Nem tudo o que vemos nas séries médicas é real

23 de novembro de 2017

|

POR Bruno Botelho dos Santos

As séries de televisão se tornaram uma verdadeira febre. As pessoas passaram a consumir cada vez mais esse tipo de conteúdo — seja na própria televisão ou em serviços de streaming, como a Netflix. Dentre o leque gigantesco de opções de seriados que vemos por aí, um tema específica tem ganhado destaque: as séries médicas.

House, Grey’s Anatomy, ER e outras do gênero ganharam notoriedade ao longo dos anos, foram renovadas para diversas temporadas e trazem consigo uma legião de fãs que não perdem um episódio. Elas procuram retratar com fidelidade a rotina intensa dos médicos da vida real, especialmente os que trabalham em hospitais, mas você sabia que nem tudo o que vem nessas séries é real?

Veja abaixo alguns fatos médicos que só poderiam acontecer na ficção.

Séries médicas de sucesso

Há 23 anos, quando ER foi ar pela primeira vez, as pessoas conheceram um tema que até então ainda não tinha sido usado comercialmente na televisão. Depois dela vieram Grey’s Anatomy, que já está na 14ª temporada; House, que encerrou na 8ª; a sitcom Scrubs, que foi ao ar por 9 anos; Nurse Jackie, que encerrou em 2015 após 7 anos; e Private Practice, um spin-off de Grey’s e foi até a 8ª temporada.

Por trás do grande sucesso de crítica e público, porém, muitos profissionais da medicina criticaram (e ainda criticam) acontecimentos e abordagens que eventualmente fogem da realidade dos hospitais.

As séries médicas até costumam ter consultores especializados no assunto, justamente para evitar este tipo de problema, mas por diversas vezes os roteiristas acabam tomando liberdades criativas ou escolhas que geram controvérsias pensando no que mais deve agradar a audiência.

Confira abaixo os equívocos da medicina que cada uma das séries médicas de mais sucesso da televisão já cometeram:

House (2004 – 2012)

A série House, conhecida no Brasil como Dr. House, foi exibida de 2004 até 2012 e foi uma das mais aclamadas da tevê americana, ganhando 5 Emmys e 2 Globos de Ouro. Estrelada pelo ator britânico Hugh Laurie, a série acompanha o personagem Dr. House e sua equipe na rotina de diagnosticar doenças em casos misteriosos e pacientes já desacreditados.

séries médicas - house

Por que é criticada?

Rigor científico duvidoso

Muitas das cirurgias e tratamentos feitos em House tem nenhum ou pouco embasamento científico, o que faz com que a credibilidade do que está sendo representado fique em cheque. Geralmente, a série apresenta um caso que permanece sem resolução durante todo o episódio, e que sempre acaba sendo desvendado por Dr. House de forma não menos que brilhante na parte final.

De repente, uma solução

A forma com que a equipe de médicos da série encontra a solução para os problemas dos pacientes é quase sempre por meio de diálogos e por meio da atenção máxima a detalhes que são típicos de uma série que quer prender a atenção do telespectador até o final do episódio.

O argumento, porém, é que a rotina do hospital e as análises de laudos médicos feitas por especialistas quase nunca são mostradas — e este é justamente o caminho pelo qual os verdadeiros experts em medicina encontram o diagnóstico para doenças.

Cadê os enfermeiros?

A equipe médica em House não conta com enfermeiros ou outros profissionais da área, somente médicos que ficam encarregados de realizar todos os procedimentos — da mais simples tomografia a cirurgias complexas.

Isso sem falar…

No não uso de máscaras e toucas durante os procedimentos cirúrgicos — na visão dos médicos, uma falha gravíssima para uma série que se preocupa com a realidade dos hospitais.

