Maxixe: benefícios, como consumir, receitas fáceis e mais

27 de março de 2019

|

POR Mariana Amorim

Maxixe é um vegetal de origem africana, muito utilizado na culinária do norte e nordeste do Brasil. Lembra – tanto em aspecto, quanto em textura e gosto – um pepino, mas é usado em preparos mais exóticos. Ele pode ser consumido cru ou cozido e acompanha muito bem pratos com quiabo e jiló, assim como feijão e abóbora.

O alimento é riquíssimo em cálcio e fósforo, bem como tem poucas calorias. Confira, a seguir, outros motivos para adicionar agora esse alimento na sua rotina.

Lista de propriedades

Cada 100 g contém:

Calorias: 14 kcal

Proteína: 1,4 g

Carboidrato: 2,7 g

Fibra alimentar: 2,2 g

Cálcio: 21 mg

Magnésio: 10 mg

Fósforo: 40 mg

Ferro: 1 mg

Sódio: 4 mg

Potássio: 252 mg

Cobre: 0,16 mg

Zinco: 0,5 mg

Tiamina: 0,06 mg

Riboflavina: 0,21 mg

Piridoxina: 0,06 mg

Niacina: 0,9 mg

Vitamina C: 2,3 mg

Tipos

Ao menos no Brasil existem basicamente dois tipos, o maxixe caipira do Norte, que possui “espinhos” macios, e o maxixe japonês, sem espinhos.

Benefícios

Sistema imunológico

O rico aporte de nutrientes, tais como ferro, zinco, cálcio e vitaminas C e do complexo B, do legume maxixe o torna um aliado da manutenção do sistema imune do organismo.

No entanto, vale lembrar que quando cozido o vegetal pode perder parte destes nutrientes, por isso, consumi-lo cru é preferível.

Combate aos radicais livres

A vitamina C tem efeito anti-inflamatório e é conhecida cientificamente por combater a ação dos radicais livres no organismo, ou seja, proteger as células contra o envelhecimento precoce e as doenças degenerativas.

Prevenção da osteoporose

O cálcio presente no maxixe é responsável por auxiliar a saúde dos ossos e evitar seu adoecimento, incluindo, portanto, a osteoporose.

Fonte de ferro

O vegetal pode ser adicionado na alimentação de quem quer tanto prevenir quanto tratar a anemia ferropriva.

Engorda?

Em 100 gramas, há apenas 14 calorias. Além disso, o alimento prolonga a sensação de saciedade pela boa quantidade de fibras.

Por estes motivos, ele pode ser consumido sem preocupação por quem está fazendo dieta para perda de peso.

Faz mal?

Não há malefícios conhecidos pela ciência provindos do consumo de maxixe. No entanto, o excesso de qualquer alimento pode acarretar em sintomas de mal-estar, como cólicas, gases e diarreia.

Quem não deve comer?

Quando cru, o maxixe possui consistência dura, por isso pessoas com problemas de mastigação ou deglutição devem ingeri-lo com cuidado ou optar pelas versões cozidas.

O maxixe também não é indicado para bebês com menos de 6 meses e para pessoas com doenças intestinais, como diverticulite, por possuir sementes pequenas.

Como fazer maxixe?

Receita com maxixe.
Paulo Vilela/Shutterstock

O alimento pode ser consumido cru ou cozido. É mais palatável quando verde, já que maduro costuma ficar com consistência fibrosa e amarga.

O alimento pode ser utilizado no preparo de sucos, basta retirar a casca e batê-lo com outros vegetais ou frutas, ou saladas e refogados.

A quantidade recomendada é de dois a três frutos por dia.

Receitas

Maxixe refogado

Ingredientes

  • 12 unidades de maxixe lavadas e cortadas em rodelas
  • 2 dentes de alho picados
  • 1 cebola picada
  • Tempero verde a gosto ou coentro a gosto
  • 1 fio de azeite
  • Sal e temperos a gosto

Modo de fazer

Em uma frigideira, refogue a cebola e o alho com o azeite até ficarem dourados. Em seguida, acrescente o maxixe. Deixe refogar em fogo médio até ficar macio, por cerca 15 minutos. Coloque água quente, se necessário, para que não seque.

Por fim, acrescente sal e tempero a gosto. Sirva em seguida.

Vinagrete de maxixe

Ingredientes

  • 500 gramas de maxixe
  • 2 cebolas
  • Vinagre branco a gosto
  • Pimenta-do-reino branca a gosto
  • Azeite a vontade
  • 1 pitada de sal

Modo de preparo

Em um bowl, misture todos os ingredientes. Em seguida, leve à geladeira por pelo menos 30 minutos e sirva em seguida.

Salada de maxixe

Ingredientes

• 8 maxixe sem as pontas e ralado em fatias finas
• 1/2 cebola ralada em fatias finas
• Vinagre e sal a gosto
• Pimenta-do-reino a vontade
• Cheiro-verde a gosto
• Azeite

Modo de Preparo

Misture todos os ingredientes em um recipiente e tempere com sal, azeite, vinagre e pimenta-do-reino.

Fontes

Nutricionista funcional Milena Lopes, da Clínica NutriCilla. CRN/3 41777

Núcleo de Estudos e Pesquisas em Alimentação. Tabela Brasileira de Composição de Alimentos. Disponível em: www.cfn.org.br/wp-content/uploads/2017/03/taco_4_edicao_ampliada_e_revisada.pdf