Pimenta emagrece, melhora a digestão e dá saciedade

04 de dezembro de 2017 ● POR Redação

A pimenta é uma iguaria muito apreciada em diversas culinárias. No Brasil mesmo, o tempero não pode faltar nas comidas baianas, por exemplo. Só que, além de realçar o sabor dos alimentos, a pimenta emagrece, ajuda no funcionamento do trato digestivo, diminui os níveis de colesterol e de quebra provoca saciedade.

Conheça os principais benefícios da pimenta para a saúde e para a alimentação:

O poder termogênico da pimenta

Ao ingerir a pimenta, o metabolismo acelera e, como consequência, auxilia na queima de gordura corporal. A pimenta vermelha, por exemplo, é rica em capsaicina, substância que estimula a lipólise (utilização de gordura corporal como fonte de energia). Apenas 3 gramas (equivalente a uma colher e meia de chá) por dia são capazes de acelerar a atividade metabólica em 20% e ativar todo o poder termogênico da pimenta.

Diminui o apetite

Uma pesquisa da Universidade de Purdue, nos Estados Unidos, fez um teste: durante seis semanas, 25 pessoas – 13 que gostavam e 12 que não gostavam de pimenta – incluíram 1 grama (meia colher de chá) da especiaria na dieta diária. Os cientistas constataram que, além de o metabolismo funcionar de maneira mais acelerada, os voluntários para o estudo passaram a ingerir menos calorias nas refeições também.

Em 10 gramas (cinco colheres de chá) de pimenta encontramos:

  • 30% de vitamina C (pimenta murupi);
  • 0,59% de cálcio (pimenta malagueta);
  • 1,5% de fósforo (pimenta malagueta);
  • 6,26% de fibras (pimenta malagueta).

Valores diários de referência para adultos com base em uma dieta de 2.000 kcal. Podem ser maiores ou menores, dependendo das necessidades energéticas de cada um.

Como consumir pimenta?

A melhor forma é incluir pimenta fresca nas refeições, para que todos os nutrientes sejam mantidos.

Molho, em conserva, geleia, páprica, desidratada ou dessecada também são boa opções para o consumo de pimenta, mas é importante saber que parte dos nutrientes – especialmente as vitaminas – pode ser perdida no processo.

Independentemente da forma, a pimenta pode ser incluída em pratos quentes, sopas e saladas. De 5 a 10 gramas (ou de duas e meia a cinco colheres de chá) por dia é a quantidade média recomendada.

Contraindicações

Não existem dados científicos que comprovem que a pimenta cause úlceras ou outros distúrbios digestivos. Entretanto, nutricionistas recomendam, por precaução, que pessoas com gastrite ou úlceras devem evitar o consumo excessivo de pimenta. Quem tem problemas com hemorroidas também deve ter cuidado, pois pode causar irritação no endotélio, que constitui a camada celular interna dos vasos sanguíneos.

 

Fonte: Bianca Magnelli, nutricionista esportiva (www.nutricionistaesportivo.com)