Grey’s Anatomy (2005 – )

Lançada em 2005, Grey’s Anatomy está no ar até hoje e se tornou uma das séries médicas mais populares da história da televisão. Atualmente na 14ª temporada, o seriado mostra profissionais, médicos e residentes do Grey Sloan Memorial Hospital em sua rotina diária (e turbulenta) de trabalho e aborda todos os dramas e histórias que passam por naquele ambiente. Só que, apesar de seu sucesso estrondoso, Grey’s Anatomy também recebe diversas críticas da comunidade médica.

séries médicas - Grey's Anatomy

Por que é criticada?

Soluções inesperadas

Uma das críticas mais frequentes é a forma com que os residentes médicos encontram soluções totalmente inesperadas com absolutamente nenhuma base científica. Na visão de alguns médicos reais, isso passa a falsa impressão de que um único especialista é capaz de fazer milagres, o que está longe de ser verdade.

Conduta imprópria

Também acusa-se Grey’s Anatomy de representar uma conduta imprópria entre os médicos que formam o elenco. A série, aliás, mostra com frequência relações sexuais entre médicos dentro do próprio hospital, o que, pelo menos segundo os especialistas da vida real, não acontece na prática.

ER – Plantão Médico (1994 – 2009): o exemplo a ser seguido

ER (mais conhecida no Brasil como Plantão Médico) ficou em exibição de 1994 até 2009, durante 15 temporadas, e ganhou fama por ter lançado o ator George Clooney ao estrelato. A série acompanha a vida dos médicos que lutam diariamente para salvar a vida dos pacientes que chegam ao pronto-socorro do County General Hospital de Chicago, mostrando suas rotinas e dramas.

séries médicas - ER

Só que, ao contrário do que acontece com outras séries médicas, ER é considerada a que mais fielmente retrata a rotina dos médicos e, não à toa, é a mais querida pelos profissionais da área.

A preferência dos médicos também tem muito a ver com o fato de que a produção sempre contou com Michael Crichton, médico formado pela Universidade de Harvard e que também foi emergencista, e que, graças à sua experiência, podia usar seu enorme conhecimento da área para mostrar a realidade dos hospitais com fidelidade e sem desrespeito à conduta médica.

Verdade seja dita, a série soube aproveitar isso muito bem ao seu favor.

Outros erros médicos comuns

Outros erros muito comuns em séries médicas são:

  • Retratação dos enfermeiros, que são tratados geralmente em relação subordinada aos médicos e como se não soubessem nada de medicina e não tivessem autonomia em seus próprios afazeres. Os enfermeiros, inclusive, são os que têm maior contato com os pacientes hospitalizados, principalmente os que estão em estado mais crítico. Isso raramente é visto, por exemplo, na série Nurse Jackieque traz uma enfermeira no papel principal.
  • Uso de equipamentos metálicos perto da máquina de ressonância magnética: um erro grave que pode ser visto em séries como Scrubs e pode, inclusive, ser muito perigoso, já que os objetos correm o risco de serem sugados para dentro da máquina.

O que dizem os estudos?

Alguns estudos foram realizados ao longo dos anos para descobrir o quão fiel à realidade eram as principais séries médicas transmitidas pela televisão.

Uma pesquisa publicada pela Academia Americana de Neurologia, por exemplo, analisou como os programas representam os procedimentos de primeiros socorros para casos de convulsões. Após assistirem 327 episódios de séries como Grey’s Anatomy, House, Private Practice e as cinco últimas temporadas de ER, 46% dos episódios que retrataram casos de convulsão foram abordados de maneira imprópria pelos roteiristas.

Já outro estudo também avaliou a importância dos programas como educadores de saúde. Neste estudo, contatou-se que a televisão de entretenimento tem um enorme potencial para educar corretamente a população sobre assuntos relacionados à saúde. Inclusive, foi nesta pesquisa que descobriu-se que muitos telespectadores de Grey’s Anatomy absorvem as informações médicas transmitidas pela série, tomando os acontecimentos nos episódios como verdade.

Dado que muitos médicos criticam essa e outras séries por não serem tão fieis quanto deveriam em relação ao cotidiano dos hospitais e da própria prática médica, é possível constatar que as pessoas estão se valendo de produtos pouco fidedignos para formar conhecimento sobre medicina.