Saiba como manter a rotina dos idosos durante a quarentena

Atualizado em 13 de maio de 2020

|

POR Bruno Botelho dos Santos

A quarentena por causa da pandemia do novo coronavírus (COVID-19) pode levar a uma deterioração da saúde mental e física dos idosos por ficarem muito tempo confinados em ambientes fechados.

Por isso, manter a rotina dos idosos ao continuar com os hábitos que já faziam parte de seu cotidiano é essencial para preservar a saúde física, mental e emocional deles. Saiba mais.

Como manter a rotina dos idosos durante a quarentena?

Por causa do novo coronavírus, idosos devem ser conscientizados em se manterem em casa, assim como as pessoas portadoras de comorbidades, como cardiopatia, pneumopatia, neuropatia, doenças oncológicas, degenerativas e autoimunes.

Eles devem se expor minimamente a locais onde possa ter aglomerações, pelo risco aumentado de má evolução em caso de contração do COVID-19. Ainda assim, a rotina dos idosos precisa ser mantida na quarentena. Veja algumas dicas:

Socializar

Durante esse período, é fundamental ficar atento à saúde mental dos idosos, combatendo e prevenindo o surgimento de sintomas ligados a problemas como angústia e depressão, além de evitar a piora dos quadros clínicos.

Para reduzir a sensação de solidão e piorar ou iniciar sintomas depressivos, os familiares e pessoas próximas aos idosos devem manter contato, seja por chamadas de vídeo ou ligações, para que se sintam acolhidos e não sofram com a solidão.

Acompanhantes (sejam familiares ou pessoas próximas) devem oferecer ajuda para abastecer medicações necessárias e suprimentos, além de reduzir ao máximo o fluxo de pessoas dentro da casa, onde reside o idoso.

É fundamental que o idoso entenda a razão pela qual precisa se manter isolado para o bem de sua própria saúde.

Manter a alimentação saudável

É fundamental que os idosos mantenham uma dieta bem equilibrada e certifique-se de mastigar bem antes de engolir quando suas rotinas diárias forem interrompidas.

Eles também devem consumir proteína, que é a fonte do músculo. Escovar os dentes após as refeições e antes de ir para a cama é eficaz na prevenção de doenças infecciosas, como a gripe.

“É fundamental que seus acompanhantes se organizem para ter em casa os alimentos recomendados para a sua dieta, os que necessita ou pode necessitar”, explica a geriatra Fabíola Crescentini.

Manter o corpo ativo

A prática de atividades físicas durante a quarentena, de acordo com as possibilidades da pessoa, também é importante. “Ela evita a perda de massa muscular, melhora a imunidade e estimula a liberação de hormônios ligados ao bem-estar”, conta a geriatra.

É preciso aumentar o tempo em que está se movimentando e fazer pequenos exercícios em casa. A atividade física aumenta fortalecimento, flexibilidade, imunidade e produção de hormônios que dão a sensação de bem-estar.

Caminhada dentro de casa ou quintal, levantar e sentar em um banco, levantamento de pesos, conforme a possibilidade individual, são opções para reduzir perda muscular e aumento da fragilidade. Exercícios como calistenia e agachamento também podem ser eficazes, desde que feitos com os cuidados necessários.

Segundo Fabíola, é recomendado que o idoso seja estimulado a realizar os afazeres que gosta e seja incentivado a experimentar novas atividades, se mantendo engajado no seu cotidiano.

A exposição solar diária durante 15 minutos, que pode acontecer no quintal da casa, na varanda ou mesmo na janela, também é recomendada, pois leva à produção de vitamina D, essencial para o bom funcionamento do sistema imunológico.

Manter horários e organizações

Os horários do sono, das refeições e dos medicamentos devem ser respeitados. Além disso, é preciso realizar gerenciamento de medicações e itens básicos de higiene, alimentação e limpeza.

Importância dos cuidados com os idosos

Todos esses cuidados ajudam a manter o idoso equilibrado fisicamente, mentalmente e emocionalmente.

“Assim, evitamos que as doenças de base fiquem desequilibradas e aumentem os riscos de complicações diante de uma possível infecção com coronavírus. Por fim, se ele necessitar de atendimento médico é recomendado que seja domiciliar, para que ele não seja exposto a locais de risco”, orienta Fabíola.

 

Fontes

Geriatra Fabíola Crescentini, da Home Doctor (empresa de atenção domiciliar)