Kefir emagrece, aumenta imunidade e é fácil de preparar: saiba tudo

15 de março de 2018

|

POR Lucas Coelho

Bastante famoso na culinária europeia, o kefir é o produto da fermentação do leite (de vaca, cabra, ovelha ou búfala), que forma uma bebida bem parecida com iogurte.

Na verdade, kefir é o nome do fungo que provoca esse processo de fermentação. Ele é facilmente encontrado em forma de grãos — apesar de não ser realmente um grão.

Ao entrar em contato com o leite, eles formam uma colônia de micro-organismos que também recebe o nome de “cogumelo tibetano”, em referência à massa que se forma no processo de fermentação.

Benefícios do kefir

O kefir pode proporcionar uma série de vantagens à saúde, especialmente para o bom funcionamento do intestino e para quem quer perder peso. Mas, segundo explica a nutricionista e membro do Conselho Regional de Nutricionistas – 3ª Região (CRN-3), Adriana Ávila, esses não são os únicos benefícios da bebida.

Ela também contém grande quantidade de ácido lático, o que ajuda a diminuir a intolerância à lactose, pois promove a digestão do leite mesmo em pessoas mais sensíveis aos seus componentes. “Além disso, o kefir também se associa a minerais como o cálcio e o ferro, promovendo a melhor absorção desses nutrientes”, completa a especialista.

A bebida também é rica em vitaminas do complexo B, oferecendo maior resistência contra infecções e estimulando o sistema imunológico. Já a presença do aminoácido triptofano pode trazer um efeito relaxante ao sistema nervoso, algo que ajuda em quadros de depressão e problemas de insônia.

Efeito antibiótico?

De acordo com Adriana, o tratamento de doenças por meio de antibióticos têm um grande porém: é verdade que esses remédios eliminam as bactérias causadoras do problema, mas junto também eliminam bactérias que são benéficas ao nosso organismo.

“A ação desses medicamentos pode até mesmo aumentar o risco de infecções. Nesses casos, a recomendação não é ignorar os antibióticos prescritos pelo médico, mas sim consumir o kefir juntamente com o remédio. Assim, a microbiota não fica muito prejudicada”, afirma.

A importância da microbiota

Para quem está se perguntando, a microbiota é o nome que damos à comunidade de micro-organismos que existem do corpo. Todos temos bactérias que vivem dentro de nós — e elas são extremamente benéficas à saúde e não devem ser eliminadas.

O kefir ajuda na manutenção da microbiota e, portanto, faz com que ela continue auxiliando contra infecções. A candidíase é uma delas. Este é um problema que afeta majoritariamente as mulheres e que pode ser combatido por meio do consumo da bebida — especialmente em casos mais recorrentes.

“A vagina abriga diversos micro-organismos que, normalmente, vivem em equilíbrio e combatem a entrada de quaisquer micróbios maléficos. Quando essa estabilidade é quebrada — algo que pode acontecer por causa de alimentação inadequada, alterações hormonais e fatores ambientes — alguns fungos e/ou bactérias se proliferam mais do que outros, gerando infecções como a candidíase”, explica a nutricionista.

Kefir emagrece?

Por conter probióticos benéficos também à flora intestinal, o kefir também ajuda no processo de emagrecimento, pois a perda de peso ocorre mais facilmente quando a flora está equilibrada.

“Da mesma forma, o kefir aumenta a população de bactérias benéficas no intestino e elimina as prejudiciais. É um aliado em quadros de diarreia, obstipação e flatulências (gases), pois promove um equilíbrio da flora intestinal”, garante Adriana.

De acordo com ela, muitas pessoas com excesso de peso também sofrem com intestino preso, e um intestino funcionando melhor é a base para ter um corpo mais saudável.

“Pela minha prática clínica, eu recomendaria o kefir especialmente para pacientes com problemas intestinais, como um coadjuvante no tratamento do emagrecimento e para recuperar a flora intestinal”, completa.

Como fazer kefir

Há dois tipos da bebida que você pode preparar em casa: o kefir de leite e o kefir de água. O processo de preparo de ambos é bastante parecido. Veja abaixo o passo a passo:

  1. Separe os grãos de kefir e coloque-os no substrato de sua preferência. Pode ser leite de vaca, cabra, ovelha ou de búfada, água com açúcar mascavo ou até mesmo um suco;
  2. Adote a seguinte proporção: uma colher de sopa de grãos de kefir para cada meio litro de líquido;
  3. Coloque a mistura em um pote de vidro, mas não tampe! Cubra apenas com um pano ou guardanapo e mantenha o pote em temperatura ambiente;
  4. Agora, basta esperar que a fermentação ocorra para obter o kefir.

Quanto tempo esperar?

Para consumir uma versão mais suave do kefir, o tempo indicado é de aproximadamente seis horas. Para obter um produto mais denso e ácido, deixe o pote agindo por até 72 horas.

Antes de consumir

Antes de beber, passe o líquido na peneira, separando os grãos. Mas não jogue os grãos fora! Eles podem ser reaproveitados para fazer mais kefir depois.

A aparência é semelhante a do iogurte ou da coalhada. A bebida pode ser misturada com frutas, mel, aveia, granola ou utilizada para fazer queijos e até requeijão.

Prazo de validade

Depois de fermentado, o prazo de validade da bebida é de três dias na geladeira.

Contraindicações

Existem algumas observações importantes em relação ao consumo. Pacientes que tomam medicamentos anticoagulantes devem ingerir no máximo uma taça pequena de kefir por dia por causa das altas doses de vitamina K.

Esses remédios costumam ter essa mesma propriedade, o que pode acabar acentuando o efeito do remédio e provocando dosagem acima do indicado pelo médico.

Também não é recomendado o consumo de kefir duas horas antes ou depois da utilização de medicamentos à base de bifosfonatos, fluoretos, tetraciclinas ou inibidores da firasse.

Esses são medicamentos específicos utilizados, por exemplo, para tratar osteoporose. Desta forma, são muito ricos em cálcio, assim como o kefir feito no leite. Logo, é preciso controlar o nível do nutriente, evitando excessos.