5 principais benefícios do pepino: tipos, contraindicações e uma receita

Atualizado em 04 de setembro de 2018

|

POR Lucas Coelho

Os benefícios do pepino são inúmeros: rico nas vitaminas A, C, K e J e em várias do complexo B, ele é um ótimo alimento para visão, ossos, imunidade, fígado e músculos. A quantidade de minerais também chama a atenção, especialmente de potássio, magnésio, cálcio, fósforo, zinco e manganês.

Essas e outras vantagens nutricionais podem ser aproveitadas em diversos países, uma vez que o pepino é bastante cultivado em várias partes do mundo, incluindo Ásia, África e Europa. Ele também é facilmente encontrado aqui no Brasil, onde é aproveitado em uma série de receitas.

E você sabia que o pepino é uma fruta? Sim, e também é extremamente versátil: pode ser consumido cru em saladas, batido em sucos, preparado cozido numa sopa, ser usado como recheio de tortas ou até refogado para acompanhar alguma guarnição. Tudo isso, com casca ou sem, de acordo com sua preferência.

O Ativo Saúde listou para você os diversos nutrientes do pepino e seus benefícios. Veja abaixo!

5 principais benefícios do pepino

O pepino é muito rico em…

1. Vitaminas

As grandes quantidades de vitaminas presentes no pepino trazem uma série de vantagens à saúde. Ele é especialmente bom para a saúde dos olhos, dos ossos e para o sistema imunológico. Além disso, também é excelente para fazer um suco detox, ajudando o fígado a eliminar toxinas, e para promover um crescimento muscular consistente.

2. Minerais

Os minerais presentes no pepino tornam ele um excelente aliado do metabolismo, ajudando-o a funcionar mais rapidamente (o que é ótimo para quem quer emagrecer), e uma ótima opção para quem sua demais. Isso porque suas propriedades melhoram o funcionamento das glândulas sebáceas.

Fora isso, o pepino também ajuda o organismo a absorver melhorar os nutrientes consumidos.

  • Cálcio;
  • Cobre;
  • Fósforo;
  • Magnésio;
  • Manganês;
  • Potássio;
  • Sódio;
  • Zinco.

3. Ácidos

Todos os ácidos presentes no pepino são extremamente benéficos para o sistema nervoso, imunológico e digestivo. Entre eles, estão:

  • Ácido fólico;
  • Tiamina;
  • Ácido aspártico;
  • Ácido glutâmico;
  • Ácido tartárico;
  • Ácido caféico;
  • Ácido pinoresinol.

4. Antioxidantes

Além da conhecida função de retardar o envelhecimento ao reagirem com os radicais livres, os antioxidantes também são anti-inflamatórios e anticancerígenos. No pepino, podemos encontrar com abundância pelo menos dois antioxidantes:

  • Flavonoides;
  • Lignanas.

5. Outras substâncias

Segundo Bianca Naves, o pepino também apresenta teores significativos de sílica e flúor. “São substâncias que auxiliam na capacidade de tonificar o fígado, os rins e a vesícula”. Além disso, de acordo com a nutricionista da Câmara Técnica do CRN-3 (Conselho Regional de Nutricionistas – 3ª Região), ele possui grandes quantidades de fibras e poucas calorias — o que reforça o argumento de que é um ótimo alimento para emagrecer.

Contraindicações e cuidados

Apesar dos muitos nutrientes presentes no pepino, é preciso ficar atento a algumas questões. Beatriz lembra que alguns estudos já comprovaram que a cera utilizada por agricultores para revestir a casca de vegetais mais frágeis, para proteger de insetos e danos no transporte, é composta de ingredientes ruins para a saúde, como caseína de leite, sabonetes e álcool etílico.

Segundo ela, o pepino acaba sendo prejudicado neste processo. “Pessoas alérgicas ao leite podem sofrer uma reação à caseína quando consumirem o pepino”, alerta a nutricionista.

A fruta também contém uma substância chamada cucurbitacina, que pode provocar indigestão em pessoas com um organismo mais sensível, desencadeando inchaço, gases e refluxo.

“Um estudo conduzido recentemente sobre as reações alérgicas do pepino em seres humanos apontou que há pessoas alérgicas ao pólen de algumas frutas que também sofrem reação ao consumir o pepino”, diz Beatriz.

Tipos de pepino

Os principais tipos de pepino encontrados no Brasil são cinco: o japonês, o holandês, o caipira, o aodai (mais comum), e o mini pepino, geralmente encontrado em conserva. É bastante fácil de diferenciá-los, pois a casca, o formato, a cor e a textura variam bastante entre cada um eles.

  • Japonês: também conhecido como Aonaga, ele tem casa verde escura e polpa mais firme. É fino e alongado, e o mais utilizado na preparação do sunomono, a tradicional salada agridoce japonesa;
  • Holandês: ele é um pouco mais raro de encontrar no Brasil e costuma ser consumido em bastante quantidade nos países europeus, especialmente na Espanha. De casca mais grossa e também verde escura, ele tem uma textura mais lisa, semelhante à do pepino japonês;
  • Caipira: esse é geralmente o tipo de pepino mais barato. Tem uma casa bem grossa e irregular. É menos comprido que os outros, mas o seu diâmetro é maior se comparado, por exemplo, ao pepino japonês. É geralmente utilizado cru em saladas;
  • Aodai: é bastante semelhante ao pepino caipira. Se diferencia principalmente pela cor da sua casca, que é mais escura. É o tipo de pepino mais comum de todos;
  • Mini pepino: é utilizado de maneira geral para fazer conservas, mas isso não exclui seu proveito in natura, como os outros pepinos. Sua casca é mais fina e de um verde mais claro.

Receita com pepino

Separamos abaixo uma receita especial de sunomono, a salada japonês de pepino que comentamos acima.

Receita de sunomono (salada japonesa de pepino)

Ingredientes

  • 4 pepinos japoneses;
  • 3 colheres de chá de vinagre de arroz;
  • 1 colher de chá de açúcar mascavo ou demerara;
  • 1 colher de chá de gergelim;
  • ¼ de colher de chá de molho de soja;
  • ¼ de colher de chá de sal.

Modo de preparo

1. Corte os pepinos em fatias bem fininhas, misture com sal e deixe agir entre 5 a 10 minutos. O sal fará com que o pepino perca bastante água;

2. Depois, esprema os pepinos retirar o restante de líquido – sem destruí-los – e reserve;

3. Num recipiente, misture o açúcar, o molho de soja e o vinagre de arroz até que o açúcar se dissolva completamente;

4. Então, junte a mistura, os pepinos e o gergelim, misture bem e está pronto para servir.

Atenção! Dura na geladeira por até 2 dias. Não esqueça de consumir o sunomono antes de estragar.