Lichia: fruta tem diversos benefícios e ainda ajuda a emagrecer

24 de janeiro de 2019

|

POR Mariana Amorim

A lichia, de nome científico Litchi chinensis, é uma fruta de origem chinesa que costuma aparecer nos supermercados e feiras do Brasil no verão. Com a casca vermelha e cheia de texturas, tem polpa branca (quase transparente) e sabor suave e doce, mas levemente ácido.

A seguir, veja mais informações nutricionais da lichia, benefícios e receitas.

Lista de propriedades

100 g de lichia contém:

  • 82 g de água
  • 66 calorias
  • 16 g de carboidratos
  • 1.3 g de fibras
  • 15.23 g de açúcar
  • 5 mg de cálcio
  • 10 mg de magnésio
  • 31 mg de fósforo
  • 171 mg de potássio
  • 1 mg de sódio
  • 71 mg de vitamina C
  • 0.011 mg de tiamina
  • 0.065 mg de riboflavina
  • 0.603 mg de niacina
  • 0.100 mg de vitamina B6
  • 14 µg de folato (vitamina B9)

Benefícios

Melhora a imunidade

A lichia é rica em vitamina C, um composto que pode contribuir em vários aspectos do organismo. Caso da manutenção da imunidade e da produção de colágeno.

Mas há ainda relação entre a vitamina C e a prevenção de doenças cardiovasculares, dos olhos e até mesmo controle do nível de colesterol no sangue.

Combate ao câncer

A lichia também tem bom nível de polifenóis, como a epicatequina – que pode contribuir para reduzir o risco de desenvolvimento de alguns tipos de câncer e até mesmo diabetes.

Alivia dores de varizes

Há outro antioxidante poderoso, a rutina. Ela pode auxiliar na melhora da circulação sanguínea, e, consequentemente, no alívio de dores decorrentes de varizes.

Acelera o metabolismo

As vitaminas do complexo B também estão presente na fruta e dão aquela força extra ao funcionamento do metabolismo, fazendo-o trabalhar mais rápido e queimar gordurinhas extras.

Emagrece?

A lichia tem água em cerca de 80% de sua composição. O restante é composto por carboidratos, sendo que a frutose proporciona o sabor adocicado.

Em 100 g há cerca de 66 calorias, isto é, seu valor calórico é considerado baixo. Por isso, pode ser uma boa opção para quem busca a perda de peso.

Outro ponto importante é a boa quantidade de fibras da fruta, o que colabora com a sensação de saciedade prolongada.

Malefícios

A lichia é rica em cobre, que, em excesso, causa malefícios para a saúde do coração. Porém, vale lembrar que seria preciso uma quantidade exagerada da fruta e um consumo corriqueiro para que surgissem problemas reais.

Lichia pode matar?

Em meados de 2014, um estudo publicado na revista científica The Lancet, apontou a possível associação entre um tipo de prejuízo no funcionamento cerebral, chamado encefalopatia tóxica aguda, e o consumo de lichia.

Pesquisadores da Índia e dos Estados Unidos identificaram em Muzaffarpur, região indiana conhecida por ser a maior área de cultivo no país, alguns casos de alterações sensoriais e convulsões.

Uma das possíveis hipóteses entre a relação do consumo de lichia e os surtos era a presença de hipoglicina A e MCPG (metilene ciclopropil glicina), substâncias presentes na fruta não amadurecida que podem levar, em casos extremos, à queda dos níveis de glicose no sangue e também às encefalopatias.

Ainda assim, a nutricionista Clarissa Fujiwara explica que tratam-se de casos isolados e do consumo da fruta sem estar madura. “São circunstâncias específicas e ainda não bem estabelecidas. Exceto por alergias, quando consumidas com moderação as lichias agregam benefícios à saúde”, afirma Clarissa.

Quem não deve comer?

Quem tem alergia à fruta não deve consumi-la em hipótese alguma.

Como plantar lichia?

Para plantar um pé de lichia em casa é preciso ter uma muda bem enraizada, a qual deve ser colocada em um vaso grande ou em um terreno espaçoso. Trata-se de uma árvore que se adapta bem ao solo fresco, luz solar e boa ventilação.

Na hora de regar, a planta não deve receber muita água. No mais, a adubação deve ser orgânica e feita, pelo menos, a cada 4 meses.

Já a poda pode ser realizada anualmente.

Como comer lichia?

A lichia é coberta por uma casca fina e de coloração vermelho-rosada que deve ser removida antes do consumo. Embora não seja consumida, ela pode ser aproveitada em algumas receitas.

No interior, encontra-se uma polpa branca que pode ser consumida. Já a semente escura deve ser descartada.

Receitas com lichia

Chá de lichia

Ingredientes

  • 4 cascas de lichia secas ao sol
  • 1 xícara de chá de água quente

Modo de preparo

Adicione as cascas secas de lichia na água quente. Tampe o recipiente com um pires e deixe em infusão por três minutos. Coe e sirva sem adoçar.

Suco de lichia

Ingredientes

  • ½ xícara de chá de lichias descascadas e sem sementes
  • 4 folhas de hortelã
  • 200 ml de água filtrada

Modo de preparo

Em um liquidificador ou mixer, adicione as lichias, a água e a hortelã. Bata até obter uma mistura homogênea. Sirva em seguida.

Lichia em calda

Ingredientes

  • 1 kg de lichia descascada
  • 500 ml de água filtrada
  • 2 e ½ xícaras de chá de açúcar mascavo ou cristal orgânico
  • 1 colher de chá de canela em pó
  • Cravo ou pau de canela a gosto

Modo de preparo

Em uma panela, coloque o açúcar e a água para fazer a calda. Deixe a mistura ferver e engrossar. Adicione o cravo ou a canela.

Após o ponto de calda (quando começa a borbulhar nas laterais da panela e escorrer facilmente da colher), adicione a lichia e deixe cozinhar por 10 minutos.

Desligue o fogo e polvilhe com canela em pó. Despeje o doce em vidros herméticos e esterilizados e guarde na geladeira por até três meses.

 

Fontes

Nutricionista Clarissa Fujiwara. CRN-3  32.841

USDA. National Nutrient Database for Standard Reference Legacy Release. Disponível em: ndb.nal.usda.gov/ndb/foods/show/09164