrosa, mas macia, e seu gosto é sutil. Por aqui, já é tradição comê-lo na manteiga com shoyu.

Benefícios do shimeji

Prolonga a saciedade

Por ser rico em fibras, é um grande aliado da saciedade e da manutenção da saúde intestinal de quem o consome.

Melhora a imunidade

Quando há um bom aporte de fibras na alimentação, como é o caso do shimeji, a atividade intestinal e o metabolismo passam a funcionar melhor. Por consequência, a imunidade se beneficia positivamente.

Combate infecções

Em seu habitat natural, os cogumelos precisam de defesas antibacterianas e antivirais para sobreviver e, por isso, trazem parte desse aporte para quem os consome.

Mais massa magra

O shimeji é um item conhecido por quem busca fontes alternativas de proteína à mesa, especialmente vegetarianos e veganos, as quais proporcionam aumento de massa magra.

Combate diabetes

O alimento possui propriedades com potencial de reduzir níveis de açúcar no sangue, como fibras e polissacarídeos, de modo a representar importância vital no cardápio de pessoas com diabetes.

Shimeji engorda ou emagrece?

O consumo por si só não é capaz de engordar ou emagrecer, assim como qualquer outro alimento.

Embora cogumelos comestíveis tenham poucas calorias, é comum que seu preparo seja feito com manteiga, o que pode agregar características gordurosas ao prato.

Possíveis malefícios

Por ser um fungo, é indicado somente comprar shimeji certificado e com selo de inspeção. Além disso, é desaconselhável se aventurar colhendo fungos por aí.

Quem não deve comer?

O alimento é contraindicado para pessoas que possuem alergia a ele.

Como fazer shimeji?

O shimeji pode ser consumido refogado com manteiga, azeite, shoyu e temperos. Ele também pode servir de ingrediente para diversos pratos, como escondidinhos, lasanhas, sopas e saladas.

Receitas com shimeji

Shimeji na manteiga

Ingredientes

  • 200 g de shimeji preto ou branco
  • 1 colher de sopa de manteiga
  • Cebolinha picada a gosto
  • 50 ml de shoyu light
  • 250 ml saquê seco para cozinhar
  • Sal a gosto

Modo de preparo

Coloque o cogumelo higienizado com papel toalha numa panela em fogo médio. Deixe cozinhar por cinco minutos. Acrescente a manteiga e mexa bem.

Em seguida, coloque o saquê e o shoyu na mistura. Para finalizar, adicione pitadas de sal e continue mexendo até que o cogumelo esteja com uma consistência mais mole.

O preparo deve durar, no máximo, 10 minutos. Finalize com a cebolinha picada no recipiente que será servido.

Risoto de shimeji

Ingredientes

  • 1 kg de arroz para risoto
  • 4 pacotes de shimeji seco, hidratado e reservado
  • 1 cebola picada
  • 200 g de manteiga
  • Shoyu light a gosto
  • Azeite de oliva extravirgem a gosto
  • 200 g de parmesão ralado
  • ½ garrafa de vinho branco seco
  • Água quente
  • 1 maço de cebolinha picada

Modo de preparo

Em uma panela, refogue a cebola com 1/3 da manteiga. Adicione o shimeji e cubra-o com o shoyu. Tampe a panela e deixe cozinhar por cinco minutos.

Em outra panela, desta vez grande, coloque o que resta da manteiga, um pouco de azeite e todo o arroz. Refogue um pouco e acrescente o vinho, mexendo até evaporar. Quando estiver seco, comece a colocar a água aos poucos, sempre mexendo, mas em pouca quantidade. Esse processo precisa ser repetido até que o arroz esteja cozido.

Quando o arroz estiver no ponto desejado, despeje o fungo reservado e misture mais um pouco. Depois, acrescente o parmesão e finalize com a cebolinha picada.

Macarrão com shimeji

Ingredientes

  • 3 colheres de sopa de manteiga
  • 1 colher de sopa de azeite
  • 1 bandeja de shimeji branco
  • 4 colheres de sopa de shoyu light
  • 3 colheres de sopa de saquê ou gotas de suco de limão
  • 1 pacote de macarrão (oriental, penne ou espaguete)
  • 5 colheres de sopa de óleo
  • Cebolinha picada a gosto

Modo de preparo

Em uma panela, coloque a manteiga e o azeite e deixe esquentar por alguns instantes antes de adicionar o shimeji. Refogue por oito minutos e, então, acrescente o shoyu e o saquê. Deixe reduzir um pouco e reserve.

Cozinhe o macarrão de acordo com as instruções da embalagem. Por fim, misture com o cogumelo na panela quente e, quando estiver bem misturado, desligue o fogo e adicione a cebolinha picada para servir em seguida.

Hambúrguer de shimeji

Ingredientes

  • 2 bandejas de shimeji (400g)
  • 40 g de farinha de rosca
  • 35 g de farinha de trigo integral ou farinha de aveia
  • Cebolinha picada a gosto
  • 4 unidades de alho picado
  • 1 colher de sopa de óleo vegetal
  • 1 colher de sopa de shoyu light
  • Sal e pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparo

Em uma panela, refogue o alho no óleo até ficar ligeiramente dourado. Adicione o shimeji, o sal, o shoyu e a pimenta-do-reino. Misture tudo e deixe cozinhar por cerca de 10 minutos. Transfira para uma peneira e deixe escorrer o excesso de água.

Coloque o shimeji, a cebolinha, a farinha de rosca e a farinha de trigo em um processador ou liquidificador e triture até formar uma massa homogênea. Não bata os ingredientes por muito tempo, já que a mistura precisa ser rústica modelar com hambúrgueres.

Divida a massa em quatro partes iguais e modele os hambúrgueres. Em uma frigideira antiaderente, aqueça um fio de óleo e frite os dois lados do hambúrguer até dourar. Sirva em seguida.

Fontes

Nutricionista Giovanna Oliveira, da Clínica Dra. Maria Fernanda Barca. CRN-SP 38649

Associação Nacional de Produtores de Cogumelos. Cogumelos. Disponível em: www.anpccogumelos.org/cogumelos