Ai que ressaca! Como recuperar o corpo dos exageros

02 de agosto de 2017

|

POR Redação

Participar de festas também faz parte da vida, porém, a animação exagerada às vezes pode trazer conseqüências indesejáveis, como a ressaca. Mas, não há necessidade de deixar de lado sua vida social, com cuidados simples as conseqüências das festas e os happy hours podem ser dribladas com uma alimentação correta.

Os exageros alcoólicos cometidos durante as festas podem trazer reclamações como “Ai, minha cabeça dói”, ou “Nossa, o mundo tá girando”, ou ainda “Acho que meu estômago vai sair pela boca!”. Esses exageros também podem gerar, entre outros problemas, um aumento considerável no processo de desidratação do organismo. Qual a solução para esse tipo de problema?

Como funciona a ressaca?

A ressaca é uma intoxicação do organismo provocada por toxinas liberadas na filtragem do álcool pelo fígado e para curá-la não deve-se evitar o vômito e a diarréia, pois essa é a maneira do organismo esvaziar naturalmente, para começar a melhorar.

Evite tomar analgésico para curar a dor de cabeça ou aliviar o estômago. Evite também os efervescentes, afinal, a solução não está em entupir-se de remédios, pois os mesmos podem até abrandar os sintomas, mas não irão resolver o problema.

As paredes estomacais ficam sensíveis pelo abuso do álcool e podem ficar ainda mais prejudicadas caso haja a ingestão de gordura; por isso, há a necessidade de uma alimentação leve e adequada, para repor os nutrientes perdidos na folia que assim como, uma hidratação intensa aliadas a muito descanso são a receita para um restabelecimento rápido e eficaz.

Já vimos que o consumo excessivo de álcool pede muito líquido, por isso confira algumas sugestões revigorantes:

  • Chá de boldo, que dá um up no fígado.
  • Refresco de melancia, uma super limonada e uma deliciosa água de coco são excelentes pedidas.

Outras dicas:

Suco para dar ânimo:

Ingredientes:

  • 250 ml de água;
  • 125 g de beterraba;
  • 01 cenoura média;
  • 01 maçã;
  • 5 g de gengibre.

Como preparar:

Basta cortar a beterraba, a cenoura e a maçã com a casca e as sementes em pedaços juntar a água aos poucos e bater com o gengibre na centrífuga. Coar e servir gelado. Aumenta a disposição.

Suco rico em vitaminas:

Ingredientes:

  • 2 rodelas de abacaxi;
  • 1 xícara de chá de maçã picada sem casca e sementes;
  • 1 xícara de chá de água; 2 xícaras de chá de suco de laranja;
  • 10 colheres de sopa de leite condensado light.

Modo de preparo:

Bater no liquidificador o abacaxi e a maçã, juntando a água aos poucos. Coar e levar novamente ao liquidificador em seguida adicionar o suco de laranja e o leite condensado. Finalmente, juntar alguns cubos de gelo e tornar a bater. Servir gelado.

Outras sugestões:

– Saladas de folhas verdes, como rúcula, alface, acrescidas de manga e tomate, por serem ricos em ferro e potássio.

– Frutas, como o açaí (que virou moda por seu alto poder energético e por ser fonte de vitamina C) e a manga.

– A tradicional canja de galinha e alguns caldos como a receita a seguir:

Caldo pós-folia:

Ingredientes:

  • 4 batatas médias;
  • 1 cubo de caldo de carne ou galinha;
  • 4 tomates;
  • 2 cebolas;
  • 4 dentes de alho;
  • 1 pitada de açúcar;
  • 1 pacote de couve mineira (já cortada, comprada na feira);
  • sal a gosto.

Como fazer:

Bata no liquidificador o tomate, a cebola e o alho, com um copo de água e o açúcar. Coloque um pouco de óleo em uma panela e cozinhe os temperos até ferver. Reserve. Cozinhe as batatas com o cubo de caldo, misture a couve na água de cozimento, fervendo até engrossar. Quando o creme de batatas estiver consistente, adicione o molho de tomates, e ferva por alguns minutos. Se necessário, acerte o sal. Se quiser deixar mais amargo o caldo, para curar a ressaca, coloque a couve, fervendo-a diretamente com os ingredientes. Se preferir menos amarga, escalde e coe a couve antes de misturar ao caldo.

Não esqueça:

Produtos embutidos e enlatados, como salsichas, presunto e milho em conserva devem ser evitados, pois contém alto teor de sódio, que atrapalham a absorção de líquidos pelo organismo reforçando a desidratação.

É importante lembrar também de manter no mínimo, as 4 refeições diárias (café da manhã, almoço, lanche e jantar), podendo-se até incluir mais um ou dois pequenos lanches nos intervalos, de acordo com a necessidade.

Respeitar os horários das refeições ou, em caso de horários diferenciados, manter um intervalo máximo de 4 a 5 horas entre uma refeição e outra, que é fundamental.

Em resumo, é mais saudável comer quantidades menores de alimentos em cada refeição, mas fazendo um número maior de refeições diárias, do que fazer uma ou duas refeições com grande quantidade de alimentos.